Este artigo detalha um assunto considerado cânon.

Vader's revelation.png
Não. Eu sou o seu pai!
Este artigo ou seção contém spoilers de Star Wars Jedi: Fallen Order
A Star Wars Wiki pode se basear em fontes internacionais para este artigo.
Para outros usos, veja Cal.


Cal Kestis foi um humano sensível à Força que serviu como Padawan na Ordem Jedi durante as Guerras Clônicas, sobreviveu aos estágios iniciais da Ordem 66 e se tornou um Cavaleiro Jedi na era do Império Galáctico. Como um dos poucos Jedi sobreviventes ao purgo que destruiu sua Ordem, Kestis se escondeu por anos, até ter sua conexão com a Força descoberta e ser confrontado por inquisidores. Após esse incidente, passou a resistir abertamente contra o regime Imperial. Caçado por toda a galáxia pelos inquisidores, Kestis abraçou sua conexão com a Força e sua identidade enquanto Jedi mais uma vez, decidindo restaurar a Ordem.[1]

Como Padawan do Mestre Jedi Lasat, Jaro Tapal, Kestis serviu ao lado de seu mentor nas Guerras Clônicas até o Grande Exército da República trair seus oficiais Jedi, quando receberam o comando de executar a Ordem 66 do Supremo Chanceler Sheev Palpatine. Como resultado, os soldados clones do 13º Batalhão tentaram executar Kestis como traidor da República Galáctica, obrigando o General Tapal a se sacrificar para salvar seu aprendiz. Após a morte de seu mestre, Kestis viveu no planeta Bracca, trabalhando como catador de peças para a Guilda dos Sucateiros até ser descoberto pela Segunda e Nona Irmãs, duas inquisidoras.[1]

Kestis se juntou à tripulação da espaçonave Mantis Aguda após ser resgatado dos Inquisidores. Ao longo da jornada, ele se tornou amigo do droide BD-1, da ex-Jedi Cere Junda, do capitão da nave Greez Dritus e da Irmã da Noite Merrin. Juntos, eles tentaram localizar o holocron Jedi do mestre Eno Cordova, que continha informação vital para formar uma nova geração de Jedi. Apesar de conseguirem resgatar o holocron e sobreviver a um encontro com o Lorde Sith Darth Vader, Kestis escolheu destruir o holocron para proteger as crianças sensíveis à Força dos Sith. Durante esse período, Kestis foi reconhecido como um Jedi completamente treinado por sua nova mentora, Cere.[1]

Biografia

Primeiros anos

Cal Kestis foi um jovem membro da Ordem Jedi durante os últimos anos da República Galáctica. Durante seu treinamento para se tornar um Jedi, Kestis viajou com Grão-Mestre Yoda para o planeta gelado de Ilum e participou da Coleta, um rito de passagem em que todos os Jedi iniciados encontravam um cristal kyber para construir seus sabres de luz. Ele eventualmente se tornou Padawan do Mestre Jedi Jaro Tapal. Nas sessões de treinamento com seu mestre, Kestis foi ensinado que, com persistência e tendo a Força como aliada, superaria qualquer obstáculo. Além disso, foi posteriormente treinado a usar seu poder de telecinesia.[1]

Guerras Clônicas

Durante o período das Guerras Clônicas, Kestis, assim como muitos outros Padawans, serviam ao Grande Exército da República como Comandante Jedi enquanto treinava como Padawan sob o comando do General Jedi Jaro Tapal. Após sua missão bem-sucedida em Bracca, Kestis e seu mestre se preparavam para se dirigir a Mygeeto quando o Supremo Chanceler Sheev Palpatine iniciou a Ordem 66, declarando todo Jedi inimigo do Estado.[1] A bordo do Destróier Estelar classe Venator Albedo Valente, os soldados clones do 13º Batalhão[3], que serviam lealmente a seus líderes Jedi, subitamente se voltaram contra eles, determinados a matá-los.[1]

Buscando escapar, Kestis conseguiu evitar a maior parte dos clones ao caminhar escondido por entre as passagens de manutenção enquanto Tapal sabotava o reator da nave, assegurando assim a destruição iminente do Destróier Estelar. Apesar de perder seu primeiro sabre no processo, Kestis conseguiu alcançar as cápsulas de fuga junto com seu mestre, mas os dois foram atacados por clones enquanto tentavam evacuar a nave. Tapal foi atingido por múltiplos tiros e em um instante de forte emoção, Kestis usou seu poder na Força para paralisar os atacantes por segundos, tempo suficiente para se dirigir junto com seu mestre para o interior de uma das cápsulas de fuga. Embora tenham sido bem sucedidos em escapar, Tapal faleceu devido aos ferimentos adquiridos e Kestis recebeu um pequeno corte em sua mandíbula. O jovem Padawan não foi capaz de salvar a vida de seu mestre, que morreu implorando a seu pupilo que continuasse leal aos caminhos dos Jedi, esperasse um sinal do Alto Conselho Jedi e confiasse apenas na Força. Kestis, que manteve posse do sabre de luz de seu mestre, ficou traumatizado por esses eventos.[1]

Era do Império

Fuga de Bracca

Nos cinco anos após a ascensão do Império Galáctico, Kestis permaneceu escondido para escapar do purgo que matou a maioria de seus companheiros Jedi. Ele encontrou trabalho em Bracca ao se juntar a Guilda dos Sucateiros como catador de peças, ao mesmo tempo que o Império consolidava seu domínio sobre a galáxia. Certo dia, Kestis e seu amigo Abednedo Prauf estavam trabalhando e, quando um acidente colocou a vida de Prauf em risco, Cal foi forçado a usar a Força para salvá-lo. Contudo, sua atitude não passou despercebida e atraiu a atenção dos Inquisidores Imperiais, um grupo de usuários do Lado sombrio da Força com o objetivo principal de caçar e eliminar Jedi sobreviventes. Duas inquisidoras foram enviadas para encontrar Kestis - a Segunda e a Nona Irmãs - e, após matar brutalmente Prauf, que falava sobre sua indignação quanto ao Império, a Segunda Irmã sofreu a reação de Kestis, que a atacou com um sabre de luz, revelando-se um Jedi. A inquisidora se defendeu do ataque com seu sabre e usou a Força para empurrá-lo para a Nona Irmã, que o suspendeu no ar. Kestis conseguiu escapar e caiu em cima de um trem que passava por ali, apenas para ser descoberto e ter de fugir mais uma vez.[1]

Cal foi salvo por dois indivíduos, a humana Cere Junda e o Latero Greez Dritus, após ter confrontado a Segunda Irmã em um duelo de sabres de luz. Perseguido pelo Império, Kestis procurou reestabelecer sua conexão com a Força e completar seu treinamento Jedi. Junda revelou-se uma ex-Cavaleira Jedi disposta a restaurar a Ordem Jedi. Ela também falou que, a fim de alcançar esse objetivo, eles deveriam viajar para o planeta Bogano para recuperar um holocron Jedi contendo uma lista das crianças sensíveis à Força espalhadas pela galáxia. Este holocron estava localizado dentro de um cofre que apenas um Jedi poderia acessar ao usar a Força.[1]

O Cofre

Após chegar a Bogano para entrar no cofre, Kestis encontrou um droide amigável, BD-1, que o ajudou a completar sua jornada. Após se prender em uma caverna, Cal conseguiu aprofundar sua conexão com a Força e, por necessidade, reaprendeu a habilidade de correr pelas paredes no processo. Agora capaz de escapar da caverna, ele se dirigiu para o cofre. Ao chegar no destino, BD-1 projetou a mensagem do Mestre Jedi Eno Cordova, que explicou os detalhes do holocron e revelou que, para acessá-lo, Kestis deveria encontrar as tumbas de três magos Zeffo. Com a ajuda de BD-1, o jovem Jedi continuou sua jornada para reconstruir a Ordem. Durante a volta para a nave, Kestis encontrou um mural que fez BD-1 projetar outra mensagem de Cordova, na qual falou que os Zeffo possuíam um interesse no planeta Dathomir. Ao retornar, Cal contou sobre o holocron e descobriu que Cordova havia sido o mestre de Junda. Como Greez não sabia o que um holocron era, Junda mostrou um que ela possuía e pediu a Kestis para usar a Força a fim de abri-lo. Cal abriu e a mensagem contida era a do Mestre Jedi Obi-Wan Kenobi anos atrás enviada para avisar os Jedi sobreviventes a se manterem distantes do Templo Jedi e de Coruscant. Kestis logo finalizou a mensagem e questionou Cere o motivo de ela não ser mais uma Jedi. Junda explicou que teve uma experiência que mudou sua perspectiva, mas que acreditava no retorno da Ordem Jedi como a melhor opção para derrotar o Império, e indagou a Cal sobre o que ele acreditava. Kestis acreditava que não poderia se esconder do Império para sempre, então pensou que não tinha outra escolha senão participar da missão, mas Junda disse que, enquanto ele estivesse vivo, sempre teria uma escolha. Greez falou que seria Kestis quem escolheria o próximo local para onde iriam, Dathomir ou Zeffo. Decidindo se levantar contra o Império, Kestis pôs-se a caminho de Zeffo.[1]

As tumbas de Zeffo

Em Zeffo, Kestis descobriu que o Império ocupava o planeta buscando encontrar antigos artefatos. A diretiva, com o codinome de "Projeto Auger", foi cancelada após tempestades magnéticas e fauna hostil se mostraram obstáculos muito difíceis para o Império lidar. Kestis, guiado pela Força, foi capaz de entrar na Tumba de Eilram para procurar a mensagem deixada por Cordova. Dentro da tumba, Cal encontrou outra gravação holográfica de Cordova dizendo para viajar para Kashyyyk e encontrar o Chefe Wookiee Tarfful. Pouco antes de sair do Zeffo, a Mantis foi atacada e Kestis destruir um AT-ST.[1]

Primeira visita a Dathomir

Após chegar em Dathomir, Kestis e BD-1 se depararam com uma Irmã da Noite, que exigiu que os dois saíssem do planeta imediatamente. Ao recusarem a ordem, ela comandou Irmãos da Noite a atacá-los. Instantes depois de escapar dessa ameaça, Kestis encontrou um andarilho, que disse estudar as ruínas dos Zeffo.[1]

Ajudando os insurgentes em Kashyyyk

Depois de pousar em Kashyyyk, a tripulação da Mantis se encontrou envolvida em um conflito entre o Império e um nascente grupo de rebeldes. Kestis tomou posse de um AT-AT Imperial e destruiu um grande número de forças imperiais. O insurgente rebelde Saw Gerrera tomou nota das ações de Kestis e pediu sua ajuda para libertar o planeta. Saw e seus partidários estavam no meio da campanha para libertar uma refinaria de seiva de wroshyr. Com a possibilidade de Tarfful ser um dos Wookiees detidos lá, Kestis e BD-1 concordaram em ajudá-lo.[1]

Após resgatar os Wookiees aprisionados e tomar a refinaria do Império, Kestis ouviu o discurso da rebelião de Saw e recebeu um convite para se juntar aos Partidários. Ele recusou por não poder abandonar sua missão atual, mas Gerrera disse que o convite permaneceria. Kestis ainda não tinha informações sobre o paradeiro de Tarfful. Felizmente Choyyssyk, um dos Wookiees que Cal ajudou a libertar, havia lutado ao lado de Tarfful no passado. Ele e a humana Mari Kosan, membro dos guerrilheiros de Saw, concordaram em encontrar Tarfful para Kestis. Entretanto, assim que ele recebeu essa notícia, Junda descobriu uma transmissão imperial revelando que o Império estava perto de desenterrar outra tumba em Zeffo.[1]

Retorno a Zeffo

Após Kestis voltar para Zeffo a fim de impedir que o Império adentrasse ainda mais na tumba de Miktrull, ele caiu em uma armadilha arquitetada pela Segunda Irmã. Ela revelou ser Trilla Suduri, ex-Padawan de Cere Junda. Após um perigoso duelo, Suduri pareceu estar vencendo, mas antes de poder derrotar Kestis, BD-1 interviu e ativou um campo de laser entre os dois que não poderia ser destruído por sabres de luz. Quando Cal escapou para a Tumba de Miktrull, ele tentou contatar Junda mas foi interrompido pela Segunda Irmã hackeando seu comunicador.[1]

Finalizada a exploração da tumba, Cal subiu até um sarcófago. No entanto, as tropas da Segunda Irmã haviam-no alcançado e a inquisidora ordenou suas forças para atirar no sarcófago para destrui-lo. Encontrando-se em uma queda livre mortal, Kestis mais uma vez foi capaz de aprofundar sua conexão com a Força e pôde atrair seu sabre, que havia se separado dele, de volta a si no tempo oportuno, chegando ao solo com segurança. Enquanto saía da tumba, Kestis e BD-1 encontraram outra gravação encriptada de Cordova, que explicava como a chave para o cofre de Bogano era um aparelho chamado Astrium, algo que Cal deveria encontrar. Antes de poder retornar a Mantis, Kestis foi capturado por um caçador de recompensas da Ninhada de Haxis.[1]

Ao acordar, Kestis se encontrou aprisionado e BD-1 tinha desaparecido. Após escapar e encontrar BD-1, Kestis descobriu que havia sido capturado pelo infame Sorc Tormo e foi forçado a lutar em uma arena brutal. Cal lutou contra várias criaturas diferentes, cada uma mais perigosa do que as anteriores, e venceu-as todas, além do caçador de recompensas que capturara e roubara BD-1 anteriormente. No clímax da batalha, a Mantis irrompeu dos céus no esconderijo da Ninhada de Haxis para resgatar o jovem Jedi. Ao embarcar na nave, contudo, Kestis não agradeceu imediatamente aos seus companheiros. Ele havia descoberto que a Ninhada o encontrou porque Dritus mentiu sobre ter quitado todas suas dívidas. Além disso, também estava em conflito com a revelação de que Junda havia traído Suduri sob tortura imperial e a entregue ao Império. A discussão entre Cal e Cere foi interrompida assim que receberam a notícia dada por Mari Kosan de que Tarrful havia sido encontrado nas Terras Sombrias e concordado em encontrar Kestis.[1]

A jornada da Árvore da Origem

Em seu caminho para Kashyyyk, Dritus aproximou-se Kestis pedindo para ele ser mais brando com Junda. Pousando no planeta florestal, eles encontraram os remanescentes da resistência, que fora quase completamente destruída pela Segunda Irmã. Ao encontrar Mari, Kestis soube por ela que Saw havia deixado o planeta e dividido suas forças. Após lutar por todo o caminho até a refinaria recapturada, Kestis e BD-1 reagruparam-se com Mari e Choyyssyk a fim de se reunirem com Tarfful. O Wookiee disse para Cal escalar a Árvore da Origem e Kosan deu ao Jedi um respirador para ajudá-lo em seu objetivo, dizendo que ele poderia encontrar alguma rota a partir das raízes submersas da árvore. Depois disso, os dois grupos se separaram.[1]

Escalando a Árvore da Origem, Kestis e BD-1 encontraram um pássaro Shyyyo ferido. Após curá-lo, foi dada a eles permissão de livre acesso ao topo da Árvore da Origem, onde descobriram que Cordova havia encontrado um Astrium Zeffo ali anos antes e que a tumba de Dathomir poderia conter outro. No momento em que desciam, a Nona Irmã apareceu e os atacou. Após uma batalha feroz, Kestis emergiu vitorioso ao cortar a mão da inquisidora e empurrando-a para perto de uma árvore. O pássaro Shyyyo então carregou Cal e BD-1 até o solo e Kestis retornou a Mantis para seguir rumo a Dathomir.[1]

Testes em Dathomir

Retornando a Dathomir, Cal e BD-1 estavam quase entrando para a próxima tumba, mas os dois sofreram uma emboscada por Irmãos da Noite. Enquanto eles eventualmente venceram a batalha, foram forçados a andar pelos perigosos pântanos Dathomirianos. A dupla foi mais uma vez encontrada, agora pela Irmã da Noite Merrin, que começou a levantar Irmãs da Noite zumbis dos mortos para atacá-los à medida que os dois prosseguiam em seu caminho. Dentro de uma caverna escura, BD-1 encontrou garras de escalada no corpo de uma Irmã da Noite. Antes que Kestis pudesse pegá-las, ele e o droide foram atacados pelo monstruoso Gorgara. Depois de ter feito a criatura recuar uma vez, Cal logo a viu retornar para continuar a luta. Uma intensa batalha aérea culminou em uma queda devastadora que matou Gorgara e Kestis pôde retornar a sua jornada.[1]

Após duelar os companheiros de Merrin, Kestis e BD-1 finalmente entraram na tumba, onde o Jedi experienciou uma visão do passado no qual lembrou o sacrifício de seu mestre Tapal para protegê-lo de soldados clones durante o início do Purgo. Kestis então foi atacado pelo espírito de Jaro, resultando na destruição de seu sabre de luz. Derrotado e abalado, Cal tentou escapar de volta a Mantis, mas no caminho encontrou o andarilho com quem já tinha conversado. Ele se revelou ser Taron Malicos, um ex-Jedi que passou a estudar o Lado Sombrio da Força. Taron pediu a Cal que se juntasse em sua busca por poder mas foi interrompido por Merrin. Ela invocou uma horda de zumbis para destruir os dois e Kestis escapou com dificuldades. Após essa experiência, Junda aconselhou a Cal construir seu próprio sabre de luz.[1]

O Templo Jedi em Ilum

Junda deu a Kestis a empunhadura de seu sabre, embora seu cristal kyber tivesse sido vendido anos antes para quitar as dívidas de Dritus. Em Ilum, Cal lembrou de ter estado no planeta anteriormente com Yoda quando era mais jovem a fim de encontrar um cristal kyber para construir seu primeiro sabre de luz. Kestis lembrou de já ter adentrado as cavernas e seguiu o chamado de seu cristal ao longo da rachadura em uma parede de gelo. O gelo abaixo de Cal e BD-1 se quebrou e os dois caíram em um poço de água gelada. BD-1 salvou Cal bem a tempo e seu cristal, logo após ser encontrado, se dividiu em dois. O jovem Jedi, abatido pelo fracasso, indicou que estava pronto para desistir, o que provocou uma resposta de BD-1: o droide mostrou uma gravação de Cordova revelando que BD-1 havia sacrificado suas memórias para armazenar gravações vitais para a jornada de Kestis. Cal combinou os cabos dos sabres de Junda e Tapal, criando um novo sabre de luz duplo.[1]

Ao sair das cavernas, Kestis descobriu uma operação de mineração massiva imperial em Ilum, criada para extrair os cristais kyber do planeta. Enquanto Cal e BD-1 lutavam durante o percurso de volta a Mantis, Junda bloqueava comunicações do Império para impedir os imperiais no planeta de pedir reforços. O Império eventualmente reverteu o bloqueio, mas Cere conseguiu ganhar tempo suficiente para Cal e Kestis retornarem à nave. Estando completa, a tripulação da Mantis escapou de volta a Dathomir.[1]

Recuperando o Astrium e o holocron

Em Dathomir, Kestis deparou-se novamente com o fantasma de seu mestre. Ele entendeu que a única forma de derrotar Tapal seria aceitar seu passado e seguir em frente. O jovem Jedi ajoelhou-se diante do espectro de Jaro, que então desapareceu. Enquanto Kestis e BD-1 se dirigiam para a Tumba de Kujet, os dois encontraram Merrin. Dessa vez, ela estava disposta a conversar. Tentando convencê-la, Cal insistiu que Malicos havia mentido para ela sobre os Jedi. Naturalmente, a Irmã da Noite foi cética. Em seguida, Kestis chamou Malicos de Jedi caído e passou seu sabre de luz a ela como sinal de confiança, afirmando que possuir tal arma não fazia de alguém um Jedi e explicando o papel da Ordem como mantenedora da paz antes de serem traídos e caçados até a extinção. Em contrapartida, Kestis descobriu que Merrin poderia ser a única sobrevivente do massacre contra as Irmãs da Noite liderado pelo General Grievous durante as Guerras Clônicas. Ele então simpatizou com sua perda e disse que Taron havia errado em usar isso contra ela.[1]

Devolvendo seu sabre de luz, Merrin permitiu que Kestis continuasse sua jornada e avisou que Malicos se encontrava mais à frente. Taron tentou convencer Cal outra vez a juntar-se a ele, mas atacou quando sua oferta foi recusada. Após Malicos começar a vencer o duelo, Merrin interveio, atingindo-o com magia. Kestis e Merrin em seguida juntaram esforços para derrotar Taron e a Irmã da Noite o enterrou vivo. Cal revelou então que foi para Dathomir à procura de um Astrium e Merrin concordou em ajudá-lo. Desejando conhecer mais a galáxia e almejando um futuro para seu povo, ela se juntou à busca de Kestis. Após os dois encontrarem o dispositivo, a tripulação se colocou a postos para retornar a Bogano e recuperar o holocron.[1]

Em Bogano, Kestis e BD-1 levaram o Astrium até o Cofre e abriram o holocron. Nesse momento, Cal teve uma visão de um possível futuro caso ele mantivesse o holocron consigo e o usasse. Ela mostrava younglings treinando e o chamando de mestre, sendo emboscados pelo Império pouco depois. Seguiram-se então tortura e morte e Kestis viu a si mesmo rendendo-se a Segunda Irmã para salvar a vida de seus Padawans, decisão esta que o transformaria em um inquisidor. Quando Cal acordou, a Segunda Irmã estava diante dele. Após um longo duelo, Kestis retirou o sabre das mãos da inquisidora e o atraiu para si com a Força. Logo depois, ele recebeu um eco da Força mostrando os eventos que levaram a Suduri se tornar a Segunda Irmã: sua tortura e queda, além de Junda usando o Lado sombrio após ser torturada e delatar onde sua Padawan estava escondida. Quando Cal voltou a si, a Segunda Irmã e o holocron haviam desaparecido. Kestis retornou à Mantis , contou o ocorrido a Junda e se reconciliou com ela ao se desculpar pelo seu comportamento anteriormente e dizer entender o que ela e Suduri haviam passado em sua visão. Cere então revelou a Cal o local onde a Segunda Irmã deveria ter levado o holocron: a Fortaleza inquisitorial no planeta Nur, para onde os Jedi capturados pelo Império eram enviados a fim de se tornarem inquisidores e de onde Junda havia escapado. Por fim, ela se conectou novamente à Força, tomou o sabre de luz da Segunda Irmã, que ainda estava sob posse de Cal, e tornou Kestis um Cavaleiro Jedi.[1]

Encontro com Darth Vader

Já em Nur, Kestis e Junda se infiltraram na fortaleza submersa para recuperar o holocron,tomando direções opostas. Cal venceu todas as forças imperiais em seu caminho e viu Junda derrotar três Soldados do Purgo usando a Força e o sabre da Segunda Irmã quando a encontrou, o que o deixou impressionado. Cere então acessou um console para localizar o holocron. Kestis perguntou se havia algum sinal de Trilla e Junda negou antes de informar que o holocron estava na câmara de interrogação. Cal dirigiu-se à câmara enquanto Junda impediria a entrada de reforços imperiais, desviando sua rota. Ao entrar na câmara, Kestis sofreu um ataque da Segunda Irmã, que havia adquirido outro sabre de luz idêntico ao anterior. Enquanto os dois bloqueavam a lâmina de seu oponente, Cal contou a Trilla que sabia do sofrimento pelo qual ela passou e que não era tarde demais para redimir-se. A inquisidora rebateu, contudo, afirmando que havia se tornado mais forte devido à dor e sabia que Kestis retornaria a ela por conta do holocron, mas ele não sairia dali vivo. Ao fim do duelo, Cal conseguiu derrotá-la ao atingir seu ombro direito com o sabre, deixando-a de joelhos e desarmada. Kestis recuperou o holocron e viu, nesse mesmo instante, Junda entrar na câmara. Ao se deparar com a cena, ela tentou redimir sua antiga Padawan, buscando convencê-la a deixar de lado sua raiva. Diante disso, a Segunda Irmã começou a falar do ódio que havia alimentado por Cere desde quando fora entregue ao Império mas se interrompeu quando sentiu e ouviu o Lorde Sombrio dos Sith Darth Vader se aproximar dela por uma entrada elevada do outro lado da câmara. Quando Vader pulou para o nível onde Kestis, Junda e Suduri estavam, os dois primeiros ativaram seus sabres de luz em resposta à ameaça que o Lorde Sombrio representava. Vader caminhou em direção à inquisidora enquanto expressava seu desapontamento e ativou o seu sabre. Sentindo que seus últimos momentos de vida estavam próximos, a Segunda Irmã rapidamente gritou "Vingue-se por nós!" para Kestis e Junda antes de morrer pelo sabre de Vader.[1]

Junda mandou Cal escapar com o holocron para longe dali e correu em direção a Vader com o sabre da Segunda Irmã ativado para confrontá-lo. Essa tática se mostrou ineficaz, visto que o Lorde Sith foi capaz de lançá-la para o abismo da Fortaleza atrás dele com um simples gesto aliado à telecinesia. Tendo a sua frente Cal sozinho e superado em poder, Vader falou ao jovem Jedi que seria sábio render-se. Apesar de sentir a ameaça que Vader representava e concordar com seu aviso, Kestis não recuou e tentou lutar contra o Lorde Sombrio. Vader defendeu-se facilmente de seus ataques e o puxou em direção a si, enquanto o enforcava usando a Força. Antes de Vader poder matá-lo, Cal tentou escapar do Sith ao usar a Força para fazer parte das máquinas presas no teto próximas a ele atingirem o Lorde Sombrio. Entretanto, Vader conseguiu evitar o ataque sem muito esforço antes de jogar Kestis para o chão fora da sala. Enquanto o Jedi se reerguia, Vader jogou a parte do teto arrancada por Kestis em sua direção, forçou a permanecer aberta a porta da câmara que separavam os dois oponentes e estava se fechando, além de ter arrancado do chão partes do piso e lançado-as em Cal. Percebendo que não conseguiria derrotar Vader ou mesmo sobreviver a um confronto contra ele, Kestis se pôs a correr para longe do Lorde Sith e alcançou o turboelevador do outro lado do salão com muito esforço enquanto stormtroopers atiravam nele e Vader usava a Força para destruir o caminho por onde Cal passava. O Jedi, então, alcançou os níveis superiores da fortaleza para escapar do Sith.[1]

Pouco depois, tentando sair da fortaleza, Kestis abriu uma porta e encontrou Vader já esperando por ele. O Lorde Sombrio conseguiu empurrá-lo com seu sabre e deixá-lo cambaleando, o que resultou nos dois bloqueando a lâmina de seu oponente. Quando Vader estava aos poucos vencendo Cal no duelo, BD-1 deu um choque no Sith e forneceu ao seu amigo Jedi a oportunidade de apunhalá-lo com seu sabre de luz. Vader impediu que o sabre entrasse completamente em seu estômago e usou a Força para empurrar Kestis para longe. Cal tentou usar a Força para trazer seu sabre para junto de si novamente, porém Vader o parou no ar, o ativou e usou a arma para ferir Kestis nas costelas. Quando Vader se preparava para dar o golpe final, sentiu Junda se aproximando para atacá-lo. Ela sobrevivera de alguma forma e escapara do abismo em que havia sido jogada. Isso distraiu o Lorde Sombrio tempo suficiente para salvar Cal, que então se juntou a Cere para confrontar Vader. O Sith, então, rapidamente começou a vencer no duelo, contudo Junda se permitiu usar o Lado Sombrio da Força por um instante para atrasá-lo. Ao sentir a raiva nela, Vader tentou convencê-la a ceder totalmente ao Lado Sombrio enquanto se aproximava da dupla. Kestis, no entanto, conseguiu evitar que sua amiga cedesse ao lembrá-la de que ela ainda possuía uma escolha. Enquanto Vader atacava com seu sabre de luz, Cere criou uma bolha no ar protegendo a ela e Cal para defender-se. Ao ver quão facilmente tal defesa poderia falhar, visto que Vader conseguia passar seu sabre lentamente através da proteção, Kestis usou a Força para destruir uma das paredes de vidro já danificadas que separavam o trio do oceano do lado de fora. Vader foi forçado a conter a água que passou a entrar no local em vez de derrotar Kestis e Junda, que conseguiram escapar no meio do caos mergulhando no oceano por meio do rombo criado. Cal colocou uma máscara em Cere e começou a nadar até a superfície enquanto segurava Junda, que ficara inconsciente durante o escape. Kestis começou a perder consciência por não conseguir respirar e quase se afogou, mas ambos foram salvos por Merrin. [1]

Kestis acordou a bordo da Mantis com Greez ao seu lado e foi ao encontro dos outros membros de seu time. Kestis foi recebido com um abraço por Merrin, o que causou dor devido a seu ferimento infligido por Vader. Tendo consigo o holocron em segurança, Cal usou a Força para abri-lo. No entanto, após a visão desagradável que teve em Bogano, ele decidiu destruir o holocron para manter as crianças naquela lista a salvo do Império e confiou seus destinos à Força antes de perguntar para sua equipe qual seria o próximo lugar onde iriam. [1]

Personalidade e traços

Cal Kestis era um humano do sexo masculino que serviu a Ordem Jedi como Padawan antes da Ordem 66 ser anunciada. Durante o tempo lutando ao lado do 13º Batalhão nas Guerras Clônicas, Kestis e os clones do batalhão desenvolveram uma relação bastante amigável e a traição deles devido à Ordem 66 deixou-o visivelmente abalado emocionalmente. Após a queda dos Jedi, Cal passou a trabalhar como catador de peças na Guilda dos Sucateiros, um esforço perigoso e que demandava fisicamente. Kestis tinha uma clara ética de trabalho e senso de humildade. Ele geralmente era mais reservado, quieto e diligente.[2]

Usualmente recusava falar de seu passado, enquanto era assombrado por ele. Sentia que poderia ter salvo seu mestre se tivesse seguido os ensinamentos dele. Tendia a reagir com raiva ou ignorar seu passado quando era trazido à tona. Eventualmente, Cal começou a ser mais aberto sobre sua história e, quando foi confrontado pelo Lado Sombrio em Dathomir uma segunda vez na forma de seu mestre, ele aceitou completamente seu passado e amadureceu com a experiência. A partir de então passou a agir de modo muito mais sábio e calmo, quase como a figura de um mentor aos outros.[1]

Cal demonstrava grande respeito e compaixão pela natureza. Quando visitou Kashyyyk pela segunda vez, ele encontrou um pássaro Shyyyo machucado e tratou seus ferimentos. Quando a ave o ajudou a atingir seu destino, Kestis ficou feliz em ver que muitas belezas naturais no planeta não haviam sido ainda destruídos pelo Império. Em Dathomir, o Jedi mostrou um respeito admirável por formas de vida. Foi atacado por um quirodáctilo que insistentemente o tentava matar, mas depois de derrotá-lo, Cal lamentou sua morte e disse que desejava poder dizer que a criatura estava bem, apesar de tentar matá-lo.[1]

Kestis era extremamente altruísta, frequentemente colocando as necessidades dos demais à frente das suas. Durante seu tempo escondendo-se em Bracca para evitar ser encontrado pelo Império, quando seu amigo Prauf quase morreu em um acidente, Cal usou a Força para salvá-lo mesmo sabendo do risco de sua identidade Jedi ser descoberta. Quando, tempos mais tarde, ele recuperou o holocron da Segunda Irmã em Nur, decidiu destrui-lo para manter as crianças sensíveis à Força a salvo do Império, mostrando preocupação e zelo com aqueles que nunca havia encontrado.[1]

Poderes e habilidades

Habilidades com o sabre

Enquanto Padawan, Kestis originalmente possuía um sabre de luz azul de lâmina única até perdê-lo no duto de um turboelevador enquanto tentava defletir tiros de blaster de clones. Em um pod de escape, Tapal deu a Kestis seu sabre de luz danificado e o jovem guardou-o consigo até o cristal quebrar em Dathomir cinco anos mais tarde. Usando o que sobrara dessa arma, aliado ao sabre de Junda e a um novo cristal kyber adquirido em Ilum, Cal construiu um sabre de luz de lâmina dupla que poderia ser separado em dois sabres. Assim como todos os Jedi, o treinamento de Kestis tornou-o altamente atlético além dos limites de seres normais, vantagem que ele usava para atravessar terrenos difíceis ou acidentados e derrotar vários oponentes com facilidade.[1]

Enquanto ele progredia em sua jornada, Kestis tornou-se significativamente mais competente no manuseio de seu sabre de luz e demonstrou impressionante habilidade no combate com sabre de luz de lâmina única, dupla ou com dois sabres. Sua habilidade eventuamente alcançou um ponto em que ele poderia alternar entre essas três formas durante uma batalha, utilizando sequências de ataques nos quais ele constantemente mudaria a configuração de sua arma para manter seus oponentes desequilibrados. Com seu treinamento, Kestis também pôde defender-se e resistir aos ataques de Inquisidores imperiais e derrotar os soldados do Purgo que os acompanhavam. Seus dois primeiros encontros com a Segunda Irmã resultaram em sua derrotam nas ele conseguiu escapar com vida em ambas as ocasiões: a Segunda Irmã até mesmo o elogiou por sua evolução na segunda luta, afirmando que a perfomance de Kestis não era má. Após restaurar parcialmente sua conexão com a Força, que fora afetada pelos eventos posteriores à Ordem 66, ele provou ser capaz de derrotar a Nona Irmã em Kashyyyk. Também lutou contra o ex-Mestre Jedi Taron Malicos, mas ao final suas habilidades não foram suficientes para vencê-lo sozinho. A proficiência de Malicos com o sabre de luz era facilmente equiparável à de Cal mas ele o superava no uso da Força e, por isso, Kestis precisou da ajuda de Merrin para derrotá-lo. Quando Cal encontrou-se com a Segunda Irmã em mais duas ocasiões - uma em Bogano e outra em Nur-, suas habilidades haviam se desenvolvido ainda mais. Na primeira, ele chegou em um empate antes de enganar a inquisidora ao desativar subitamente seu sabre para vencê-la. Na segunda e última luta, pôde derrotá-la em definitivo ao incapacitá-la por ferir seu ombro direito, o que mostrou como sua proficiência com o sabre havia evoluído. No entanto, ele não era um oponente à altura de Darth Vader quando os dois duelaram em um combate de sabres. Kestis conseguiu defender-se dos ataques do Lorde Sith com dificuldade e bloquear um de seus golpes por tempo suficiente para BD-1 eletrocutar Vader, dando a Cal a abertura que precisava para apunhalá-lo no estômago. Porém, falhou em derrotar Vader e foi rapidamente desarmado, sobrevivendo ao encontro por fugir com Cere do local onde estava.[1]

Poderes da Força

Equipamento

Jedi.png Este artigo é um esboço de um Jedi. Você pode ajudar o Star Wars Wiki expandindo-o.


Aparições

Fontes

(primeiro retrato)


Notas e referências

As seções "Aparições" e "Fontes" foram importadas e traduzidas automaticamente do artigo em inglês pela Interface de Criação de Páginas. Consulte o histórico do artigo original para identificar os autores.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.