Este artigo detalha um assunto considerado cânon.

Clique aqui para ir ao artigo da Star Wars Wiki sobre a versão Legends desta página.

Z-95 Headhunter.jpg
Conteúdo se aproximando. Classe Star Wars: The Clone Wars, Star Wars: Jedi of the Republic: Mace Windu.
Partes deste artigo foram identificadas como desatualizadas.
Por favor, atualize este artigo com os eventos recentes e remova este aviso quando terminar.
"Você deve perceber que não ha Jedi suficiente para proteger a República. Somos guardiões da paz, não soldados."
―Mace Windu[fonte]

Mace Windu era um Humano do sexo masculino, o segundo mais antigo Mestre Jedi durante os anos finais da República Galáctica, atrás apenas de Yoda.

Foi Mestre Windu quem levou duzentos e doze Jedi até uma batalha em Geonosis onde matou o famoso Caçador de recompensas Jango Fett, levando o seu filho Boba Fett em odiar Mace Windu e até tentar mata-lo. Ele continuou a servir a República durante as Guerras Clônicas, muitas vezes levando muitas tropas para a batalha, mesmo com as dúvidas da militarização da Ordem Jedi.

Nos dias finais da guerra, Windu e outros três Jedi enfrentaram Darth Sidious. Os três outros jedi eram Kit Fisto, Saesee Tiin e Agen Kolar. Todos foram mortos por Sidious, sobrando Windu para um duelo final contra o Lorde Sith. Windu derrotou Sidious em um duelo difícil, porém Anakin Skywalker veio para o escritório do Supremo Chanceler. Palpatine disse então de que se ele morresse Anakin iria perder Padmé Amidala como ele tinha visto em sua visão. Skywalker queria mantê-la viva, mas apenas para que Palpatine salvasse-se, Windu foi traído por ele e arremessado pela janela por Sidious. O Império Galáctico mais tarde iria ensinar em seus livros de História que Windu era chefe de uma "organização criminosa" que iniciou as guerras clonicas.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Antes da Invasão de Naboo, Windu tinha atingido o cargo de Mestre Jedi e estava servindo o Alto Conselho Jedi. Durante uma de suas missões, Windu resgatou uma menina Chalactan, Depa Billaba,e a trouxe para o Templo Jedi, onde se tornou uma Cavaleira Jedi, e membra do conselho Jedi.

Invasão de Naboo[editar | editar código-fonte]

"Não há duvida de que o guerreiro misterioso era um Sith."
"Sempre existem dois. Nem mais, nem menos. Um mestre e um aprendiz"
"Mas qual foi destruído, o mestre ou o aprendiz?
"
―Mace Windu e Yoda sobre o retorno dos Siths[fonte]

Mace Windu no Alto Conselho Jedi durante a invasão de Naboo

Quando Qui-Gon Jinn e seu Padawan, Obi-Wan Kenobi haviam retornado de Naboo, Windu juntamente com o resto do conselho, foram informados de que as negociações com a Federação de Comércio tinham falhado e que tinham ajudado a rainha Amidala para sair do planeta, Qui-Gon também relatou que quando estava em Tatooine ele encontrou um Zabrak que estava armado de um Sabre de luz vermelho na preferia de Mos Espa. Qui-Gon afirmou que o atacante era um Lorde Sith. Seu colega de conselho, Ki-Adi Mundi expressou que sobre os Sith eles teriam sido extinto a um milênio. Windu também apontou que os Sith teriam retornado, eles não poderiam retornar sem a Ordem Jedi estar ciente. Windu também testou Anakin Skywalker, no entanto o conselho decidiu que ele era muito velho para ser treinado, Windu afirmou que o destino dele seria decidido mais tarde, após solucionarem o mistério do Sith.

Depois do Senador de Naboo, Palpatine ser nomeado Supremo Chanceler, Windu e o conselho aprovaram o treinamento de Anakin como mestre, Obi-Wan. Windu em seguida, conversou com Yoda e Obi-Wan sobre o retorno dos Sith, depois participaram da celebração dos Gungams em Naboo.

Guerras Clônicas[editar | editar código-fonte]

Prelúdio da Guerra[editar | editar código-fonte]

Windu e outros membros do Conselho Jedi, se reuniram com o chanceler para discutir as ameaças crescentes do Movimento Separatista sob comando do Conde Dookan. Windu lembrou Palpatine que não havia Jedis suficientes para defender a república e que eram guardiões da paz não soldados. Windu, em seguida falou com Amidala sobre sua tentativa de assassinato, dizendo que era melhor voltar a Naboo. Windu então discordou que Dookan estaria por traz, ele ja teria sido um Jedi. Windu então mandou Obi-Wan e Anakin para proteger a senadora.

Após a morte do Zam Wessel, Windu atribuiu Obi-Wan para rastrear o caçador de recompensas, e que Anakin em proteger a Senadora Amidala de novos atentados. Windu em seguida falou com Obi-Wnm e Yoda sobre suas dúvidas em relação sobre Anakin agir por conta própria. Windu, no entanto disse a Obi-Wan que o Conselho estava confiante sobre a decisão de Anakin continuar a missão sozinho, sabendo que ele poderia ser o O Escolhido. Windu, em seguida falou com Yoda, Yoda relatou que Anakin estava com uma grande dor.

Windu e o resto do Conselho Jedi em seguida foram para o escritório do Chanceler. Lá assistiram o relatório de como Obi-Wan conseguiu rastrear Jango Fett até Geonosis. Ele também informou que o Vice-rei Nute Gunray estava por traz dos atentados feitos contra a senadora Amidala. Ele também disse que a Federação de Comércio e a Aliança Corporativa entre outras facções estariam fazendo um grande exército a Dookan. Antes que ele pudesse falar mais alguma coisa, Obi-Wan foi atacado por Droidekas e capturado. Logo depois a República conseguiu um grande exército, Windu levou uma equipe de mais de duzentos Jedi para resgatar Obi-Wan, enquanto Yoda inspecionou o novo exército.

Batalha de Geonosis[editar | editar código-fonte]

"A festa acabou."
―Mace Windu para Dookan[fonte]

Windu durante a batalha.

Durante a execução de Anakin, Obi-Wan e Amidala, Windu invadiu a arena de geonosis, onde enfentrou Dookan e seu guarda costas, Jango Fett. No entanto, Windu foi forçado a ir para baixo quando dois Super droides de batalha começaram a atirar, e Jango Fett acionou seu lança-chamas sobre ele. Windu então ludou contra hordas de droides e um Reek. Windu foi então confrontado por Jango Fett, mas foi capaz de derrota-lo decapitando o caçador de recompensas. Como os droides de batalha cercaram Windu e os outros sobreviventes, Dookan então ofereceu a chance de se renderem. Windu recusou dizendo que eles não eram moeda de troca. Windu e os outros Jedi foram resgatados por Yoda e o novo exército clone. Windu, em seguida levou os clones a vitória, apesar da fuga de Dookan. Após a batalha, Windu falou com Obi-Wan sobre o comando de Palpatine. Windu afirmou que iria manter os olhos no senado.

Após a batalha, Windu foi, então ajudar Jabba a resgatar seu filho, Rotta. Windu não gostava de lidar com o mundo do crime, vendo como um dia negro para a República. No entanto, eles não tinham escolha desde que eles assumiram todo o comércio na Orla Exterior. O chanceler pediu a Windu que atribuísse com ele vários Jedi para esta missão. Windu disse a ele que apenas Anakin e Obi-Wan estavam disponíveis, agora que tinham liberado Christophsis. Windu então foi informado que o filho de Jabba estava localizado em um mosteiro em Teth. Windu então falou com o almirante Wurtz para mandar três cruzadores para ajudar Obi-Wan em Christophsis.

Batalha de Ryloth[editar | editar código-fonte]

Death-star-2.jpg Esse artigo está em construção.

O autor deve estar treinando seus poderes de Jedi.

Aparições[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Links externos[editar | editar código-fonte]

  1. 1,0 1,1 Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome AOTC
  2. Erro de citação: Código <ref> inválido; não foi fornecido texto para as refs de nome ROTS
  3. Jedi of the Republic – Mace Windu 1
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.