FANDOM


Eras-canon-transp

30px-FeaturedIcon

Este artigo é sobre Líder Supremo da Primeira Ordem. Você pode estar procurando o Pirata espacial Kybo Ren.
Star Wars The Rise of Skywalker
Ninguém realmente se vai.
Aviso! Essa página contém SPOILERS de Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker. Se você não quer ver spoilers, deixe esta página agora!
Z-95 Headhunter
Conteúdo se aproximando. Classe Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker.
Partes deste artigo foram identificadas como desatualizadas.
Por favor, atualize este artigo com os eventos recentes e remova este aviso quando terminar.
"Nada ficará em nosso caminho. Eu terminarei o que você começou."
―Kylo Ren — Gnome-speakernotesOuça (arquivo)[fonte]

Ben Solo era um humano sensível à Força, Jedi redimido que havia caído para o lado sombrio da Força adotando a identidade de Kylo Ren. Como Ren, ele era o mestre dos Cavaleiros de Ren e era um dos líderes da Primeira Ordem, sob o comando direto do Líder Supremo Snoke, aproximadamente trinta anos após a Batalha de Endor. Filho dos heróis Rebeldes Leia Organa e Han Solo, Ben foi treinado como aprendiz Jedi de seu tio Luke Skywalker, na sua nova Academia Jedi. Entretanto, Ben foi atraído pelo lado sombrio por influência do misterioso usuário da Força chamado Snoke e se tornou obcecado por assumir o legado do seu avô, Darth Vader. Acreditando-se muito fraco como Jedi para atingir o nível de seu avô, e após sentir-se traído pelo seu tio, Ben adentrou o lado sombrio tornando-se aprendiz de Snoke, tomando o nome Kylo Ren. Ben deixou a nova ordem Jedi do tio e, nessa mesma noite, os seus colegas aprendizes foram mortos quando o templo Jedi foi destruído por uma tempestade. Skywalker entrou em um exílio autoimposto e Kylo se tornou um dos Cavaleiros de Ren dentro da Primeira Ordem. Esses eventos devastaram seus pais, levando à separação de Han e Leia; Han voltou para sua carreira de contrabandista e Leia voltou para sua posição de liderança na antiga Aliança.

Com a intenção de encontrar e destruir seu tio antes que ele pudesse reconstruir os Jedi, Kylo rastreou o último fragmento do único mapa que levava ao tio, encontrando todos exceto um nos antigos arquivos do Império Galáctico. Ele quase obteve o fragmento em Jakku, mas o piloto da Resistência Poe Dameron chegou mais rápido e escondeu o mapa em seu droide BB-8. Kylo e a Primeira Ordem então caçaram o droide, que fez amizade com a catadora de lixo Rey e o ex-stormtrooper Finn. Depois de localizá-los em Takodana, Kylo capturou Rey, sabendo que ela tinha visto o mapa. A sensibilidade à Força de Rey a permitiu resistir a varredura de mente que Ren tentou fazer e ela escapou enquanto as forças da Resistência chegaram para destruir a Base Starkiller. Durante a batalha, Ren encontrou e matou seu pai, acreditando que eram seus sentimentos por seus pais que estavam enfraquecendo sua conexão com o lado sombrio da Força. Depois de ser alvejado por um Chewbacca furioso, Kylo perseguiu Rey e Finn até a floresta. Ele foi novamente ferido por Finn durante um duelo de sabre de luz, mas eventualmente o derrotou, deixando-o profundamente machucado. Ele foi finalmente sobrepujado por Rey, que feriu-o gravemente. Eles foram separados pelo colapso do planeta e Ren foi salvo pelas forças em retirada da Primeira Ordem. Snoke ordenou que ele fosse levado à sua presença para que seu treinamento pudesse ser completado.

Eventualmente, ele descobriu ser uma díade na Força profetizada com Rey, os levando a compartilhar um laço único. Ao matar Snoke, Kylo assumiu o controle da Primeira Ordem como novo Líder Supremo, até o encontro com Darth Sidious, que o levou a ir atrás de Rey novamente e eventualmente se redimir. Ele ajudou a Jedi a enfrentar Palpatine, derrotando o Sith de uma vez por todas. A luta no entanto, custou a vida de Rey e, para salvá-la, Ben deu sua própria energia vital para ressussitá-la, desaparecendo na Força como consequência, logo após os dois compartilharem um beijo em reconhecimento dos sentimentos existentes entre eles.

Biografia

Antes do nascimento

"Deixe o passado morrer."
―Kylo Ren, ouvido por Vader[fonte]
Kylo Ren foi sujeito de visões da Força antes de seu nascimento. Pouco antes da Batalha na Fortaleza Vader, o Lorde Sombrio dos Sith Darth Vader ouviu a voz de Ren dizendo "Deixe o passado morrer" enquanto ele matava visões dos Jedi passados enquanto explorava o portal construído por Lorde Momin na Fortaleza Vader em Mustafar.[8] A voz de Ren também foi ouvida por Ezra Bridger no mundo entre mundos—um planeta místico que existe além do tempo e espaço, em 0 ABY.[9]

Início da vida

"Eu sei de onde você vem. Antes de chamar a si mesmo de Kylo Ren."
―Lor San Tekka, para Kylo Ren[fonte]
Han Leia and Ben

Os pais de Ben Solo, Han Solo e Leia Organa, eram celebrados como heróis da Aliança Rebelde.

Ele nasceu com o nome de Ben Solo[10] na Cidade de Hanna, Chandrila no dia em que a Concordância Galáctica foi assinada entre a Nova República e o Império Galáctico, formalmente encerrando a Guerra Civil Galáctica. Este dia se passou aproximadamente um ano após a Batalha de Endor,[1] onde seus paiss, a Princesa Leia Organa e o General Han Solo, lideraram a Aliança pela Restauração da República numa vitória decisiva sobre o Império. Sua vitória resultou nas mortes do Imperador, Darth Sidious, e do pai biológico de Leia, o Lorde Sith Darth Vader.[11]

Enquanto ele ainda estava no útero de sua mãe, Leia conseguia senti-lo através da Força. Ela comparou sua presença a um raio vivo de luz que às vezes escurecia e às vezes era marcado por uma veia de escuridão. Depois de seu nascimento, havia rumores contraditórios dizendo que o parto havia durado três dias. Outros diziam que havia sido um parto rápido e indolor. Alguns rumores ainda diziam que Ben havia nascido com a cabeça cheia de cabelos pretos e com todos os dentes já crescidos. Embora Han não tivesse o mesmo laço pela Força que Leia compartilhava com seu filho, ele se confortava com o fato de que ele tinha seu próprio laço paternal com Ben.[1] Quando era bebê, Ben gostava de brincar com os dados dourados que pertenciam ao pai e costumava segui-lo para aonde ele fosse.[12] Ele também compartilhou um forte laço com Lando Calrissian.[13]

O nome de Ben foi escolhido por seu pai.[14] Seu primeiro nome foi uma homenagem ao antigo Mestre Jedi Obi-Wan Kenobi,[15] que usou o apelido "Ben" após seu exílio em Tatooine.[16] O sobrenome de Ben vem de seu pai, apesar de Solo não ser o real sobrenome de Han.[17] Quando criança, Ben tinha dificuldades em dormir. Seu pai o abraçaria constantemente para tentar ajudá-lo a dormir. Ele também apresentou seu filho a um desenho animado infantil chamado Moray and Faz. Uma noite, dois anos após a queda do Império, a Chanceler Mon Mothma entrou em contato com a casa Solo na tentativa de falar com Leia. O dróide doméstico, T-2LC, informou Han e ativou uma projeção holográfica da Chanceler. Ao fazê-lo, o dróide acordou o pai e o filho, para grande aborrecimento de Han, pois havia sido a primeira vez que Ben dormia em dias. O distúrbio fez Ben acordar chorando, ao qual seu pai respondeu com simpatia, segurando seu filho perto do peito. Depois de alguns instantes, Ben voltou a dormir, com o queixo apoiado no ombro do pai.[13]

Na sua infância, seus pais se mantiveram ativos em suas respectivas profissões. Han, um contrabandista antes de se juntar a Rebelião, não conseguia ficar parado em um só lugar por muito tempo.[18] Ben, que aspirava se tornar um piloto como seu pai,[12] desenvolveu grande habilidade em pilotagem de caças e naves.[19] Leia enquanto isso, se tornava uma respeitosa senadora na Nova República,[7] o governo que surgiu após a derrota definitiva do Império na Batalha de Jakku perto do nascimento de Ben.[1] Leia e Han eventualmente brigavam e se separavam constantemente, deixando Ben com a sensação de abandono.[18]

Treinamento Jedi

Aprendiz de Luke Skywalker

"Tem muito do Vader nele."
―Han Solo, refletindo sobre as similaridades entre Kylo Ren e Darth Vader[fonte]
Luke and Ben

Luke e Ben durante o treinamento Jedi de Solo.

Ben Solo provou ser um sensível à Força, graças a linhagem de sua mãe, avô e tio.[20] Ao crescer, Ben desconhecia sua verdadeira linhagem—que era neto de Darth Vader. Somente seus pais e o irmão gêmeo de Leia, Mestre Jedi Jedi Luke Skywalker, sabiam a verdade do passado de Anakin Skywalker.[7] Leia decidiu esconder a verdade sobre Vader de Ben, mas planejava contar a ele quando era mais velho, embora aos 23 anos ainda não soubesse a identidade real de seu avô. Ela, no entanto, esperava poder contar a verdade ao filho, e que Skywalker pudesse explicar que, no final, Vader foi redimido e que a luz dentro de Anakin Skywalker havia retornado.[7] Leia reconheceu as semelhanças entre Ben e Vader e esperava que o treinamento de Luke pudesse deixá-lo longe da escuridão.[3]

Em 15 DBY, o treinamento de Ben com Luke havia começado junto com a nova Ordem Jedi de Skywalker.[4] Ben, assim como seu Mestre, se tornou um devoto nos caminhos Jedi.[21] Ele mantinha um conjunto de caligrafia cheio de instruções Jedi[22] nos seus aposentos durante seu tempo com Luke.[23] Eles viajaram pela galáxia em busca de histórias e relíquias Jedi, e Ben se tornava cada vez mais poderoso e se sentindo reprimido por Luke, que o impedia de usar todo seu poder.[24] Eventualmente, Ben se tornou alvo do Líder Supremo Snoke, que reconheceu a linhagem de Solo e começou a tentá-lo para o Lado Sombrio sutilmente.[25]

Snoke viu Solo como um ponto focal entre o lado luminoso e o lado sombrio—uma personificação ideal de um guerreiro da Força—e queria levá-lo como um aprendiz—começando a tentar formar um laço com Ben através de conversas particulares que ambos compartilhavam através da Força.[25][26] Embora suas origens fossem um mistério até para seus próprios subordinados na Primeira Ordem, Snoke foi criado pelo renascido Imperador Darth Sidious[2] e projetado pelos cultistas da Eternidade Sith para moldar Ben em um herdeiro digno de herdar o legado dos Sith.[25]

Os lendários Cavaleiros de Ren

"Ei garoto, tem certeza de que essa é a vida pra você? Você sabe que há outros caminhos, certo?"
―Ren, para Ben Solo[fonte]
Confrontation on Elphrona

Ben, Luke e Lor San se encontrando com os Cavaleiros de Ren.

Quando jovem aprendiz Jedi, Ben acompanhou seu Mestre e Lor San Tekka em uma missão em Elphrona, onde encontraram um antigo posto avançado de Jedi que remonta aos dias da Era da Alta República. Sem o conhecimento de Luke, Snoke estava se comunicando secretamente com Solo através da Força, permitindo que o aprendiz expressasse seu desdém pelos métodos de ensino de seu Mestre. Ben discordou sobre a duração de sua jornada, viajando para a fronteira entre a galáxia conhecida e o espaço inexplorado, acreditando que seu mestre só coletaria o que encontrou, mas nunca o utilizaria. Snoke aproveitou a oportunidade para semear dúvidas sobre os Jedi na mente de Ben, dizendo ao jovem aprendiz que eles tinham um histórico de acumular conhecimento e poder e se consideravam senhores da Força. Enquanto a agitação de Ben Solo continuava a crescer, ele ficou melancólico por não ter nada a ver nessa missão, exceto seguir a liderança de seu mestre. Embora ele expressasse admiração por seu tio como professor, Ben contou a Snoke sua crença de que Luke o estava retendo em sua evolução como um Jedi. O Líder Supremo assegurou-lhe que Skywalker acabaria conhecendo as verdadeiras capacidades de Ben, mas no momento ele viu seu aluno como nada além de uma criança.[15]

Ben Solo Luke Skywalker and Ren TROKR 2

Apesar dos Cavaleiros terem sido derrotados, Ren sentiu o conflito em Ben Solo.

Foi durante essa missão que Ben Solo conheceu os Cavaleiros de Ren, uma gangue de manipuladores do Lado Sombrio que também procuravam os tesouros guardados dentro do posto avançado. Um conflito se seguiu entre Luke e os Cavaleiros de Ren, com Ben Solo se segurando para proteger Lor San Tekka ao comando de seu Mestre. Os Cavaleiros foram dominados pelo último Jedi, mas Luke poupou suas vidas e permitiu que eles partissem. Antes de partir, seu líder, chamado Ren, ofereceu a Solo um lugar em seu grupo, tendo sentido seu potencial com o Lado Sombrio.[15]

Crescendo no Templo Jedi

"Nós estávamos... aprendendo. Todos estudamos juntos. Eu fui o primeiro, mas eles não vieram muito tempo depois. Voe, Hennix e Tai."
―Ben Solo, sobre seus companheiros Jedi[fonte]
All Too Easy

Ben Solo era notável dentre os estudantes de Luke.

Além de sua mãe, cujo treinamento com Luke foi interrompido, Ben foi o primeiro aluno na iniciativa de Skywalker para reconstruir a Ordem Jedi. Os Jedi não permaneceram limitados a dois membros por muito tempo, pois Luke se encarregou de treinar vários aprendizes ao mesmo tempo.[4] Além de vários novos recrutas, Hennix, Tai e Voe se tornaram aprendizes de Luke e, como tal, se familiarizaram com o primeiro[24] e mais notável aluno dele, Ben Solo.[26] Quando crianças, sentavam-se nos terrenos do templo aprendendo sobre a Força através das palestras de Luke, enquanto, ao mesmo tempo, aprimoravam suas habilidades levitando pedras.[24]

A afinidade natural de Ben com a Força não passou despercebida por seus colegas, principalmente Voe, que se viu lutando para aprimorar suas habilidades, apesar de treinar tanto quanto o sobrinho de Luke. Enquanto treinava do lado de fora, Voe assistiu Ben levitar uma grande rocha com facilidade, e se perguntou por que ele era muito mais forte que ela. Segundo Luke, no entanto, a força física e mental não tinha nada a ver com o funcionamento da Força. Usando uma porta como analogia, ele explicou que a Força fluía mais facilmente através daqueles que estavam abertos à sua energia. Apesar da explicação de Skywalker, Voe nunca chegou ao nível de Ben o tempo todo que passaram juntos. Por seu próprio relato, e mais tarde por Voe, Ben era muito mais forte que ela em todas as técnicas Jedi, incluindo combate a sabre de luz e meditação. Durante uma de suas sessões de luta, Solo desarmou e derrotou Voe.[24]

Seus relacionamentos com os outros alunos no entanto, eram diferentes. Hennix constantemente fazia Ben rir, e Tai tentou ajudá-lo a lidar com as pressões de ser um Skywalker. Solo garantiu a seu colega Jedi que ele não continha nada, mas através da Força Tai podia ver que havia um lado em Ben que ele mantinha escondido dos outros, incluindo dele próprio. Ben ouviu, mas não disse nada enquanto Tai expressava sua crença de que todos deveriam ser eles mesmos.[24]

A inclusão de vários alunos no templo de treinamento fez Luke dividir sua atenção, deixando Ben em busca de orientação em outro lugar. Snoke, tendo cultivado uma amizade com o jovem Jedi, pretendia suplantar Luke, tornando-se o mentor de Ben. Reconhecendo a força que Solo possuía devido à sua linhagem,[25] o Líder Supremo trabalhou para semear dúvidas sobre Luke e os Jedi na mente de Ben, acreditando que os Jedi acabariam por cair se Solo voltasse para o Lado Sombrio. Foi através de Solo que ele também focou em Luke em um esforço calculado para destruí-lo, destruindo a Ordem Jedi, que ele indiretamente convenceu Skywalker a restaurar.[12]

Descobrindo a verdade

Vinte e quatro anos após a Batalha de Endor, a verdade sobre o pai de Leia foi revelada por seus inimigos políticos no Senado Galáctico. Leia ainda não tinha contado ao filho sobre Darth Vader, e estava preocupada com a reação dele depois de descobrir isso de uma maneira tão pública.[7]

Caindo ao lado sombrio

A traição de Skywalker

"Eu nunca... eu não queria isso."
"E você não escolheu, Ben. O Jedi escolheu, Skywalker."
―Ben Solo e Snoke, discutindo sobre o ataque de Luke[fonte]
Wakey wakey Ben

Ben Solo vendo o sabre de luz de seu tio ligado, sentindo a sua intenção de matá-lo.

Skywalker finalmente percebeu a escuridão que ameaçava a alma de seu sobrinho. Ele sentiu um movimento sombrio na Força, que finalmente o levou ao quarto de Ben em uma noite. De pé sobre seu aluno adormecido, Skywalker estendeu a mão e sentiu uma influência maligna e corrompida dentro de Solo. O imediatismo e a gravidade da ameaça fizeram com que o Mestre Jedi instintivamente ligasse seu sabre de luz, pretendendo, por um breve momento, matar seu aprendiz, embora o desejo de matar seu sobrinho tenha desaparecido em um instante, e Luke tendo ficado imediatamente envergonhado, Ben acordou ao ver seu tio em pé sobre ele com o sabre de luz levantado, sem perceber a brevidade do instinto dele, Ben entrou em pânico e sacou seu próprio sabre ao ver a tentativa de tirar sua vida. Acreditando que Luke havia falhado com ele, Solo encontrou a lâmina rapidamente e, através de uma impressionante exibição da Força, puxou toda a construção para cima de seu antigo mestre.[23]

Solo deixou as ruínas de seu quarto, confuso e consumido com desespero e raiva pela traição. Superada com suas emoções, uma forte tempestade se formou sobre o templo Jedi, derrubando-o e incendiando os prédios. Horrorizado com a destruição, Solo tentou se aproximar do templo em chamas, mas foi jogado de volta por uma explosão. Ben ficou sozinho e observou o templo queimar, assombrado pelos acontecimentos do dia, até que três colegas estudantes Hennix, Tai e Voe chegaram de fora do planeta e questionaram seu envolvimento na destruição do templo. Eventualmente, Ben foi forçado a combatê-los, usando apenas seus poderes da Força, antes de seguir para sua nave Grimtaash, enquanto o trio o seguia em sua própria nave. Embora ele tivesse a oportunidade de matar os outros estudantes, ele apenas incapacitou a nave deles, antes de escapar, chegando finalmente a uma estação espacial onde se encontrou com Snoke.[26]

A ascensão de Kylo Ren

"E quando você se chamou por esse novo nome, viu sua verdade. Representa o que você deseja fazer em um nível mais profundo. A parte de si mesmo que você deseja cortar. A parte que você quer matar. Talvez um dia você faça isso. A galáxia ouvirá esse nome e verá você."
―Snoke, para Ben Solo[fonte]
Tendo rejeitado seu futuro como Jedi, Ben manifestou interesse em aprender o que podia dos Cavaleiros de Ren. Snoke não apenas apoiou o novo caminho de Solo, mas também encorajou o Jedi caídos a aproveitar a oportunidade de forjar sua própria identidade, ausente da influência de Skywalker. Solo sentiu a pressão de viver de acordo com as lendas que recebeu o nome dele e, portanto, desejava se livrar de seu nome e do sobrenome de seu pai. Mesmo antes de partir para procurar os Cavaleiros de Ren, Solo começou a pensar na ideia de usar um nome que ele cunhou quando criança. Snoke aprovou, acreditando que o novo nome representava a verdadeira natureza de Solo e se tornaria conhecido por toda a galáxia um dia. Retornando ao local onde viu os Cavaleiros pela última vez, Solo fez contato com Ren usando o capacete dele como uma linha direta de comunicação e foi instruído a procurá-los em Vanrak, na Orla Média. Até então, os outros estudantes Jedi haviam alcançado Solo, com a intenção de impedi-lo de seguir adiante no caminho do lado sombrio.[15]
Cavaleiros de Ren

Kylo e os Cavaleiros de Ren.

Solo eventualmente assumiu "Kylo Ren" como seu nome escolhido, tornando-se aprendiz do Líder Supremo Snoke e mestre dos Cavaleiros de Ren.[3] Ele foi treinado pelo Líder Supremo, e esse treinamento ajudou a tornar Ben Solo nada mais que uma lembrança distante na vida de Kylo Ren. Com o tempo, ele foi o aprendiz mais talentoso de Snoke e a personificação de uma nova geração de guerreiros do lado sombrio que surgiram para preencher o vazio deixado pela queda dos Sith,[25] que se extinguiu com a morte do avô de Ren e seu Mestre Sith Darth Sidious a bordo da Estrela da Morte II durante a Batalha de Endor.[22] Sem o conhecimento de Ren, Lukesobreviveu à tragédia, mas ele foi mudado para sempre ao testemunhar a morte e a destruição de sua Ordem Jedi e entrou em exílio, se afastando da Força.[23][27]

A queda de Ben ao lado sombrio afetou também sua família, com Leia e Han se separando. Solo voltou a vida de caçador de recompensas com Chewbacca, e Leia começou a formar uma Resistência para combater a crescente Primeira Ordem, onde Kylo Ren liderava nas linhas de frente para derrubar a Nova República. A Resistência foi formada assim pois o Senado ignorou os pedidos de Leia para criação de um novo exército, não temendo nenhum avanço da Primeira Ordem que não parecia poder causar danos a República.[25]

Por decreto do Líder Supremo, o verdadeiro nome de Kylo Ren nunca poderia ser mencionado. Kylo procurou deixar seu passado para trás, tornar-se imune às tentações da luz e reivindicando seu direito de primogenitura, governando os seres mais fracos da galáxia. Ele normalmente usava um capacete de combate, modelado após o equipamento de batalha dos Cavaleiros de Ren, a fim de ocultar sua identidade e dar-lhe uma presença mais intimidadora. Este capacete também continha um modificador vocal, que diminuiu consideravelmente o tom da voz de Ren. As ações de Kylo como Jedi lhe renderam o apelido de "Assassino de Jedi", um nome sussurrado entre as fileiras da Primeira Ordem que sabiam que Ren havia impedido o retorno da Ordem Jedi.[25] Não mais um Jedi, mas também não sendo um Sith, Kylo se esforçou para aproveitar a dor de seu conflito emocional, a fim de alimentar seus poderes extraordinários e destruir os últimos vestígios da tradição Jedi.[28]

O desejo de Kylo de deixar o lado luminoso para trás era uma parte essencial de como ele via sua herança. Ele veio para idolatrar Darth Vader e manteve o capacete queimado de seu avô como um santuário do legado do Lorde Sombrio dos Sith,[3] na esperança de destruir os últimos Jedi como Vader pretendia. Embora Luke tenha resgatado Vader durante a Batalha de Endor—permitindo que seu pai, Anakin, cumprisse a antiga profecia do Escolhido—Ren e Snoke acreditavam que Darth Vader era o verdadeiro eu de Anakin e que sua redenção era simplesmente um erro único, porém fatal, em uma vida importante.[29] A certa altura, Ren acreditava ter feito contato com o espírito de seu avô, uma vez que implorou ao capacete de Vader que "mostrasse a ele novamente, o poder das trevas".[3]

Kylo Ren logo modificou seu sabre de luz após cair no lado sombrio, canalizando quantidades perigosas de energia através de um cristal kyber rachado.[4] Como resultado do cristal quebrado, o sabre de luz exigia aberturas de ambos os lados para desviar o excesso de calor, deixando o sabre com o design cruzado usado antigamente pelo antigos Jedi e Sith nas guerras antes da queda de Malachor.[30] Também dava à lâmina vermelha uma aparência instável, ardente e trêmula.[25]

Phasma Hux Ren

Hux, Phasma e Ren, o trio de comando da Base Starkiller.

Como aprendiz do Líder Supremo Snoke e um executor da vontade de seu mestre (como seu avô fora do Imperador Palpatine durante o reinado do Império Galáctico), Ren se tornou um membro influente da estrutura de poder da Primeira Ordem. Embora tivesse acesso direto ao Líder Supremo e pudesse comandar oficiais militares, ele existia fora da estrutura de comando militar oficial. Isso levou a uma certa tensão com os escalões superiores da Primeira Ordem, que discutiam com ele constantemente, apesar de desconfiarem que sua agenda vencesse os objetivos militares. Esse arranjo espelhava deliberadamente o relacionamento do Império Galáctico com Darth Vader, que existia fora da hierarquia militar formal, mas mesmo assim podia comandar o Exército Imperial em seus próprios objetivos. Essa tensão era particularmente palpável com o General Armitage Hux, comandante da Base Starkiller, a super arma de primeira ordem capaz de destruir sistemas estelares inteiros construída no coração do planeta Ilum, fonte de cristais kyber dos antigos Jedi. Kylo, que fazia parte de um trio não oficial do comando da Base Starkiller com Hux e a Capitã Phasma das forças armadas da Primeira Ordem, tinha pouca consideração por Hux como guerreiro; a experiência militar de Hux era principalmente teórica e baseada em cenários simulados, mas respeitados, no campo de batalha. Hux, da mesma forma, era um homem de ciência e tinha pouco entendimento dos modos místicos de Ren. Ambos disputaram a atenção do Líder Supremo nos anos seguintes.[25]

Com o tempo, a reputação de Ren chegou a rivalizar com a de Hux e Phasma, ambos notados entre as fileiras da Primeira Ordem por seu poder e influência. No entanto, soldados como o Capitão Cardeal consideravam Ren muito respeitado, acreditando que ele seria o único a liderar a Primeira Ordem para a vitória.[31] No entanto, embora ele fosse altamente considerado por algumas figuras do comando da Primeira Ordem, outras ficaram menos impressionadas com o jovem Cavaleiro de Ren. O Agente Terex, um oficial do setor de segurança da Primeira Ordem, desprezou desdenhosamente a tentativa do guerreiro do lado sombrio de imitar Darth Vader, a quem ele havia conhecido e considerado uma figura verdadeiramente aterradora.[32]

Descida à escuridão

"Use seu medo. Deixe-o cristalizar sua raiva. Torne sua raiva em poder."
―Snoke, para Kylo Ren[fonte]
Snoke Training

Snoke treinando Kylo Ren.

Algum tempo depois, Snoke levou Ren para um mundo rochoso no sistema Rarlech. Enquanto os dois estavam na beira de um penhasco, Snoke se virou para Kylo e perguntou se ele estava com medo. O jovem respondeu dizendo que não estava. O Líder Supremo então, usando a Força, empurrou Kylo do penhasco e o segurou no ar. Snoke disse que sabia que ele estava com medo, como deveria estar porque não tinha controle. Em vez disso, Kylo estava ofuscado e impotente. Snoke continuou afirmando que isso era bom. Homens impotentes se voltaram para a raiva e podiam atacar cegamente com raiva, mas os poderosos podem aproveitar sua raiva e usá-la. Eles atacam ou caem. Snoke então soltou Ren, deixando-o cair. Ele disse a Kylo para usar o medo nele, transformá-lo em raiva, e fazer essa raiva se tornar poder. Seguindo a orientação de Snoke, Ren conseguiu usar a Força para sobreviver a queda. Ele então perguntou a Snoke se o teria resgatado se não pudesse se salvar. O Líder Supremo então respondeu dizendo que o ex-mestre de Ren, Luke Skywalker, o faria, mas isso impediria o progresso dele. Snoke queria que Kylo encontrasse seu verdadeiro poder e potencial, se este quisesse governar a galáxia ao seu lado.[33]

Depois de deixar o mundo rochoso, a dupla chegou a Dagobah. Enquanto se preparavam para partir da nave, Kylo estava prestes a trazer seu capacete quando Snoke ordenou que ele o deixasse para trás. Ele tentou dizer a seu mestre que ele queria trazê-lo, mas o Líder Supremo enfurecido lhe deu um tapa na cara, fazendo-o sangrar, e mais uma vez ordenou que Ren o deixasse, dizendo que ele não podia fingir ser Vader aonde eles estavam indo.[33]

A caverna do mal

"Eu sinto frio, morte, e mais."
"A caverna é poder. E escuridão. E você vai entrar."
"O que tem nela?"
"Apenas aquilo que você foi muito fraco para enterrar. Ou você pode fugir, se preferir."
―Kylo Ren e Snoke, sobre a caverna do mal[fonte]
Após o incidente a bordo da nave, Snoke e Kylo seguiram para a caverna do mal em Dagobah. Ren fez o comentário de que ainda podia sentir seu tio desde o tempo em que estava Dagobah treinando com Yoda. Snoke assentiu e disse a Ren que um dos mais formidáveis Jedi começou seu treinamento aqui. O aprendiz então perguntou a seu mestre por que ele falou de Luke com respeito. Snoke disse que ele ganhou seu respeito e medo. Kylo disse a seu mestre que Skywalker era fraco, mas Snoke discordou. Ele disse que se tivesse Skywalker ao seu lado, a galáxia teria pertencido a ele muito antes. Eles então foram para a caverna onde Ren podia sentir uma frieza irradiando dela, junto com a morte e outras coisas. Snoke explicou que era onde todos os medos que Ren tinha sido muito fraco para enterrar residiam. Ele poderia entrar ou fugir. Mas a mente de Ren já estava decidida. Ele se entrou na caverna.[33]
Ben Solo and parents

Kylo fingindo matar seus pais na caverna do mal.

Uma vez lá dentro, Ren teve uma visão de seu tio Luke, dizendo que ele não queria lutar com Kylo, que disse a ele que ele não se importava, ativando seu sabre de luz. Snoke sentiu a decisão que Kylo havia tomado, dizendo que Skywalker o teria assassinado enquanto dormia porque temia Kylo Ren e o quão formidável ele se tornara. Enquanto os dois continuavam a duelar, Snoke aconselhou Kylo a usar seu ódio, passar acima do que o estava segurando e atacar a luz dentro dele. Ele fez isso e empalou a visão de Luke. Pensando que ele tinha acabado, Kylo disse a seu mestre que estava feito, mas Snoke o avisou de que a visão havia acabado de começar.[33]

Ren então avistou seus pais, implorando para que ele desistisse de suas ações. Ele tentou matar a luz dentro dele dizendo que Ben não era o nome dele, mas Leia insistiu que era e que ele era amado. De volta à caverna, Snoke podia sentir o conflito dentro de Kylo, mas então sentiu que ele acendeu seu sabre de luz. O Líder Supremo disse a Ren para matar a conexão e apagá-la. Mas, de volta à caverna, Kylo não havia matado seus pais, em vez disso, ele usou seu sabre de luz para cortar uma árvore fingindo matar Han e Leia. Essa ação provou que, embora ele odiasse seu tio, ele amava sua mãe e seu pai, e isso prenunciava o que ele faria com Snoke, que não podia sentir que não havia matado a visão de seus pais. Kylo então destruiu a caverna do mal, surpreendendo Snoke, que disse a Ren que a caverna havia permanecido por milhares de anos e que ele planejara trazer outros aprendizes para lá. Ren respondeu dizendo a Snoke que o passado era o passado e que ele não precisaria mais de aprendizes.[33]

Colonização das Regiões Desconhecidas

"Eles também disseram que alguém chamado Kylo Ren estava liderando o exército da Primeira Ordem. Esse nome significa alguma coisa para você?"
"Você pode dizer que sim. A General Organa vai querer ouvir sobre isso imediatamente."
―Kazuda Xiono e Ello Asty[fonte]
Decisive Blow SoR

Kylo se tornou conhecido por seus métodos violentos e agressivos, incluindo massacre de civis.

Como um dos comandantes das forças armadas da Primeira Ordem, Kylo estava fortemente envolvido em sua campanha para colonizar as Regiões Desconhecidas, onde os ex-Imperiais estavam reconstruindo suas forças desde a Batalha de Jakku.[25] Ajudada por navegadores alienígenas misteriosos conhecidos como Atendentes, a Primeira Ordem conseguiu navegar além da fronteira da galáxia conhecida, permitindo-lhes sobreviver e reconstruir seu poder.[22] Várias ameaças se escondiam nas Regiões Desconhecidas, reinos herméticos que foram confrontados pelo crescente poder novo. Seguindo as instruções do Líder Supremo Snoke, os novos militares empreenderam uma grande ofensiva contra vários desses reinos para aproveitar seus mundos e recursos para alimentar sua ascensão.[12]

Em 34 DBY,[34] Kylo liderou um exército para o mundo de Tehar, onde subjugaram a população local massacrando uma vila. No entanto, os irmãos Kel e Eila sobreviveram à destruição de sua aldeia e fugiram de Tehar depois de se esconderem em um cargueiro. Desde que as crianças tinham o conhecimento de suas ações agressivas contra o povo em Tehar, a Primeira Ordem colocou uma grande recompensa de vinte mil créditos em suas cabeças, dizendo aos informantes que Kel e Eila eram membros de uma família da Primeira Ordem de alto escalão fora de suas hierarquia militar.[35]

Kel e Eila finalmente chegaram a Castilon e buscaram refúgio em um depósito de combustível de um super petroleiro conhecido como Colossus. Depois de conhecer o espião da Resistência Kazuda Xiono, Eila contou a ele sobre o envolvimento de Ren no ataque à sua aldeia. Embora ela soubesse pouco sobre o guerreiro vestido de preto, além de seu nome e afiliação ao exército que invadiu Tehar, o sabre de luz de Ren lembrou a Eila as lendas sobre os Jedi que carregavam as mesmas armas. Xiono, que também não tinha conhecimento da identidade de Ren, passou essas informações para a Resistência enquanto se reportava com Ello Asty.[35]

A busca por Skywalker

"Se Skywalker retornar, a Nova Ordem Jedi surgirá."
―Snoke, para Kylo Ren[fonte]
Kylo e Snoke entendiam que se Skywalker e os Jedi retornassem, seriam uma ameaça grave para o futuro da Primeira Ordem. As pessoas que estavam mais próximas de Skywalker acreditavam que ele havia procurado o primeiro templo Jedi, cuja localização havia sido perdida. Um mapa parcial foi recuperado dos arquivos do Império Galáctico, mas faltava uma peça-chave do quebra-cabeça. A Primeira Ordem logo descobriu que o fragmento de mapa que faltava estava na posse de Lor San Tekka,[3] um membro da Igreja da Força.[25]

Missão para Pillio

MissionPillioKylo

Kylo pessoalmente comandou as buscas por Skywalker.

A caçada por Skywalker fez com que Kylo empreendesse uma jornada pelo planeta Pillio. Embora San Tekka não tenha sido encontrado no mundo, os aliados da Primeira Ordem capturaram e detiveram Del Meeko, um veterano da Guerra Civil Galáctica que serviu o Império e a Nova República, por sua vez, como membro do Esquadrão Inferno. Após sua chegada, Kylo Ren foi recebido pelo Protetorado Gleb da Segurança Jinata. Desconsiderando as formalidades, ele instruiu o oficial Aqualish a levá-lo a Meeko. Ele encontrou o ex-soldado ferido e sozinho na ponte do Corvus.[36]

Ignorando o sarcasmo do prisioneiro, Kylo usou a Força para sondar a mente de Meeko, determinado a descobrir onde San Tekka levou o mapa. Por todos os esforços de Meeko para resistir à investigação, invadir sua mente era uma tarefa relativamente simples para Kylo, que viu memórias que atravessavam a vida do ex-comando—desde seu serviço em Scarif como um stormtrooper defensor até sua participação na Batalha de Endor e a traição em Vardos. Ele também descobriu que Meeko encontrou Luke em Pillio e posteriormente descobriu sua fé na Força. Por fim, Meeko foi incapaz de resistir aos poderes de Kylo e revelou que San Tekka levou o mapa com ele para Bayora.[36]

Tendo obtido as informações que procurava, Ren entregou o prisioneiro ao oficial da Primeira Ordem Gideon Hask, um dos ex-companheiros de equipe de Meeko no Esquadrão Inferno antes da queda do Império, que executou Meeko logo depois.[36]

GUHL-JO387O

"General Hux... sei para onde devemos ir... e sei que essa é a chave. Estamos tão perto."
―Kylo Ren[fonte]
Ren and Hux meeting

Apesar de sua rivalidade, Kylo e Hux trabalharam juntos para encontrarem Skywalker.

Mais tarde, Kylo, Hux e dois Almirantes da Primeira Ordem se reuniram em uma sala de conferências a bordo da Finalizador sobre o planeta GUHL-JO387O. Eles estavam discutindo viagens para um planeta nas partes ocidentais da Galáxia. Enquanto estava na conferência, a criatura que o FN-2187 estava perseguindo apagou as luzes, interrompendo a conferência. Kylo Ren, com seu temperamento sob controle, sentiu algo próximo: algo do planeta que não deveria estar a bordo. Ele ativou o sabre de luz para iluminar a sala e olhou em volta, mas o que quer que fosse tinha saído.[37]

Após a conferência, Kylo transmitiu pedidos à Phasma por uma frequência privada. Mas ele tinha que garantir que ela os pegasse, então foi até o alojamento da Capitã e a chamou. Somente o capacete de Phasma apareceu através das portas abertas. Satisfeito por sua pontualidade, ele transmitiu o que sentia a Phasma, pois planejava fazer uma investigação discreta em todo o Finalizador. Ele ordenou que ela levasse um esquadrão de estagiários para investigar o planeta para qualquer atividade da Resistência. Qualquer coisa que Phasma possa encontrar, ela deve entregar a Ren. Então o guerreiro das trevas foi embora.[37]

Caminhando na sombra de Vader

Ataque em Jakku

"Não é preciso se preocupar. Juntos nós vamos destruir a Resistência—e o último Jedi."
―Kylo Ren[fonte]
Lor San Tekka brought before Kylo Ren

Kylo exigiu que Lor entregasse a ele o mapa para Skywalker. Quando ele se negou, pagou com o maior preço—sua vida.

Eventualmente, a Primeira Ordem descobriu que Lor San Tekka estava em Jakku. Kylo Ren, que conhecia San Tekka desde a infância como um explorador e velho aliado de Leia e Luke, trouxe seu Cruzador de batalha classe Ressurgente Finalizador até Jakku em sua busca pelo mapa. Os militares da Primeira Ordem atacaram a vila de Tuanul, onde San Tekka morava. Uma vez que os stormtroopers da Primeira Ordem, sob o comando de Phasma, reuniram os habitantes da vila, Kylo chegou ao campo de batalha e confrontou San Tekka, lamentando a idade do ex-explorador e como ele envelheceu, ao qual Lor respondeu que diferente da Primeira Ordem, Ben não surgiu no lado sombrio e lembrou que ele não podia negar a verdade de sua herança. Percebendo que o mapa não estava com Lor e dificilmente teria alguma informação dele, Kylo o atingiu com seu sabre de luz enquanto concordava sarcasticamente com o que Lor havia dito.[3]

Momentos depois, ele foi baleado de longe pelo Comandante Poe Dameron, um dos melhores pilotos de caça da Resistência que foi enviado a Jakku pela General Leia Organa para encontrar o mapa antes da Primeira Ordem. Kylo usou a Força para congelar o disparo no ar, e Poe logo foi trazido à sua frente. O guerreiro sombrio percebeu que Tekka deu o mapa a Dameron e ordenou que os soldados levassem o piloto para a nave de comando de Kylo, antes de dar a ordem para Phasma e seus homens matarem o restante dos moradores. Um stormtrooper, FN-2187, hesitou e finalmente optou por não atirar nos civis, um ato que Ren notou ao sentir seu medo antes de embarcar em sua nave.[3]

Localizando o droide

"O droide... roubou o cargueiro?"
―Kylo Ren, sobre a fuga de BB-8 para o Tenente Dopheld Mitaka[fonte]
Kylo tortures Poe Dameron

Ren tortura Poe Dameron pela localização do mapa.

Dameron foi levado a bordo do Finalizador para interrogatório.[3] O dispositivo, usado por Kylo para extrair informações de seus prisioneiros, era baseado em dispositivos semelhantes usados pelos Inquisidores do Império Galáctico.[25] Os interrogadores da Primeira Ordem não conseguiram tirar informações de Poe. Embora Kylo estivesse impressionado que ele ainda não havia soltado informações com a tortura física, ele começou a usar a Força para extrair mentalmente as informações da mente de Dameron. O piloto, que de início resistiu ao ataque da Força, finalmente foi forçado a revelar que havia escondido o mapa dentro de sua unidade BB, BB-8, que provavelmente ainda estava em Jakku. Kylo Ren informou ao General Hux da descoberta e deixou a recuperação do droide nas mãos dos militares.[3]

Pouco depois de Ren deixar Dameron sozinho, o stormtrooper FN-2187 escolheu deserdar da Primeira Ordem e libertar o piloto da Resistência, prosseguindo para roubar um TIE fighter das Forças Especiais. Kylo corretamente deduziu que o soldado era o mesmo stormtrooper que tinha se recusado a atirar na população de Tuanul. Durante a fuga dos dois, o Finalizador foi capaz de abater o TIE com um míssil.[3]

Ren discutiu a situação com o General Hux, que o lembrou que eles deveriam capturar BB-8 ou destruí-lo se necessário. Kylo criticou Hux pela deserção de Finn, dizendo que talvez a Primeira Ordem devesse adotar um exército de clones ao invés de crianças-soldado criadas com lavagem cerebral. Hux o alertou que não deixasse seu interesse pessoal em Luke Skywalker interferir com suas ordens, mas Ren o ignorou, insistindo que queria o mapa e que Hux deveria encontrá-lo.[3]

Mais tarde naquele dia,[3] o Tenente Dopheld Mitaka[25] informou bem que o astromecânico havia escapado de Jakku em um Cargueiro leve YT-1300. Kylo o questionou se ele tinha roubado um cargueiro sozinho, e o Tenente afirmou que FN-2187 foi visto com ele. Antes que Doplheld pudesse terminar, Kylo ligou seu sabre, destruindo os monitores em sua frente em uma crise de raiva. Ao terminar, ele perguntou ao Tenente se havia algo mais, e o mesmo respondeu que uma garota foi vista com eles. Kylo então o puxou com a Força e lhe perguntou que garota era essa.[3]

Retorno ao passado

O chamado da luz

"Houve um despertar, você sentiu?"
"Sim."
"Tem algo mais. O droide que procuramos está a bordo da Millenium Falcon. Ele está com o seu pai, Han Solo."
"Ele não significa nada para mim."
"Até mesmo você, Mestre dos Cavaleiros de Ren, jamais enfrentou tamanho teste."
"Graças ao seu treinamento eu não serei seduzido."
"Nós veremos. Nós veremos."
―Snoke e Kylo Ren, sobre Han Solo e o droide BB-8[fonte]
Kylo Ren and Snoke

Snoke contou a Kylo que BB-8 estava com Han Solo na Millenium Falcon, e que Ren logo teria que enfrentá-lo.

Percebendo que eles precisavam de ajuda, Kylo Ren e Hux voltaram para a Base Starkiller onde eles pediram o conselho do mentor de Ren, o Líder Supremo Snoke. Hux assumiu que era a hora de usar a Base Starkiller contra a Nova República, e o Líder Supremo permitiu, o mandando fazer os preparativos.[3]

Snoke contou ao aprendiz que tinha sentido um despertar na Força e Kylo confirmou o mesmo. O Líder Supremo então contou a ele que o cargueiro em que o droide escapara era a nave de seu pai, a Millenium Falcon, e que ele teria que confrontá-lo para superar o lado luminoso da Força. Kylo afirmou que Han não significava nada para ele e que sua jornada para o lado sombrio logo estaria completa, apesar disso, Snoke havia sentido o conflito de Ren e o mesmo tinha notado.[3]

Nos seus aposentos da Finalizador, Kylo conversou com a máscara queimada de seu avô Vader sobre como ele havia sentido o chamado da luz, e que o próprio Snoke havia percebido seu conflito. Ele então pediu a Vader para que lhe mostrasse o lado sombrio novamente, assim Kylo terminaria o que ele começou.[3]

Capturando Rey

"Você ainda quer me matar."
"Isso acontece quando você está caçada por uma criatura numa máscara."
―Kylo Ren e Rey[fonte]
ReyRen-TFAintltrailer

Ren captura Rey.

Ao chegar em Takodana, a Primeira Ordem atacou o Castelo de Maz Kanata esperando encontrar BB-8, enquanto Ren foi procurar nos bosques por perto. Ao invés do droide, ele encontrou Rey, uma caçadora de lixo de Jakku que tinha ajudado BB-8 e o ex-stormtrooper Finn a escaparem do planeta. Após um breve confronto, Ren vasculhou sua mente e descobriu que ela já tinha visto o fragmento de mapa. Deixando-a inconsciente, ele a pega no colo e manda suas tropas recuarem, retornando para seu shuttle para interrogá-la na Base Starkiller.[3]

Ren esperou até que Rey, algemada, retornasse à consciência. Quando ela o questionou sobre o destino de seus amigos, ele respondeu honestamente que não fazia ideia. Ele então afirmou que ela ainda queria matá-lo. Rey rebateu dizendo que isso era natural quando estava sendo caçada por "uma criatura numa máscara", então Kylo removeu seu capacete, revelando seu verdadeiro rosto. Seu interrogatório se provou infrutífero, já que Rey não apenas conseguiu resistir aos seus poderes como conseguiu usá-los contra ele e ter uma visão daquilo que ele mais temia: nunca ser tão poderoso quanto Darth Vader. Perturbado, Ren voltou a falar com Snoke, que ficou furioso ao descobrir que uma mera catadora de lixo tinha resistido ao seu aprendiz. Ren se defendeu, afirmando que a garota era forte na Força, mesmo que sem treinamento, muito mais forte do que ela mesmo sabia. Snoke perguntou sobre BB-8, e Hux interviu, humilhando Ren ao revelar que ele tinha considerado o droide desnecessário quando capturou Rey. Kylo continuou a afirmar que a garota podia levá-los a Skywalker, então Snoke exigiu que ela fosse levada à sua presença; porém, ela escapara no meio desta conversa. Kylo teve outro acesso de fúria ao descobrir a cela vazia, assustando dois stormtroopers em patrulha. Depois de se acalmar, ele colocou a base em estado de alerta, sabendo que ela estava começando a testar seus poderes e se tornaria mais forte e perigosa enquanto estivesse em liberdade.[3]

Confronto com Solo

"Ben!"
"Han Solo. Eu esperei por esse dia por muito tempo."
―Han Solo e Kylo Ren[fonte]
Enquanto procurava por Rey na Base Starkiller, Ren foi confrontado pelo seu pai, Han Solo, que estava tentando destruir o oscilador térmico usando explosivo com Chewbacca, Finn e Rey. Solo implorou que Ren deixasse o lado sombrio para trás e se redimisse das escolhas que ele havia feito, oferecendo qualquer coisa que ele quisesse para que ele voltasse com ele. Ren estendeu seu sabre de luz, aparentemente oferecendo-o, mas, numa tentativa de se livrar completamente do lado luminoso da Força, ele ligou o sabre e perfurou o coração do pai. Solo, moribundo, tocou o rosto de seu filho, e Kylo o agradeceu. Chewbacca, furioso com o assassinato de seu melhor amigo, atirou em Kylo com sua balestra, causando uma ferida grave e dando tempo para que Finn e Rey escapassem.[3]

Duelo com Rey

"Aquele sabre de luz. Ele pertence a mim!"
"Vem pegar!"
―Kylo Ren e Finn[fonte]
Kylo Ren confronts Rey and Finn

Kylo Ren confronta Finn e Rey durante a Batalha da Base Starkiller.

Kylo Ren eventualmente alcançou o par em um bosque isolado. Depois de paralisar Rey com telecinese e a nocautear contra um tronco de árvore, Ren enfrentou Finn, exigindo que o "traidor" lhe entregasse o sabre de luz que pertencera a Anakin Skywalker. Finn recusou e ligou a arma, desafiando Kylo para um duelo, uma oferta que seu furioso oponente aceitou de bom grado. Kylo repetidamente bateu na sua ferida ensanguentada, usando a dor para se fortalecer no lado sombrio, e atacou. O duelo foi curto, mas brutal e embora tenha lutado bravamente, Finn não foi páreo para os poderes sombrios de Ren, que o sobrepujou e desarmou, encerrando o duelo com um golpe de sabre de luz nas costas de seu adversário, que o deixou em um estado de coma.[3]

Com Finn incapacitado, Ren se voltou para o sabre de luz de seu avô, que tinha sido jogado na neve, invocando a Força para puxar a arma em direção a sua mão estendida. Para a surpresa de Kylo, o sabre passou voando por ele e acabou na mão de Rey, reanimada, que partiu para o combate. Por um tempo, Kylo continuaria na ofensiva, pressionando Rey a recuar, cortando árvores ao seu redor. Enquanto os dois mediam forças com os sabres, Kylo se ofereceu para treiná-la nos caminhos da Força. Ao ouvir a Força ser mencionada, Rey se concentrou e entrou em um transe, aparentemente empoderada. Embora ele fosse o único com treinamento formal com sabres de luz, Ren foi colocado na defensiva e foi eventualmente desarmado pela jovem, recebendo uma ferida significante no rosto.[3]

Antes que Rey pudesse tentar um golpe final, a superfície da Base Starkiller começou a se partir, com o sucesso dos caças da Resistência na destruição do oscilador térmico. Com o planeta se desmanchando sob seus pés, Rey e Finn foram resgatados por Chewbacca na Millennium Falcon. Ferido mas vivo, Kylo Ren escapou da destruição da base com a ajuda do General Hux e suas forças da Primeira Ordem.[3]

Enfrentando seu fracasso

"Infelizmente você não é Vader. É só uma criança... de máscara."
―Snoke, para Kylo Ren[fonte]
Após a evacuação da Resistência da base em D'Qar, Kylo Ren foi convocado para a sala do trono do Supremo Líder Snoke. Ajoelhado diante de seu mestre, Ren ouviu enquanto Snoke recordava alto o poder bruto e indomável que Ren possuía, as habilidades que originalmente o levaram à atenção do adversário. Conhecendo o potencial da poderosa linhagem de Skywalker, Snoke revelou sua crença de que Ren poderia cumprir o legado do lado aberto de seu avô. Mas à luz da derrota de seu aprendiz nas mãos de uma menina sem treinamento, que nunca antes tivesse usado um sabre de luz, Snoke retraiu sua fé no poder de Ren e castigou-o, chamando-o de fraco, sentimental e uma criança escondida em uma máscara. Enfurecido, Ren se levantou para conhecer seu mestre, mas Snoke rapidamente suprimiu o ataque com uma onda de relâmpagos. Deixando o quarto do trono, Ren esmagou seu capacete contra o metal circundante. Ele então ordenou que sua nave fosse preparada, retomando sua busca para erradicar a Resistência.[23]

Perseguindo a Resistência

TIE attack on the Resistance fleet

Ren liderou o ataque à bandeira da Resistência, mas hesitou em abrir fogo em sua mãe.

Como Hux havia antecipado através de uma nova tecnologia de rastreamento, a armada da Primeira Ordem emergiu do hiperespaço para encontrar a frota da Resistência despreparada e indefesa. A supremacia do navio de guerra levou a carga, seus poderosos turbolasers derramando a frota com explosões inflexíveis. Para complementar a barragem, a Supremacia revogou seus lutadores de curta distância, com Ren liderando o assalto em seu TIE Silencer pessoal. Coberto por dois soldados, o aprendiz negro interceptou o MC85 Star Cruiser Raddus da Resistência, a nave principal da frota. Antes que os pilotos rebeldes pudessem lançar um contra-ataque, Ren destruiu o hangar de Raddus, deixando-os incapazes de resistir à ala de lutador de Ren.[23]

Com a bandeira da Resistência aleijada, Ren virou seu lutador para enfrentar a ponte do ofício, preparando seus foguetes. No momento ele sentiu a presença de sua mãe a bordo do Raddus, e Ren, hesitante, segurou o polegar sobre o gatilho em um momento de dúvida intensa. Depois de um momento, ele se rendeu aos seus segundos pensamentos e abandonou o controle do gatilho. Os outros, no entanto, não tiveram tal escrúpulos - sempre leais à Primeira Ordem, lançaram seus foguetes no lugar de Ren e destruíram a ponte. A detonação matou o Almirante Gial Ackbar e outras figuras aclamadas da hierarquia da Resistência, mas a mãe de Ren, depois de jogada no espaço, usou a Força para ir até a nave de volta. Após essa última ofensiva, Hux ordenou aos combatentes de volta à supremacia, já que a frota da Resistência havia retirado o raio protetor da supremacia no tempo intermediário.[23]

Uma conexão inesperada

À medida que a Primeira Ordem perseguia a frota da Resistência, Ren descobriu que tinha um vínculo de Força com Rey e, uma vez mais, a atraiu para a localização de Luke Skywalker. Durante sua primeira interação, Rey disparou seu blaster em onde percebeu que Ren estava, apenas para danificar uma das estruturas na aldeia Jedi onde residia Skywalker. Durante outra conversa, Ren contou a Rey sua versão dos eventos que levaram à destruição do Templo Jedi de Skywalker: que ele acordou e viu Luke de pé sobre ele com seu sabre de luz, pronto para matá-lo. Embora ela se recusou a revelar a localização de Luke para ele durante seu treinamento, Rey ofereceu-lhe a mão uma noite, fazendo com que ela sentisse o conflito dentro dele. Simultaneamente, Ren sentia que os pais de Rey eram meramente catadores de lixo e que ela não tinha conexão com a história galáctica que estava acontecendo. Eventualmente, uma vez que Rey chegou à supremacia em uma tentativa de resgatá-lo, Kylo prontamente levou-a à prisão preventiva.[23]

Traindo seu mestre

""Criança patética. Eu não posso ser traído. Eu não posso ser espancado. Vejo sua mente. Eu vejo todas as suas intenções. Sim ... Eu vejo você girando o sabre de luz para atingir a verdade. E agora, criança tola, ele acende-se e mata seu verdadeiro inimigo! ""
―Últimas palavras de Snoke antes que Kylo Ren o matasse[fonte]
ReyKyloVsGuards

Depois de trair seu mestre, Kylo Ren matou todos os Guardas com a ajuda de Rey.

No caminho para a sala do trono de Snoke, Rey lembrou Ren que ainda havia uma chance de voltar para a luz. Depois que Snoke a torturou para o paradeiro de Skywalker, ele ordenou que Kylo a matasse. Porém, ao invés de obedecer a ordem, Kylo enganou seu próprio mestre fazendo-o pensar que a mataria para salvá-la. Movendo o sabre de luz Skywalker com a Força para o cortá-lo em pedaços, Kylo matou o  Líder Supremo. Então os Guardas imediatamente atacaram Rey e Ren, que rapidamente lutaram contra eles e os derrotaram. Com os guardas mortos, Ren voltou a pedir a Rey que se juntasse a ele para governar a galáxia ao seu lado, revelando a verdade sobre seus pais no processo. No entanto, como na base de Starkiller, Rey recusou, porém dessa vez desapontada e com coração partido já que ela realmente passou a se importar com ele após suas interações durante as conexões na Força. Rey tentou puxar o sabre de luz dos Skywalker usando a Força, fazendo com que Kylo puxasse o sabre para ele mesmo. À medida que a arma flutuava entre eles em um impasse, o sabre quebrou ao meio, e a resultante onda de choque da Força nocautou ambos enquanto o Raddus dividia a supremacia pela metade com um salto do hiperespaço suicida. Quando Hux chegou na sala do trono, Rey já havia escapado e Ren estava inconsciente. Hux preparou-se para matar seu rival de longa data, mas Kylo acordou quando Hux estava preparando seu blaster, que o guardou antes de Ren notar. Ren falou falsamente a Hux que Rey matou Snoke e seus guardas antes de reivindicar o manto de seu mestre. Hux recusou-se firmemente a permitir que Ren comande suas tropas, levando o assassino Jedi a Forçar a atrapalhá-lo a reconhecer Ren como líder supremo. Com a sua supremacia assegurada, Ren ordenou todas as forças ao planeta Crait para aniquilar os restos da Resistência.[23]

Batalha de Crait

Ren supervisionou a implantação de AT-ATs, AT-M6 e AT-ST para a superfície salgada de Crait, recolhidos do que restava da supremacia. Avançando, Ren colocou suas tropas opostas a uma base rebelde abandonada que a Resistência apropriou para sua defesa. Quando a Primeira Ordem descobriu uma enorme porta de escudo impedindo seu avanço no gabinete, Ren desdobrou ainda mais um canhão de cerco de superlaser - uma espécie de atropelamento usando a tecnologia miniaturizada da Estrela da Morte - para sua vantagem. Em resposta, a Resistência lançou uma série de velocistas velhos, uma tentativa finalmente inútil de parar o canhão. Enquanto a Resistência tentou parar o progresso da Primeira Ordem, Chewbacca e Rey se juntaram à briga na Millenium Falcon, e Kylo enviou furiosamente todos os presentes do lutador TIE para destruir o antigo nave de seu pai.[23]

Duelo com Skywalker

"A Resistência está morta. A guerra acabou e, quando eu matar você, matarei o último Jedi."
―Kylo Ren, para Luke Skywalker[fonte]
Luke Duels Kylo Ren

Kylo Ren enfrenta seu antigo mestre em Crait.

Logo após a Primeira Ordem ter violado a base, Luke Skywalker apareceu e Ren, numa tentativa fútil de eliminar seu tio, ordenou que todas suas forças disparassem contra ele. Depois que Skywalker recebeu os disparos e saiu sem nenhum dano, Ren ordenou que seu comboio de comando fosse colocado e confrontasse pessoalmente o Skywalker. Kylo contratou seu tio em combate único, até que ele o cortou no meio sem efeito. Confuso, Ren puxou Luke com seu sabre, revelando que Skywalker não estava realmente presente para a batalha e que ele estava se projetando através da Força em Ahch-To. Irritado pelo engano, Kylo e suas forças descobriram que a base estava agora vazia, e era apenas uma distração para todos da Resistência fugirem, mas encontrando apenas uma projeção dos dados pendurados de ouro de Han, tudo o que Ren poderia fazer era curvar-se na derrota quando desapareceram de sua mão. Quando a Resistência foi evacuada, Ren viu Rey uma vez mais quando embarcou na Millenium Falcon; Nenhuma palavra foi dita enquanto ela fechava a porta.[23]

O retorno de Ben Solo

Encontrando-se com o Imperador

"Tenho sido todas as vozes..."
"...que você ouviu..."
"...em sua mente."
―Palpatine, se passando por Snoke e Darth Vader para Kylo Ren[fonte]
Kylo Mustafar

Kylo Ren em Mustafar atrás do Localizador Sith de Vader.

Após um ano desde a ascensão de Kylo Ren a Líder Supremo, a galáxia ouviu uma transmissão misteriosa do falecido Imperador Galáctico Sheev Palpatine afirmando dar aos Sith o poder novamente. Ren dirigiu toda sua atenção a ele, cancelando vários planos e investimentos à caçada pela Resistência—afirmando não tolerar ninguém que possa tirá-lo do poder—o que deixou Rux enfurecido, afirmando que Ren estava caçando um fantasma ao invés de focar seus esforços na Resistência.[38] Naquela época, porém, Ren havia descoberto que seu antigo Mestre Snoke não era o ápice da pirâmide do lado sombrio da Primeira Ordem. Visões na Força, bem como fragmentos de antigas e misteriosas descobertas nas velhas bases de Snoke, estavam levando Ren a um mistério Sith antigo.

Ao adquirir um Localizador Sith em Mustafar, Ren conseguiu chegar ao planeta Exegol, onde o Imperador estava residindo. Ele viu corpos semelhantes aos de seu velho Mestre Snoke em tanques, enquanto Sidious falava com ele em sua mente. O antigo Lorde Sith afirmou ser todas as vozes que Kylo ouviu durante os anos, estando por trás de Snoke e Vader. Finalmente após se encontrar com Sidious pessoalmente, Kylo estava pronto para matá-lo, mas o antigo Imperador tentou oferecê-lo algo. Palpatine lhe mostrou a Ordem Final e uma frota com várias naves de enorme poder fogo, afirmando que ele era o herdeiro do Império e deveria se tornar o que Vader não conseguiu. Em troca da Ordem Final e de seu novo poder de fogo, Kylo deveria matar a garota Rey para Palpatine. Antes de partir, o Líder Supremo perguntou quem ela realmente era, e Palpatine o revelou que Rey era sua neta.[38]

Herdeiro do Império

"Aniquile a garota! Acabe com os Jedi, e se torne o que seu avô, Vader, não conseguiu. Você governará toda a galáxia como novo Imperador."
―Palpatine, para Kylo Ren sobre seu objetivo[fonte]
Hux Databank IX TROS

Kylo chamou os Cavaleiros de Ren para sua missão mais importante enquanto tentava controlar seu conselho indisciplinado.

Ren fingiu aceitar o acordo com Sidious, mas secretamente tinha outros planos em mente. Embora ele tivesse toda a intenção de governar um novo Império Sith,[4] ele não tinha vontade alguma de matar Rey. Ao descobrir toda a verdade de suas origens, ele percebeu o que eles poderiam alcançar se estivessem juntos,[38] como ele já havia proposto anteriormente.[23] Voltando aos seus aposentos na Steadfast, Kylo meditou usando a máscara de seu avô, tentando encontrar Rey através da conexão deles com a Força. Rey estava fazendo uma pista de obstáculos fora da nova base da Resistência em Ajan Kloss quando Kylo a contatou. Quando suas mentes começaram a inundar lembranças de eventos passados, a jovem aprendiz Jedi lutou contra seu lado sombrio interior, mas acabou se desconcentrando do próprio treinamento depois de perder momentaneamente o controle com as visões.[38]

Sem se deixar abater pelos esforços de Rey para se esconder dele, Kylo continuou avançando com seus novos planos para encontrar a catadora de lixo.[38] Tendo se libertado do domínio de seu mestre sombrio, o Líder Supremo reconstruiu sua máscara uma vez quebrada, marcando-o novamente como um Cavaleiro de Ren, mas desta vez em seus próprios termos.[4] As marcas intimidadoras da máscara reconstruída também marcaram o reinado de Kylo como o novo líder.[36] Seu retorno das Regiões Desconhecidas com a promessa de novas naves de guerra e soldados reforçaram a confiança do Conselho Supremo em seu líder, cuja submissão ao lado sombrio lhes causou preocupação, pois o grupo tendia a favorecer táticas e estratégias ortodoxas para a conquista da galáxia.[4] Embora o conselho tenha manifestado preocupação com um possível espião que opera nas fileiras da Primeira Ordem,[38] Kylo Ren estava mais preocupado com os meandros dos planos de Sidious. No entanto, Ren acreditava que conseguiria devolver os Sith ao poder, cumprindo o legado de seu avô[4] e se tornando o novo líder do Novo Império.[38]

Personalidade e traços

Ben Solo

"Pelo menos ele poderia ter me deixado pilotar a nave. Me dado algo para fazer. Ele é um ótimo mestre, muito forte. Eu aprendi muito com ele... Mas ele nunca parece querer que eu use nada disso."
―Ben Solo, sobre ser aprendiz de Luke Skywalker[fonte]
Ben Solo era um humano[39] que media 1,89 metros[40] e pesava 89 kg.[6] Ele tinha cabelos pretos, olhos castanhos e pele clara.[3] Quando criança, os olhos de Ben pareciam velhos para o seu pai. Da perspectiva de Han, era como se seu filho estivesse esperando um milênio para nascer.[13]
TheRiseOfKyloRen2 MuirVariantArt

Ben Solo vivia em conflito entre a luz e as trevas.

Mesmo antes de sua queda, no entanto, Ben Solo ainda tinha inseguranças profundas enraizadas na negligência de Han Solo e Leia Organa em criá-lo.[18] Ele também acreditava que seus pais pensavam que ele estava perturbado, tendo ouvido as conversas sobre ele e sua percepção de falta de controle sobre suas habilidades naturais com a Força quando ele ainda era criança.[12] Como resultado, ele interpretou a decisão de sua mãe de mandá-lo embora para o treinamento de Jedi como uma maneira de abandoná-lo.[18]

As expectativas de ser um Skywalker—sobrinho do lendário Luke Skywalker e neto do Escolhido Anakin Skywalker—pesaram muito em Ben.[4] Ser nomeado em homenagem a lendas apenas alimentou sua insegurança, fazendo Solo odiar seu nome completo. Ele sentiu como se todos quisessem que ele fosse como seu homônimo, Obi-Wan "Ben" Kenobi, mesmo que ele nunca tivesse conhecido o famoso Jedi. Além disso, Solo sabia que o sobrenome que ele herdou de seu pai era um nome inventado, aumentando sua crença de que o legado de sua família se baseava em uma mentira.[17][15]

Snoke and Kylo

Em Snoke, Ben viu um novo amigo e alguém que pudesse revelar seus pensamentos mais profundos.

Possuindo uma mente inquisitiva, Ben se esforçou para obter maior conhecimento[4] sobre os caminhos Jedi[22] e a Força durante seu aprendizado com Luke.[4] Ele registrou suas ideias sobre os Jedi em pergaminhos, criando documentos manuscritos que ele mantinha ao lado de seu conjunto de caligrafia. Ainda jovem,[12] Ben praticava a arte da escrita a mão, ou "caligrafia",[22] uma arte quase esquecida já que poucos ainda escreviam a mão durante a era da Nova República.[7] Em sua busca pelo conhecimento, no entanto, o foco de Ben vagou pelos cantos sombrios da Força e, com a atenção de Luke dividida entre vários estudantes, ele começou a cair sob a influência de outro mestre.[4]

Em Snoke, Ben viu conforto. Snoke era alguém com quem Solo podia ser sincero, revelando todos os seus pensamentos e conversando com ele constantemente através da Força. O Líder Supremo parecia dizer o que Ben queria ouvir, o vendo com confiança. Durante o primeiro encontro deles após Ben deixar os Jedi, Snoke abraçou Ben que o retribuiu, mostrando um pouco de apego que ele possuía com o Líder Supremo, e como ele o via como uma válvula de escape.[15]

Mesmo com Snoke tentando indiretamente fazê-lo rejeitar seu tio, Ben considerava Luke com grande estima. Embora tivesse dúvidas sobre os seus métodos de ensino, Ben via seu tio como um professor incrível e um lendário mestre Jedi. Ele reconhecia a força e o conhecimento de seu mestre com a Força, tendo aprendido muito sob a tutela de Skywalker. Apesar do tédio que Ben tentou enfrentar em algumas de suas missões juntos, ele compartilhou o entusiasmo de seu tio por descobrir antigas relíquias Jedi. Ben estava particularmente interessado em armas Jedi antigas; em uma ocasião, ele se maravilhou com um rifle de sabre de luz. Em particular, lamentou como Luke guardava tais tesouros, deixando-os em seu templo, para nunca mais serem usados.[15]

My Master Is A Legend

Ben Solo costumava idolatrar seu tio Luke.

A noite em que Luke foi até seu quarto afetou Ben Solo profundamente. Ver seu tio em pé com o sabre de luz ligado o encarando teve um impacto profundo na psique de Ben. Para ele, foi uma traição indescritível que confirmou todo o pior medo que ele tinha sobre sua família.[23] Superado com raiva e confusão, ele acreditava que seu tio o teria assassinado enquanto dormia. A experiência também o deixou desiludido com o caminho Jedi, que Solo agora via como uma mentira em que sua vida havia sido desperdiçada. Quando o templo foi destruído, Ben tentou em vão ajudar seus colegas. Enquanto ele examinava as ruínas em chamas e os corpos espalhados ao seu redor, ele ficou em estado de choque, expressando como nunca desejou esse resultado e se culpando por isso. Seu remorso inicial foi suprimido pela voz em sua cabeça, que convenceu Ben de que ele não era o culpado, mas sim Luke e os Jedi.[15]

Depois de renunciar ao caminho Jedi, Ben não se sentia mais obrigado a reter seu poder, pois sabia que era mais poderoso do que qualquer outro aprendiz de Luke. Para ele, a noção de que os outros eram iguais era uma fachada fabricada por seu tio. Na realidade, ele era o aluno premiado no templo, maior do que todos os alunos juntos e, em sua opinião, ainda mais poderoso que o próprio Luke. Em seu desejo de deixar os Jedi para trás para sempre, ele estava disposto a causar danos aos aprendizes que tentavam impedi-lo de partir, embora até ele ficou momentaneamente surpreso com a extensão em que os machucou com a Força. Embora, na época, ele acreditasse que Skywalker havia morrido por suas mãos, Ben não estava pronto para matar seus ex-colegas e, por isso, decidiu desabilitar a nave usando as habilidades de pilotagem pelas quais seu pai e seu tio eram conhecidos em toda a galáxia.[15]

Ben pensou em ir até sua mãe primeiro, mas decidiu se encontrar com Snoke, quem ele considerava o último amigo que tinha. O ser misterioso então usou dessa situação para desacreditar Ben em sua família e fazê-lo cair de vez para o Lado Sombrio.[15]

Kylo Ren

"Eu sou imune à luz."
―Kylo Ren[fonte]
Kylo Ren- Advanced Graphics- TROS

Kylo se via como o herdeiro do legado de seu avô, Darth Vader.

Kylo Ren foi a personificação do conflito. O guerreiro das trevas, cujo sangue fluía com o legado de alguns dos mais poderosos Jedi e Sith da história galáctica, representava um ponto focal entre o lado sombrio e da luz, um equilíbrio que o fazia um alvo do Líder Supremo Snoke, para que os poderes de Kylo pudessem ser usado para promover as ambições da Primeira Ordem. Sua queda para o lado sombrio suprimiu o garoto que havia sido chamado Ben Solo, um nome que o Líder Supremo decretou que nunca poderia ser falado na Primeira Ordem.[18]

Kylo Ren se esforçou para enterrar seu passado, embora as experiências e emoções dolorosas de sua juventude fossem algo que ele pudesse canalizar para promover seu próprio poder. Ele finalmente esperava construir uma imunidade à luz e ter sucesso onde Darth Vader falhou.[25] Kylo se via seguindo a tradição incorporada por seu avô, embora seu entendimento da história de Anakin Skywalker tenha sido distorcido por seu mentor sombrio Snoke.[4] Como Vader antes dele, Kylo acreditava que era seu destino dominar os seres mais fracos da galáxia.[25] Ele idolatrava seu avô, mas apenas a escuridão que era Vader—não a luz de Anakin. Para Kylo e Snoke, não foi a má estratégia ou arrogância que provocou a queda do Império Galáctico: foi o sentimentalismo que Vader mantinha por seu filho, Luke Skywalker, que levou à redenção do Lorde Sith; um erro tolo no julgamento e um lapso momentâneo em uma vida de outra forma ótima. Kylo Ren acreditava que se Vader não tivesse sucumbido à luz, o Império teria prevalecido.[29] Embora Kylo admirasse Vader, ele permaneceu arrasado por seu conflito e tinha medo de nunca atingir a força que seu avô possuía.[3] Ele manteve um santuário para Vader em seus aposentos pessoais a bordo do Finalizador, com os restos carbonizados do capacete do Lorde Sith que haviam sido recuperados de sua pira funerária em Endor, como um monumento aos poderes do lado sombrio e sua fraqueza.[25] Ele também manteve uma mesa de cinzas feita dos restos de seus inimigos.[41]

Kylo Ren Vader Helmet Chamber

Kylo Ren idolatrava Darth Vader, chegando ao ponto de "conversar" com o capacete de seu avô falecido.

Embora Kylo Ren temesse a luz e soubesse que tinha que evitar o sentimentalismo de Vader,[25] o Líder Supremo, no entanto, encorajou-o a usar a herança da luz e da escuridão, o que apenas promoveu o conflito interno de Kylo.[40] Ele estudou tanto as habilidades dos Jedi quanto o conhecimento obscuro do lado obscuro, ensinamentos contraditórios que lhe deram seu poder através da discórdia. Esses ensinamentos fizeram o guerreiro das trevas muitas vezes irado, alguém cujo excelente temperamento foi aperfeiçoado como uma arma da Primeira Ordem, o arquétipo de um novo tipo de usuário do lado sombrio que preencheu o vazio deixado para trás quando os Sith foram destruídos durante a Batalha de Endor.[25]

KyloIsNotKyboRen-TFAT2-4KPub

Ren usava uma máscara para esconder sua identidade anterior e projetar uma persona mais intimidadora.

Ren muitas vezes mantinha o rosto coberto com uma máscara modelada no equipamento de batalha dos Cavaleiros de Ren. Sua máscara projetava e ampliava sua voz de maneira mais profunda, e suas vestes eram um remanescente de seu treinamento com o Líder Supremo e foram danificadas em muitas batalhas. Esses elementos se combinaram para tornar Kylo uma presença intimidadora quando ele entrava no campo de batalha; mesmo às vezes chegando após a vitória ser garantida, Kylo não temia uma luta. Ele era confiante em seus poderes e habilidades.[25] Como seu avô,[42] Kylo Ren era um líder que lutava ao lado de suas tropas na linha de frente do campo de batalha. Embora ele ignorasse o conselho de seus conselheiros, favorecendo a força bruta sobre a negociação, ele venceu a agressiva Benathy com sua ferocidade como guerreiro, e o assassinato de uma fera Zillo onde ganhou o respeito do veterano Imperial Ruthford.[43] Tendo aperfeiçoado suas habilidades de luta no campo de batalha, Ren tinha pouco respeito por seu rival, o General Armitage Hux, como guerreiro.[25] Ele considerava o General com desdém durante toda a rivalidade, vendo Hux nem como corajoso, nem como digno de confiança.[44]

Não obstante a confiança que ele tinha em seus poderes, Ren tinha profundamente enraizado inseguranças que ele tentava esconder usando sua máscara e agindo como Vader.[33] Além disso, ele procurou esconder o rosto, pois o lembrava de seu antigo eu [36] e também de sua mãe e seu pai.[44] Depois de usurpar o título de Líder Supremo, Ren redonou sua máscara, agora sentindo que ele era um Cavaleiro de Ren em seus próprios termos. O capacete reforçado simbolizava o crescimento de Ren como indivíduo— seus fragmentos fundidos refletiam a quebra e a reconstrução da identidade de Ren.[4]

KyloRenandHanSolo-KyloDB

Embora Han Solo representasse o seu passado odiado, Ren não odiava seu pai.

Apesar de seus sentimentos de negligência e abandono, Ren não odiou seus pais. Durante seu julgamento em Dagobah, ele não conseguiu atacar a visão de seus pais, mesmo quando Snoke o pressionou a fazê-lo para matar a fonte de seu conflito.[33] Embora estivesse convencido de que Han Solo não significava nada para ele,[3] Ren lutou com a incerteza quando seu pai o confrontou, tentando alcançar o garoto que ele nomeara Ben Solo.[45] Ele foi atormentado pela insegurança, sem saber se tinha forças para sacrificar o próprio pai.[3] Sua decisão de matar Han não foi motivada pelo ódio, mas pelo desespero de escapar do passado[12] se libertando de seus apegos. No entanto, sua conexão com o lado sombrio não ficou mais forte depois de cometer patricídio. Em vez disso, o ato de matar seu próprio pai fez com que Ren se sentisse mais fraco, afetando seu próprio espírito e deixando-o mais perdido do que nunca.[39]

A tentativa de Ren de romper sua conexão com o passado e se render inteiramente ao lado sombrio não apenas fracassou, mas também o marcou fisicamente, porque ao matar seu próprio pai, Ren ficou tão desequilibrado que, mesmo com seu treinamento, ele foi vencido por um garota que nunca tinha usado um sabre de luz antes. Seu desequilíbrio o levou a ter uma cicatriz no rosto como lembrete de seu fracasso. Snoke, tendo observado que Ren permaneceu em guerra consigo mesmo, ridicularizou o assassinato de Han como um ato de petulância em vez de força. Quando confrontado com a chance de matar sua mãe, Ren ficou surpreso ao sentir sua preocupação por ele, tendo antecipado a raiva pela morte de seu marido. No final, Ren se sentiu incapaz de atirar nela.[12]

Depois de abandonar sua identidade como Ben Solo, Kylo Ren ainda manteve algumas das características de seus pais. Semelhante ao pai, Ren tinha um senso de humor sarcástico.[3] Ele respondeu com gracejo as observações do capitão Ruthford sobre suas habilidades de negociação, dizendo como ninguém se opôs aos seus termos uma vez que o rei Benathy estava morto.[43] Durante o ataque a Tuanul, ele disse a Lor San Tekka que este estava "tão certo" pouco antes de decapitá-lo, em resposta à alegação do velho de que Ren não poderia escapar da verdade sobre sua família. O sarcasmo de Ren também ficou evidente durante o interrogatório de Poe Dameron, a quem o guerreiro das trevas perguntou se ele estava "confortável". Logo depois, Ren fez uma pergunta retórica ao general Hux em relação à confiabilidade dos stormtroopers da Primeira Ordem, apenas para responder sua própria pergunta, denunciando todos eles como potenciais traidores.[3] Como sua mãe, Ren era herdeiro do legado de Alderaan, sendo o neto adotado por Bail Organa. Embora Ren o negasse, até o general Hux viu as semelhanças entre Leia Organa e seu filho.[44]

Kylo loses his temper

Ren era conhecido por perder o controle de seu temperamento e pelas crises de raiva destrutivas que seguiam.

Em contraste com o sentimento duradouro que ele nutria por sua mãe e pai, Ren nunca perdoou Luke Skywalker, acreditando que seu ex-mestre pretendia matá-lo enquanto dormia.[12] Ele atacou e destruiu a visão de Skywalker em Dagobah sem hesitação ou arrependimento.[33] Quando confrontado por seu tio em Crait, Ren ordenou seu exército para abrir fogo contra o solitário Mestre Jedi, e seu ódio se intensificou até o ponto em que sua determinação obstinada em destruir Skywalker o levou a ignorar inconsistências na aparência de seu antigo mestre.[4]

Ren, cujo mestre havia prometido a ele um futuro em que ele seria o herdeiro da Força, sem nenhum Jedi para se opor a ele, reagiu com fúria quando Finn o desafiou empunhando o sabre de luz que uma vez pertenceu ao avô do guerreiro das trevas.[4] Ele lutava para controlar seu temperamento, mas frequentemente falhava em seus esforços ao lidar com contratempos[3] ou críticas,[46] resultando em acessos de raiva devastadores, como as da destruição de terminais de computadores e de sua câmara de interrogatórios. Suas crises de raiva eram comuns o suficiente para que os stormtroopers próximos evitassem a área que ele estava destruindo.[3] Além de seu temperamento, Ren era conhecido por sua falta de paciência.[31]

Kylo connecting with Rey

Acreditando que o lado sombrio estava em sua natureza, Ren se via como um monstro.

Ren ficou furioso[12] quando seu mestre o ridicularizou como um aprendiz fracassado.[28] Ele lutou para controlar suas emoções enquanto ouvia comentários depreciativos feitos por Snoke, que considerava o assassinato de Han Solo um exemplo de petulância em vez de força. Aos olhos de Snoke, Ren estava fraco demais e sentimental para ser digno do legado de seu avô.[28] Ren sentiu domínio do lado escuro crescendo por dentro dele até o ponto em que ele era fisicamente incapaz de mantê-lo contido, fazendo com que ele assumisse uma posição desafiadora contra Snoke que acabou levando o Líder Supremo o subjugar com a Força. No entanto, uma vez dispensado, Ren extravasou o lado sombrio e suas emoções reprimidas de forma explosivamente violenta, destruindo seu capacete e danificando o elevador no processo.[12]

Enquanto as feridas físicas de Ren estavam se recuperando, as punições repreensivas de Snoke abriram feridas emocionais ocultas. Sua dor o levou a explorar a conexão que ele e Rey compartilhavam e questionar sua lealdade a Snoke. Além disso, o aviso de seu pai de que o Líder Supremo o estava usando apenas por seu poder ecoou em sua mente. Ren estava planejando seu futuro em tempos incertos e, com sua ambição alimentada pelo lado escuro, priorizou sua sobrevivência e ascensão final.[47]

Episode VIII Snoke and Kylo Ren

Uma vida inteira servindo mestres poderosos fez Ren sentir a necessidade de determinar seu próprio destino.

Ren estava fervendo de raiva e ressentimento depois que seu mestre o chamou de "uma criança de máscara".[48] No começo, ele estava desesperado para provar seu valor a Snoke,[28] mas depois de uma vida inteira vivendo nas sombras de mentores poderosos, Ren sentiu a necessidade de determinar seu próprio destino e descobrir seu próprio caminho. Castigado por Snoke, Ren questionou os dons que obteve graças ao seu mestre, reconhecendo-os como gaiolas e coleiras projetadas para mantê-lo obediente sob o domínio do Líder Supremo. Depois de matar Snoke e usurpar seu trono, Ren finalmente ganhou a liberdade e o poder que cobiçava como aprendiz, e ainda assim se sentia acorrentado a um destino que estava apenas começando a entender. Como o novo Líder Supremo, Ren zelosamente manteve sua independência e não estava disposto a servir outro mestre, tendo sacrificado demais para ser subserviente. Assim, ele não sentiu que não devia nada a Darth Sidious ou aos cultistas da eternidade Sith, pois eles eram apenas meios para atingir um fim.[4]

Após o duelo com Rey em Kef Bir, Ren questionou suas próprias crenças e escolhas anteriores. Ele se arrependeu de ter reprimido seu nome de nascimento por tanto tempo e não mais recuou ao ouvi-lo, como fazia antes. Ao ouvir seu pai pronunciar seu nome original—mesmo como uma visão baseada em sua memória de Han—lembrou Ren de uma época em que ele era feliz, de quem ele era antes, e do filho que significava tudo para seus pais. Ouvir a voz de seu pai fez com que os últimos vestígios da persona de Kylo Ren desaparecessem da mente de Ben Solo, que experimentou um sentimento de ternura ao ver orgulho e alegria nos olhos de Han.[49]

Relacionamento com Rey

"Você vem do nada. Não é nada. Mas não para mim. Junte-se a mim. Por favor…"
―Kylo Ren para Rey[fonte]
KyloRenandRey-KyloDB

Ren sentiu uma conexão inata com Rey desde o momento em que a conheceu, sem saber que eles formavam uma díade na Força.

Ren ficou intrigado com a estranha conexão que sentiu com Rey durante o primeiro encontro. Ele também ficou surpreso com a capacidade dela de ler sua mente enquanto ele sondava a dela, o que lhe permitia sentir os pensamentos de Ren, bem como seu conflito interno e suas dúvidas.[28] Para surpresa de Ren, Rey evocou sentimentos de compaixão dentro dele, de acordo com Snoke, que criticou o sentimentalismo de seu aprendiz como uma forma de fraqueza. Ren negou as acusações de seu mestre, incapaz de compreender como ele podia sentir qualquer coisa além de ódio por um inimigo da Primeira Ordem.[29] No entanto, ele se ofereceu para ensinar Rey e torná-la sua aprendiz depois de medir sua força bruta na Força.[3] Mesmo depois de ela o ter derrotado, Ren sentiu que seus destinos estavam de alguma forma entrelaçados.[28] Ele traçou seu próprio caminho para recuperar o poder e o status que perdeu para a lâmina dela. O destino de Rey estava inextricavelmente ligado ao seu, e ele não conseguiu negar o vínculo da Força deles.[47] A partir de então, as emoções agitadas de Ren passaram a ser tanto sobre Rey quanto sobre ele mesmo.[12]

Seu estado emocional tornou-se ainda mais intenso à medida que o vínculo da Força se fortalecia;[28] para surpresa de Rey, Ren não se incomodou mais em tentar esconder sua dor e miséria dela.[50] No entanto, apesar de diminuir suas barreiras mentais, Ren ainda ocultava seus sentimentos, enquanto Rey tentava aprender mais sobre sua queda para o lado sombrio e especialmente sobre suas ações em relação a Han Solo. Às vezes, ele achava as dúvidas dela divertidas, mas quando a catadora tentava forçar Ren a enfrentar seu conflito, ele voltava a recorrer às suas táticas habituais de deflexão e escárnio. Ren se comportou como se ele fosse o mestre e Rey fosse sua aluna, a afastando e perturbando com suas perguntas. Sua fachada, no entanto, foi quebrada quando Rey o chamou pelo seu nome de nascimento. Neste momento, ele sentiu-se perdido.[12]

Force-bond

Ren entendia a sensação de solidão e de abandono de Rey, tendo lutado com os mesmos sentimentos ao longo de sua vida.

Ren entendeu os sentimentos de solidão e abandono de Rey; tendo experimentado essas emoções também, ele estava muito familiarizado com o efeito psicológico que elas tinham sobre uma pessoa a longo prazo.[12] Ele permitiu que Rey confiasse nele e insistiu que ela não estava sozinha. Quando Snoke ordenou que seu aprendiz concluísse seu treinamento matando Rey, Ren já sabia o que tinha que fazer.[28] Naquele momento, os medos e dúvidas frequentes do aprendiz em conflito deram lugar a um novo senso de propósito e determinação que surpreendeu seu próprio mestre. Ele não hesitou em matar aquele que considerava seu verdadeiro inimigo, que no fim acabou sendo Snoke em vez de Rey.[12]

Ren desejou que Rey se juntasse a ele,[46] assim como ele quis quando eles duelaram pela primeira vez em Starkiller Base,[3] para que os dois se tornassem juntos os governantes da galáxia.[46] Rey sentiu que não havia ameaça nas intenções de Ren em relação a ela; ele queria que Rey superasse o passado dela e, como tal, disse a Rey que seus pais não eram ninguém, acreditando que a revelação a faria abraçar o lado sombrio como ele fez.[12] Ren queria que Rey fosse como ele,[51] mas sua honestidade brutal deu lugar a uma abordagem mais suave quando ele pediu que ela se juntasse a ele, dizendo a Rey que, embora ela não fosse ninguém, ela ainda era importante para ele.[52]

Rey and Ben Solo

Ren sentiu compaixão por Rey, que também se importava com ele.

A recusa de Rey em se juntar a Ren deixou o guerreiro sombrio se sentindo traído. Ele se perguntou por que Rey não tinha aproveitado a oportunidade para matá-lo enquanto ele estava inconsciente, e por um momento ele contemplou a possibilidade de que Rey realmente se importasse com ele. No entanto, ele deixou esses pensamentos de lado, convencido de que os sentimentos de Rey a tornavam tola e sentimental, e que seriam a ruína dela. Ren jurou destruir Rey junto com todos os outros que se opunham a ele, mas ao vê-la novamente através do vínculo, [48] ele ficou com um sentimento de vazio, apesar de suas recentes realizações, que incluíam sua ascensão como o novo Líder Supremo.[28]

Apesar de sua completa submissão ao lado sombrio da Força,[4] o conflito de Ren permaneceu e ele ainda foi tentado pelo lado luminoso. Ele pensava que a morte de seu pai acabaria com sua a agonia interior, mas com o tempo ele percebeu que enquanto Han Solo representava seu passado, Rey era a personificação de sua atração pela luz. Embora o clone de Darth Sidious tenha o instruído a matar Rey, Ren apenas fingiu obediência. Ao descobrir a história completa das origens dela, o desejo de Ren de trazê-la para o lado sombrio foi reacendido, mas ele também estava em conflito se realmente valeria o risco, agora que sabia que sua luta contra a luz estava diretamente ligada a Rey. Sua incerteza foi agravada por sentimentos de raiva e ressentimento pela rejeição dela à sua primeira oferta, o que confundia Ren.[53]

Ren sentiu o terror que Rey sentia sempre que ele estava perto dela, e achou intoxicante, embora a determinação dela em resistí-lo enfurecesse o Líder Supremo. Pensar que ela ousou rejeitá-lo alimentou sua raiva, fazendo com que Ren se perdesse em meio a sua fúria e ódio, se esquecendo momentaneamente de seus planos de derrubar o Imperador e assumir o controle da frota de Destróiers Estelares ao lado dela. Cegado pela raiva avassaladora e desesperado para acabar com sua dor, ele sucumbiu à tentação de matá-la. Quando a tentativa falhou, Ren se repreendeu por permitir que Rey usasse sua raiva contra ele, embora ele estivesse ainda mais surpreso ao perceber que estava aliviado por não tê-la matado.[53]

DyadofKyloRenandRey-TROS

Ren continuou a perseguir Rey na esperança de que ela se juntasse a ele, cumprindo assim seu desejo mais profundo.

Snoke havia treinado Ren para canalizar o lado sombrio agindo por seus impulsos, mas agora o impulso de matar Rey não podia ser reconciliado com seu desejo mais profundo, pois o que ele mais queria era a própria Rey. Ele achou o esforço de tentá-la difícil, mas que valia a pena, e a cada encontro entre eles, ele se sentia cada vez mais perto de alcançar seu objetivo com ela. Ren também eventualmente entendeu que seus objetivos para ela exigiam planejamento e paciência, apesar de estar bem ciente de sua própria impaciência e temperamento. Como resultado, ele encontrou inspiração no avô de Rey, Sidious, querendo ser capaz de suportar executar um plano por um longo tempo e de forma meticulosamente cuidadosa, e ser capaz de fazê-lo sem se sentir tentado pela luz. Ren sabia que não tinha a mesma paciência do Imperador, mas por causa do seu desejo de converter Rey, ele estava disposto a aprender.[53]

Ren, cuja natureza desequilibrada inspirou medo entre seus subordinados, mantinha a sua compostura quando próximo de Rey. A presença dela tinha um efeito calmante sobre ele, apesar de Rey achar a calma dele irritante enquanto ela lutava para controlar sua raiva e frustração em relação a ele. Após o confronto deles no Steadfast, Ren se viu gostando da experiência de ver Rey pessoalmente novamente, prestando pouca atenção aos mortos e feridos caídos ao seu redor. Para Ren, qualquer perda era um preço pequeno a pagar em troca de ficar com ela. Ele adorava provocar a raiva dela; ele queria que ela soubesse que eles eram uma díade na Força; quando ele finalmente contou a ela, ele gostou de ver o olhar no rosto dela, rosto que ele considerava lindo.[53]

Ben Solo renascido

"Eu sei o que devo fazer, mas não sei se tenho forças para fazê-lo."
"Você tem."
―Ben Solo e a memória dele de Han Solo[fonte]
BenSoloRestored-TROS

Redimido pelo perdão e amor de seus pais e de Rey, Ben Solo foi impulsionado pelo seu desejo de salvar Rey de Sidious.

Depois de jogar seu sabre de luz Sith[39] no mar em Kef Bir, a primeira emoção de Ben Solo sentiu foi o alívio, sabendo que a arma que ele usou para matar seu pai nunca mais mataria de novo.[49] Ao retornar ao lado luminoso da Força, Ben Solo perdeu as qualidades que havia desenvolvido como Kylo Ren, com exceção de seus sentimentos por Rey. Mas apesar dos sentimentos dele por ela terem tomado completamente sua mente e atenção, ele ainda carregava o remorso e culpa pela escuridão que ele havia criado como Kylo Ren. Ele havia perdoado seu pai, tendo se reconciliado com Han em espírito, mas ele ainda tinha que perdoar a si mesmo por tê-lo matado, embora esperasse que com o tempo fosse capaz de fazê-lo, agora que finalmente havia aceitado o amor e o perdão de seus pais. Enquanto os vestígios do treinamento de Snoke continuavam a influenciá-lo até certo ponto, Solo lutou para superar seu condicionamento ao lado sombrio, usando até a memória de Rey para se manter ancorado na luz. No final, ele foi inspirado pela bondade, gentileza e compaixão dela por ele.[53]

As personalidades de Solo e Ren eram distintas, a ponto de que Rey se surpreendeu com o quão diferentes eles eram como indivíduos.[53] Enquanto Ren era reservado, usando escárnio e deflexão para esconder seu conflito dela,[12] Solo era aberto e relaxado perto de Rey. Antes de seu retorno à luz, ela nunca havia notado a maneira como ele incorporava as qualidades de seu pai e mãe. Ele tinha o mesmo rosto largo e a postura de Han Solo, e os calorosos olhos castanhos de Leia Organa. Ele também manteve o humor sarcástico do pai, encolhendo os ombros como se dissesse "surpresa" depois de revelar o sabre de luz Skywalker aos Cavaleiros de Ren.[53]

Embora ele tivesse rejeitado a personalidade de Kylo Ren, uma parte de Ben Solo ainda pensava nos Cavaleiros de Ren como irmãos fiéis, tendo treinado com eles depois de renunciar à Ordem Jedi. Ele ficou surpreso ao sentir o ódio deles por ele e percebeu que eles nunca haviam sido verdadeiramente leais a ele. No entanto, ele não sentiu nenhuma satisfação com a morte deles, apenas os matou para se defender e ajudar Rey. Enquanto Ren se divertia com sua própria fúria, apreciando a emoção da batalha e da destruição, Solo não sentia prazer em tirar a vida,[53] atacando-os sem alegria ou raiva. Em vez disso, Solo usou o foco de um Jedi e, em vez de lhes dar uma morte dolorosa como os Cavaleiros haviam forçado suas vítimas a suportar, ele mostrou-lhes misericórdia, dando a cada um uma morte rápida.[49]

A partir do momento em que recuperou sua identidade anterior, o único desejo que o consumia era o de proteger Rey de Darth Sidious. Ele não permitiu que Protetores Soberanos, nem os Cavaleiros de Ren estivessem entre ele e Rey, derrotando todos que tentavam impedi-lo de alcançá-la. Seu amor por ela também o levou a sobreviver à tentativa do Imperador a sua vida, e apesar da dor agonizante de seus ferimentos, ele perseverou pensando em Rey como sua motivação para sobreviver. A visão do corpo sem vida dela o deixou cambaleando de tristeza e dor, pior do que qualquer outra ferida física que ele carregava no momento. Todo o seu ser doía com o vazio e com a dor da perda.[53]

Ele não conseguiu aceitar que ela estava morta. Ela o ajudara a se tornar Ben Solo novamente e, ao se tornar seu eu original mais uma vez, ele sentiu que eles realmente haviam se encontrado. Como tal, ele não teve reservas quanto a sacrificar-se para trazê-la de volta dos mortos; foi a decisão mais fácil para ele tomar, acreditando que Rey merecia viver mais do que ele, e sabia que ela teria feito o mesmo por ele também.[53] Em um ato altruísta de amor, empatia e remorso, ele gentilmente devolveu a força vital que Rey havia dado anteriormente a seu corpo original, juntamente com tudo o que restava de sua alma,[49] sem hesitar ou se arrepender. Ele estava contente em saber que, por causa de suas ações, ela continuaria viva, mas seu coração realmente se preencheu de emoção ao ver que ela estava feliz por estar com ele, apesar de tudo o que ele havia feito como Ren.[53]

BenSoloHealsRey-TROS

Solo estava disposto a morrer por Rey e, como tal, ele decidiu se sacrificar para que ela pudesse viver.

O beijo que eles compartilharam o deixou com um sentimento de surpresa, curiosidade e fascínio. Foi algo inesperado para ele, já que ele previa ser rejeitado por ela novamente, mas as ações de Rey mostraram que ela realmente correspondia aos sentimentos dele por ela. Ele viu a preocupação dela por ele quando seu corpo ficou mais frio e ele sorriu para ela. Seu último pensamento foi sobre Rey quando ele desapareceu. Embora sua forma corporal tivesse sumido na Força, Rey ainda era capaz de ouvir sua voz. Ele se comunicou com ela através da Força quase imediatamente depois de desaparecer, querendo que ela soubesse que eles sempre estariam juntos.[53]

Quando se tornou Ben Solo mais uma vez, praticamente tudo o que ele acreditava como Kylo Ren mudou. Enquanto ele certa vez considerou os ensinamentos de Snoke como verdade, acreditando que a luz era fraca e o lado sombrio representava o verdadeiro poder da Força, ele no fim rejeitou tudo o que havia aprendido com as mentiras e manipulação que o desviaram do caminho Jedi. Ele sentiu desespero enquanto envolvia o corpo de Rey em seus braços, convencido de que sua vida havia sido um desperdício por causa de suas decisões. Impulsionado por seus sentimentos por Rey, a quem ele considerava a pessoa mais forte que já conhecera, Solo decidiu se sacrificar por ela em um ato de puro amor e altruísmo. Ele acreditava que isso não expiaria a escuridão de Ren, mas foi confortado em saber que ele havia devolvido Rey à galáxia.[53]

Poderes e habilidades

"Você precisa de um professor. Eu posso te mostrar os caminhos da Força."
―Kylo para Rey[fonte]
Force Stop SWD

Como seu avô, Ren era forte com o lado sombrio da Força e possuía grande habilidade com habilidades telecinéticas.

Como seu avô, tio e mãe, Kylo Ren possuía uma poderosa conexão com a Força. Ele era habilidoso no uso de telecinese, capaz de usá-la para imobilizar seres, parar e suspender tiros de blaster no ar por longos períodos de tempo e mandar indivíduos voando com um empurrão da Força. Kylo era capaz de telepaticamente torturar indivíduos (como no caso do piloto da Resistência Poe Dameron), e usar o poder de sonda mental para extrair telepaticamente informações de suas vítimas. Ren também conseguia perceber distúrbios na Força, sentindo um despertar na Força e intuindo a presença de Han Solo na Base Starkiller. Kylo Ren demonstrava um alto nível de proficiência no uso de um sabre de luz, usando a arma tanto para se defender de tiros inimigos quanto para enfrentar adversários em duelos face-a-face. Adicionalmente, Kylo tinha considerável estamina e força de vontade, além de uma grande tolerância à dor, sendo capaz de continuar a combater múltiplos oponentes apesar de ter sido gravemente ferido no lado por um tiro de balestra e de ter recebido outros ferimentos menores ao longo de seus duelos.[3]

Nos bastidores

"Eu já escrevi quatro filmes de ‘Star Wars’ agora, e nunca houve um personagem como o que o Adam interpreta."
Lawrence Kasdan[fonte]
KyloRenMural-Fathead

Imagem promocional de Kylo Ren numa postura de batalha.

Kylo Ren foi revelado pela primeira vez no primeiro teaser trailer de Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força em 28 de Novembro, 2014. O nome de Ren foi revelado pela Entertainment Weekly em um card de colecionador exclusivo. Ele também apareceu no segundo teaser trailer,[54] e em toda a merchandise de O Despertar da Força.[55] Em 4 de Maio de 2015, foi confirmado em um vídeo lançado pela Vanity Fair que Kylo Ren é interpretado por Adam Driver.

Michael Arndt afirmou que o passado de Kylo Ren surgiu da necessidade de criar um motivo para a separação dos personagens principais da trilogia original depois de Retorno de Jedi.J.J. Abrams queria que O Despertar da Força tratasse do medo que todos os pais têm de ter seu filho ir pelo mau caminho. Ele também queria que o filme contasse a história de alguém que ainda estava se tornando um vilão, e queria que eles fossem ousados com o personagem. "O único motivo para Kylo Ren ter esperança de se tornar um sucessor digno [de Darth Vader] é porque perdemos um dos mais amados personagens", ele explicou,[56] depois adicionando que "Não há nada que eu consiga pensar que seja mais odioso do que patricídio, especialmente quando se trata de Han Solo."[57]

A cena com o capacete de Darth Vader em O Despertar da Força foi originalmente a revelação dos ancestrais de Kylo. Era para acontecer antes da fuga de Finn e Poe, tendo como contexto Kylo se culpando por não ter feito nada sobre FN-2187 ter visto a luz. Porém, as editoras Mary Jo Markey e Maryann Brandon sentiram que ela vinha muito cedo e decidiram que era um desperdício de um bom momento, então elas a moveram mais para frente no filme para pressagiar a morte de Han.[58]

Um personagem parecido, Jacen Solo, apareceu na continuidade de Star Wars Legends. Como Kylo Ren, Jacen foi o filho de Han Solo e Leia Organa que foi treinado como Jedi por Luke Skywalker, também caindo para o lado sombrio e adotando um novo nome, Darth Caedus.[59] Um vilão chamado Kybo Ren apareceu na série animada de 1985 Star Wars: Droids.[60]

Matt the Radar Technician

Kylo Ren se passando por "Matt" na esquete do Saturday Night Live

No Sábado, dia 16 de Janeiro de 2016, Adam Driver apresentou um episódio da famosa série de esquetes de comédia Saturday Night Live e apareceu como Kylo Ren em uma esquete. A esquete, que abre com cenas de O Despertar da Força, apresenta o personagem numa versão do reality show Undercover Boss, se passando por "Matt", um técnico de radar investigando as operações da Base Starkiller. "Matt" se encontra com indivíduos trabalhando na base, como um oficial da Primeira Ordem cujo filho era um stormtrooper que ele matou, mas teve dificuldades de sustentar a mentira devido a sua falta de autocontrole emocional.[61][62]

Aparições

Aparições não-canônicas

Fontes


Notas e referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 Marcas da Guerra: Fim do Império
  2. 2,0 2,1 2,2 Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker
  3. 3,00 3,01 3,02 3,03 3,04 3,05 3,06 3,07 3,08 3,09 3,10 3,11 3,12 3,13 3,14 3,15 3,16 3,17 3,18 3,19 3,20 3,21 3,22 3,23 3,24 3,25 3,26 3,27 3,28 3,29 3,30 3,31 3,32 3,33 3,34 3,35 3,36 3,37 3,38 3,39 3,40 3,41 3,42 3,43 Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força
  4. 4,00 4,01 4,02 4,03 4,04 4,05 4,06 4,07 4,08 4,09 4,10 4,11 4,12 4,13 4,14 4,15 4,16 4,17 Star Wars: The Rise of Skywalker: The Visual Dictionary
  5. Star Wars Character Encyclopedia: Updated and Expanded
  6. 6,0 6,1 The Force Awakens: Head-to-Head
  7. 7,0 7,1 7,2 7,3 7,4 7,5 7,6 Legado de Sangue
  8. Darth Vader: Dark Lord of the Sith 25
  9. Rebels-mini-logo Star Wars Rebels – "A World Between Worlds"
  10. The Force Awakens Golden Book
  11. Star Wars Episódio VI: O Retorno de Jedi
  12. 12,00 12,01 12,02 12,03 12,04 12,05 12,06 12,07 12,08 12,09 12,10 12,11 12,12 12,13 12,14 12,15 12,16 Star Wars Episódio VIII: Os Últimos Jedi: Edição Expandida
  13. 13,0 13,1 13,2 Last Shot
  14. StarWars-DatabankII Han Solo no Databank
  15. 15,0 15,1 15,2 15,3 15,4 15,5 15,6 15,7 15,8 15,9 The Rise of Kylo Ren 2
  16. Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança
  17. 17,0 17,1 Han Solo: Uma História Star Wars
  18. 18,0 18,1 18,2 18,3 18,4 Ward, Jason (March 14, 2016). Secrets of The Force Awakens: A Cinematic Journey Breakdown! (em inglês)  — Making Star Wars. Acessado em March 19, 2016.
  19. Stealth Mission: Book and Model – Make Your Own X-wing
  20. Princesa Leia: Royal Rebel
  21. Star Wars: The Secrets of the Jedi
  22. 22,0 22,1 22,2 22,3 22,4 Star Wars: The Last Jedi: The Visual Dictionary
  23. 23,00 23,01 23,02 23,03 23,04 23,05 23,06 23,07 23,08 23,09 23,10 23,11 23,12 23,13 23,14 Star Wars Episódio VIII: Os Últimos Jedi
  24. 24,0 24,1 24,2 24,3 24,4 The Rise of Kylo Ren 3
  25. 25,00 25,01 25,02 25,03 25,04 25,05 25,06 25,07 25,08 25,09 25,10 25,11 25,12 25,13 25,14 25,15 25,16 25,17 25,18 25,19 Star Wars: The Force Awakens: The Visual Dictionary
  26. 26,0 26,1 26,2 The Rise of Kylo Ren 1
  27. The Force Awakens: Rey's Story
  28. 29,0 29,1 29,2 Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força (romance)
  29. Rebels-mini-logo Star Wars Rebels – "Twilight of the Apprentice"
  30. 31,0 31,1 Phasma
  31. Poe Dameron 11
  32. 33,0 33,1 33,2 33,3 33,4 33,5 33,6 33,7 Age of Resistance - Supreme Leader Snoke 1
  33. Star Wars Resistance executive producers stated at a Lucasfilm press event that the show's first season began six months before Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força, which took place in 34 ABY according to Star Wars: Galactic Atlas and ended during the events of the film itself. Ultimate Star Wars, New Edition established the show's premiere took place after the Mission to Megalox Beta. Star Wars: Scum and Villainy: Case Files on the Galaxy's Most Notorious dated that mission to 8011 C.R.C., the equivalent of 34 ABY in another dating system. This means the entirety of Star Wars ResistancePredefinição:'s first season takes place in 34 ABY.
  34. 35,0 35,1 Predefinição:Resistance
  35. 36,0 36,1 36,2 36,3 36,4 Star Wars Battlefront II
  36. 37,0 37,1 IDWStarWarsAdventuresLogoSmaller Pest ControlStar Wars Adventures 3
  37. 38,0 38,1 38,2 38,3 38,4 38,5 38,6 38,7 38,8 Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker
  38. Kaynak hatası Geçersiz <ref> etiketi; Kylo_Ren_DB isimli refler için metin temin edilmemiş
  39. 40,0 40,1 Star Wars Character Encyclopedia: Updated and Expanded
  40. Breznican, Anthony (2016-04-05). What was Kylo Ren's strange table of ashes in Star Wars: The Force Awakens? (em inglês)  — Entertainment Weekly. Acessado em 2016-04-05.
  41. TCW mini logo Star Wars: The Clone Wars – "The General"
  42. Kaynak hatası Geçersiz <ref> etiketi; Age_of_Resistance_Kylo isimli refler için metin temin edilmemiş
  43. Kaynak hatası Geçersiz <ref> etiketi; Age_of_Resistance_Hux isimli refler için metin temin edilmemiş
  44. Kaynak hatası Geçersiz <ref> etiketi; Episode_VIII isimli refler için metin temin edilmemiş
  45. 47,0 47,1 Star Wars: The Complete Visual Dictionary, New Edition
  46. Kaynak hatası Geçersiz <ref> etiketi; Epis.C3.B3dio_VIII isimli refler için metin temin edilmemiş
  47. Kaynak hatası Geçersiz <ref> etiketi; TROS_Junior_Novel isimli refler için metin temin edilmemiş
  48. Kaynak hatası Geçersiz <ref> etiketi; Resistance_Reborn isimli refler için metin temin edilmemiş
  49. Kaynak hatası Geçersiz <ref> etiketi; Edi.C3.A7.C3.A3o_Expandida isimli refler için metin temin edilmemiş
  50. Kaynak hatası Geçersiz <ref> etiketi; TROS_EE isimli refler için metin temin edilmemiş
  51. SWYTlogo Star Wars: The Force Awakens Official Teaser #2 no canal oficial de Star Wars no YouTube
  52. SWicon Star Wars: The Force Awakens Products to Arrive on 'Force Friday,' September 4 no StarWars.com (backup link no Archive.org)
  53. Breznican, Anthony (2015-12-21). We Need To Talk About Kylo (em inglês)  — Entertainment Weekly. Acessado em 2015-12-28.
  54. Davis, Erik (2016-02-26). J.J. Abrams on How Harrison Ford Reacted to That BIG Moment in 'Star Wars: The Force Awakens' (em inglês)  — Fandango. Acessado em 2016-02-27.
  55. Giardina, Carolyn (2016-01-06). 'Star Wars: The Force Awakens' Editors Explain the Timing of a Key Kylo Ren Scene (em inglês)  — The Hollywood Reporter. Acessado em 2016-01-07.
  56. Legacy of the Force: Sacrifice
  57. DroidsLogoMini Star Wars: Droids—"The New King"
  58. Carroll, Larry (January 16, 2016). ‘SNL’: Adam Driver plays Kylo Ren in hilarious ‘Undercover Boss’ sketch (em inglês)  — Zap2It. Acessado em January 17, 2016.
  59. SWicon Live from New York, It's Kylo Ren: An Interview with Tom Spina no StarWars.com (backup link no Archive.org)

Links externos

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.