FANDOM


Eras-legends

30px-Era-leg

"Eu sou o Império"
―Roan Fel

Roan Fel foi um Humano que serviu como o terceiro imperador da dinastia Fel que comandou o Império Fel, e neto de Jagged Fel, que foi o chefe do Conselho Moff após a Segunda Guerra Civil Galáctica, e mais tarde o primeiro governante do Império. Ele também era um Cavaleiro Imperial, parte de uma organização sensível à Força que rejeitava o lado negro.

Após a Guerra Sith-Imperial, ele assumiu o controle do Império Fel em Coruscant; No entanto, logo foi deposto por Darth Krayt, que fundou seu próprio Império Sith em Coruscant. Fel tomou o controle do mundo lealista do Bastião sete anos depois, e na Segunda Guerra Civil Imperial, ele liderou outros leais como chefe do Império no exílio, o que se opunha ao governo de Krayt. Fel falou de uma aliança com Gar Stazi, o líder do rematismo da Aliança Galáctica, bem como os membros fugitivos da Nova Ordem Jedi. No entanto, durante a batalha final acima de Coruscant, Fel deu no lado escuro quando tentou usar uma arma biológica Sith para matar toda a vida no planeta, forçando Antares Draco a matá-lo. Na sequência da vitória subseqüente dos aliados sobre os Sith, Fel foi mais tarde chateado durante uma solene cerimônia no Recuperado Coruscant. No entanto, os detalhes de sua morte foram cobertos por razões políticas.

Biografia Editar

Vida Inicial Editar

Um totalmente treinado Cavaleiro Imperial, o mestre de Draco Antares, e um poderoso líder político e militar, Fel manteve a mesma política de seu avô, acreditando na vitória sem guerra. Empora acreditasse que a única forma de manter a ordem era governando com mão firme, não foi um tirano, pois partilhava os ideais dos Jedi. A fim de manter o seu poder básico e controlar o Império, ele constantemente jogou os membros do Conselho Moff uns contra os outros, garantindo assim que não iriam unir forças contra ele. No entanto, o cenário político do Império seria alterado pela guerra.

Antes da Guerra Imperial-Sith, manteve as condições de não-agressão com a Aliança Galáctica do Tratado de Anaxes e recebeu vários Jedi em seu tribunal.

Guerra Imperial-Sith Editar

"Roan Fel nunca abraçou a guerra ou a idéia de uma única galáxia. Ele foi junto com ela como uma necessidade política. Isso não é o que o Império, o que a galáxia precisa."
Darth Krayt[fonte]

Em algum momento antes de 127 ABY, a Aliança Galática concordou com o Projeto Osuus, uma tentativa por parte do Nova Ordem Jedi para usar a tecnologia de terraformagem dos Yuuzhan Vong para desfazer os danos que os Yuuzhan Vong tinha causado a um número de mundos durante sua guerra com a galáxia. Inicialmente, o projeto estava indo suavemente. Mas foi logo sabotada pela nova Ordem Sith. Não sabendo disso, muitas pessoas lançaram as culpas sobre os Vong, acreditando que eles estavam recomeçando sua cruzada contra a galáxia. A Aliança, sob exortações dos Jedi, defendeu os Vong, que causou o fim do apoio de muitos mundos à Aliança. Fel reuniu-se com o mestre Jedi Kol Skywalker e prometeu suspender a mão do império, enquanto Skywalker tentava provar que o projeto fora sabotado. Mas o Conselho Moff, vendo a oportunidade de restabelecer o controle Imperial sobre a galáxia, invocou o Tratado de Anaxes e declarou guerra numa fraca Aliança Galática.

Roan Fel, incapaz de ignorar o poder do Conselho Moff de declarar a guerra, relutantemente foi para a guerra com o apoio do nova Ordem Sith . Ao contrário de Darth Krayt e alguns no Conselho Moff, o Imperador não via a guerra como meio para atingir uma grande agenda ideológica. Pelo contrário, viu-a como uma necessidade política infeliz, o melhor curso de ação para o Império em uma galáxia incomodada. Embora aliados com os Sith, Fel não tinha desejo de ver os Jedi exterminados. Ele ainda proibia seus Cavaleiros Imperiais de combater na guerra.

Três anos mais tarde, a guerra tinha acabado. A Aliança caiu com a derrota em Caamas e a conquista de Coruscant. Foi apenas com a guerra acabada que ele percebeu que o Império tinha sido manipulado para a guerra pela nova Ordem Sith e o seu aliado no Conselho, Nyna Calixte. Quando a guerra terminou, Fel pediu aos Jedi para renunciarem, e alguns deles o fizeram, mas a maioria da Ordem recusou. Fel os mandou a uma missão diplomática para Ossus, mas Moff Rulf Yage e Darth Nihl prejudicaram suas ordens e atacaram o templo. O massacre de Ossus, como se tornou conhecido, dizimou metade da Ordem Jedi.

Fel parecia ter percebido, em algum momento que Darth Krayt e o Grande Almirante Morlish Veed estavam conspirando contra ele, e, algum tempo após a guerra terminar, fez planos para prender Veed. Foi depois disso que Calixte se aproximou de Fel e disse-lhe sobre a intenção de Krayt de assassiná-lo na próxima reunião e aconselhou-o a escapar. Fel percebeu que Calixte estava dizendo a verdade porque, se ele morresse, Calixte seria inútil para os Sith e também morreria. Então, ele organizou para que sósias comparecessem na reunião em vez dele. Enquanto isto estava acontecendo, ele e Antares fugiram através dos esgotos, destruindo vários droides antes de escapar. Fel escapou para retomar o que Krayt e o Império tinham lhe tomado.

Insurreição contra o Império de Krayt Editar

"Sou, por direito de nascimento e de escolha, o seu verdadeiro Imperador! Não é este usurpador Sith, Krayt! É para mim que você deve a sua fidelidade! Apelo a vocês, meus fiéis Stormtroopers, para juntarem-se a mim e ter de volta o nosso império, onde você tem me servido há tanto tempo."
―Roan Fel aos stormtrooper estacionados em Bastion[fonte]

Cerca de 137 ABY, Fel retornou a Bastion para retomar o planeta. Ao longo dos anos, se reuniram forças lealistas ali, esperando o retorno de seu imperador. Com Antares Draco ao seu lado, Fel assumiu o controle do planeta, sabendo que Krayt seria cauteloso para lançar um ataque frontal sobre o fortemente fortificado planeta.

Contudo, a sua filha e herdeira, Princesa Marasiah Fel, foi capturada pelos Sith. Darth Talon, uma das Mãos de Krayt, tinha sido enviada após a princesa, na esperança de que ele poderia persegui-la para os braços de seu pai, seu verdadeiro alvo.

Mesmo que sua filha era uma fugitiva dos Sith, o Imperador Fel entanto não ordenou a sua Guarda Imperial procurá-la, pois os Sith provavelmente fariam uso dela para chegar a ele. No entanto, Antares Draco procurou a princesa, encontrando-a em Vendaxa, onde os Sith encenaram um ataque no qual a princesa quase morreu , embora ela tenha sido curada por Cade Skywalker. Posteriormente, foi levada para Bastion, onde persuadiu seu pai a permitir Skywalker a sair. Imperador Fel também repreendeu Draco e Ganner Kreig por desobedecer ordens. No entanto, o Imperador Fel, sempre o astuto político, anunciou que iria aprovar o resgate para impedir a sua autoridade de ser prejudicada. Ele informou também a Draco que ele não poderia de casar com a princesa Marasiah.

As tentativas de assassinato e aliança Editar

"O verdadeiro Imperador gostaria de propor uma aliança entre suas forças e as dele.
Você deve estar brincando. Foi o Império de Fel que começou a guerra.Capitão Mingo Bovark e Almirante Stazi Gar
"
―Legacy 9: Trust Issues, Part 1

Após o regresso da sua filha, Fel percebeu que os Sith agora sabiam que ele tinha tomado Bastion, o que significa que seria difícil de trazer forças leais a ele para o planeta. Percebendo que ele precisava de mais ajuda, ele decidiu formar uma aliança desesperada com o Remanescente da Aliança Galáctica. Ele enviou o Capitão Mingo Bovark para negociar uma aliança com a Almirante Stazi Gar em A Roda. Entretanto, Moff Nyna Calixte (que estava usando Morrigan Corde como um disfarce), estava tentando impedir os Sith de capturar o seu filho, Cade Skywalker. Enquanto isto, ela descobriu sobre o encontro na Roda. Com a ajuda de um agente Sith chamado Jor Tolin, Calixte foi capaz de anular as armas na nave de Bovark e abrir fogo sobre a nave de Stazi , fazendo isto parecer ser uma armadilha feita pelo Fel. A sabotagem funcionou, e ambos deixaram a estação. As forças de Fel continuaram sozinhas.

Por esta altura, os Sith sabia que Fel tinha retomado Bastion. Eles sabiam também que lançar um ataque frontal ao planeta iria ser um golpe sem sucesso para suas próprias forças, mesmo que conseguissem matar Fel. Mas Darth Maladi encontrou outra forma: assassinar Fel.

Lady Maladi mandou Darth Kruhl para Bastião para matar Fel. Usando seu Destroyer Estelar classe Pellaeon como isca, Kruhl escorregou e encontrou em Fel meditando nos Jardins de Pellaeon. Mas Fel sentiu Kruhl no planeta, e reagiu rapidamente ao seu sabre de luz. Após um breve duelo, Fel matou Kruhl com uma arma. Fel então tinha toda a tripulação da 'nave', exceto o governador Vikar Dorn, mandado para enviar uma mensagem para Krayt.

A esta altura, Moff Rulf Yage acreditava que Fel estava - e havia estado por sete anos - escondido no Ascendência Chiss. No entanto, o Moff Chiss Fehlaaur sabia que esta acusação não tinha sido provada.

Notas e referênciasEditar


O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.