FANDOM


Eras-canon-transp

Eras-legends2

SidiousVaderPromo

Darth Sidious e Darth Vader, praticantes da Regra de Dois

"Lembre-se da única e verdadeira realidade nos Sith: só pode haver dois."
Darth Sidious[fonte]

A Regra de Dois era uma filosofia Sith que determinava que apenas dois Sith poderiam existir em um mesmo momento do tempo: um Lorde Sombrio dos Sith para acumular poder e um para almejá-lo. Essa filosofia existia por muito tempo na história da Ordem e foi implementada como regra  por Darth Bane.

HistóriaEditar

CriaçãoEditar

"Você sabe quem eu sou?"
"Sim. Darth Bane, o antigo lorde Sith você é."
"E sabe por que eu não fui esquecido?"
"Porque a Regra de Dois você criou."
"Os Sith matavam uns aos outros, vítimas de sua própria ganância. Mas, das cinzas da destruição, eu fui o último sobrevivente. Eu escolhi passar o meu conhecimento para apenas um, eu criei um legado tão resiliente que agora você veio até mim."
―Yoda e o espectro de Darth Bane na tumba do Lorde Sith em Moraband.[fonte]
Antes mesmo de Darth Bane criar a regra, doutrinas Sith já continham a ideia de dois indivíduos: um mestre e um aprendiz. Alguns templos Sith só podiam ser acessados por um par de sensíveis à Força.[1] Os mestres demandavam lealdade de seus aprendizes, mas os traíam caso encontrassem alguém que julgassem ter maior potencial.[2]

Eventualmente, Bane se tornou o único sobrevivente em uma guerra contra a Ordem Jedi um milênio antes das Guerras Clônicas.[3] Reconhecendo a ganância e os conflitos internos dos Sith como o motivo de sua destruição, ele criou a Regra de Dois para que a Ordem pudesse operar em segredo, valendo-se dessa estratégia para planejar sua vingança contra os Jedi.[4] Bane desenvolveu essa filosofia a partir de suas experiências pessoais e ao estudar antigos documentos Sith.[5] Ele viu este novo princípio como uma forma de impedir o poder do Lado sombrio da Força de destruir a Ordem novamente[6] e reestruturar os Sith a fim de que disputas internas não mais os desestabilizasse.[2]

Para manter a linhagem viva, o aprendiz deveria matar seu mestre para ganhar o título e tomar um novo aprendiz para si. No entanto, a tentativa de assassinato poderia fracassar e resultar na morte do aprendiz e sua substituição por outro.[7] Essa situação não permitia que a relação mestre-aprendiz fosse de confiança mútua, visto que um tentava constantemente encontrar sinais de fraqueza no outro.[8]

Bane tomou um aprendiz para si, a quem passou seu conhecimento enquanto estabelecia os novos preceitos Sith de buscar poder e vingança contra os Jedi por meio de manipulações e subterfúgios. Os Jedi descobriram a filosofia de Bane e o Lorde Sith foi derrotado.[9] Embora os registros históricos não fossem precisos, a possibilidade de Bane ter sido morto por seu próprio aprendiz foi considerada.[5] Após sua morte, a Ordem Jedi passou a acreditar erroneamente no fim definitivo dos Sith. No entanto, os planos de Bane continuaram por meio de seu aprendiz, permitindo que a Ordem Sith sobrevivesse em segredo por centenas de anos enquanto planejava sua vingança contra seus arqui-inimigos.[9] Apesar da crença Jedi na derrota dos Sith, havia rumores de que eles ainda operavam nas sombras.[10]

Darth Plagueis e Darth SidiousEditar

"Infelizmente, ele ensinou a seu aprendiz tudo o que sabia. Então seu aprendiz o matou enquanto ele dormia."
―Darth Sidious contando a tragédia de Darth Plagueis a Anakin[fonte]
Por um milênio, os Sith continuaram orquestrando seu plano de vingança, ganhando cada vez mais poder em segredo enquanto a Ordem Jedi ainda acreditava que seus antigos inimigos estavam extintos.[11] Durante o final desse período, o mestre Sith Darth Plagueis tomou o humano Sheev Palpatine como seu aprendiz, que adotou o nome de Darth Sidious a partir de então. Juntos, os dois trabalharam por anos para desvendar os últimos segredos do lado sombrio. Sidious recorria à sabedoria de Plagueis como estrategista e profeta, sabendo bem que dois Sith eram necessários para realizarem seus desejos: um para servir de isca ao lado sombrio e outro para ser seu receptáculo. O sucesso dos dois os permitiria controlar o poder absoluto do lado sombrio e reinar imortais por dez mil anos.[12]

Darth Sidious e Darth MaulEditar

" Sempre dois existem. Nem menos, nem mais: um mestre e um aprendiz."
―Mestre Yoda sobre os Sith[fonte]
Ainda sob a tutela de Darth Plagueis, Sidious tomou um Zabrak Dathomiriano como seu pupilo, que seria nomeado Darth Maul.[13] Ele planejava inicialmente tomar Mãe Talzin, mãe de Maul, para ser sua aprendiz mas escolheu o Zabrak quando o encontrou por conta de seu potencial.[14] Não vendo mais necessidade de seu mestre, Sidious matou Plagueis enquanto ele dormia.[15]

Em algum momento antes de 32 ABY, Maul matou sua primeira Jedi, a Padawan Twi'lek Eldra Kaitis e pensou que ela poderia ter sido uma boa aprendiz Sith. Porém ele teve que matá-la antes de seu mestre descobrir suas intenções em traí-lo. Na mesma época, Xev Xrexus do Cartel Xretus suspeitou do retorno dos Sith, levando Maul a matá-la também,[16] visto que Sidious o ameaçou de morte caso eles fossem descobertos antes do momento planejado.[17]

Em 32 ABY, durante a Invasão de Naboo pela Federação de Comércio, os Sith finalmente se revelaram aos Jedi quando Sidious enviou Maul a Tatooine para capturar a rainha Padmé Amidala e levá-la a Naboo para que ela assinasse um tratado de paz. O mestre Jedi Qui-Gon Jinn confrontou o lorde Sith mas conseguiu escapar do planeta com Padmé e seus aliados, descobrindo o retorno dos Sith depois de um milênio nas sombras e relatando o caso ao Alto Conselho Jedi. Durante a batalha de Naboo, que rompeu o bloqueio do planeta pela Federação, Maul matou Jinn e foi ferido gravemente por Obi-Wan Kenobi, o Padawan de Qui-Gon, como ato de retaliação. Esse evento levou os Jedi a crerem na volta dos seus inimigos. Com a aparente morte de Darth Maul, eles se perguntavam se o mestre ou o aprendiz havia sido derrotado. Enquanto isso, Palpatine, recém-eleito Chanceler Supremo da República, continuava ganhando poder político e avançando com o plano de vingança.[18]

Darth Sidious e Darth TyranusEditar

"Lembre-se da primeira e única máxima dos Sith: só pode haver dois. E você não é mais meu aprendiz. Você foi substituído."
―Darth Sidious para Maul[fonte]
Com a perda de Maul, a regra demandava que Sidious encontrasse outro aprendiz. Assim ele o fez, tomando para si o ex-mestre Jedi Conde Dookan da Casa dos Serenno e o nomeando Darth Tyranus.[19] Durante uma missão em Sullust, Dookan considerou recrutar o cavaleiro Jedi Jak'zin para ser seu aliado, mas foi impedido por Sidious, que falou que um mestre Sith necessita de apenas um aprendiz e ameaçou substituí-lo pelo Jedi Togoriano.[20] Durante a década seguinte, Dookan auxiliou seu mestre em articular as Guerras Clônicas, inclusive orquestrando a morte do mestre Jedi Zaifo-Vias para depois usar seu nome para pedir a criação de um exército de clones para a República[21] e escolhendo o caçador de recompensas Jango Fett como doador genético. Em 22 ABY, contando com o apoio da Federação de Comércio, Dookan revelou aos Jedi suas novas alianças e Sidious, por meio de seu disfarce como Chanceler Supremo Palpatine, ganhou poderes emergenciais, criando o Grande Exército da República, formado pelos clones, como reação aos separatistas . Logo após isso, as Guerras Clônicas tiveram início com a Primeira Batalha de Geonosis.[19]

A Regra de Dois foi violada por Dookan, que tomou a irmã da Noite Dathomiriana Asajj Ventress como assassina e aprendiz Sith. Contudo, Sidious notou o poder crescente de Ventress e, acreditando numa possível traição de Dookan, ordenou que seu aprendiz a matasse. Dookan o obedeceu e deu Asajj como morta após a batalha de Sullust. Ventress sobreviveu e, ferida, foi a Dathomir para receber o apoio de Mãe Talzin, visto que a assassina já havia feito parte do clã das irmãs da Noite, liderado por Talzin.[22] Planejando vingança contra o antigo mestre de Asajj e prevendo que Dookan desejaria um novo aprendiz, as bruxas convenceram-no a tutelar o irmão de Darth Maul, Savage Opress, um irmão da Noite secretamente instruído a trair o conde.[23] O plano das irmãs fracassou quando Savage se voltou contra Ventress, após ela se juntar a ele numa tentativa de matar Dookan. Ao final da batalha, o conde foi deixado novamente sem aprendiz, Ventress se exilou e Savage retornou a Dathomir.[24]

Depois de ter uma premonição, o Jedi Besalisk Pong Krell caiu para o lado sombrio em uma tentativa de se tornar aprendiz de Dookan e participar da Nova Ordem, mas o clone Dogma o executou logo após Krell trair a 501ª Legião.[25]

Maul, mais tarde, revelou estar vivo e tomou Savage como seu aprendiz, criando um par Sith rival ao de Sidious e Dookan.[26] Porém, Sidious os encontrou e matou Opress na Guerra Civil Mandaloriana, enquanto deixou Maul viver por ter planos para ele.[27] Dookan tomou o mestre Jedi Quinlan Vos como aprendiz após capturá-lo, mas seu plano falhou devido ao sacrifício de Ventress para impedir que Vos sucumbisse ao lado sombrio.[28]

Darth Sidious e Darth VaderEditar

"Eu me comprometo a seguir seus ensinamentos."
"Isso. Ótimo. A Força é intensa em você, um poderoso Sith você se tornará. A partir de hoje, você será conhecido como Darth Vader."
―Darth Sidious transformando Anakin Skywalker em Darth Vader[fonte]
Em 19 ABY, pouco antes do fim das Guerras Clônicas, General Grievous sequestrou o Chanceler Supremo Palpatine, levando os Jedi Obi-Wan Kenobi e Anakin Skywalker a serem enviados para resgatá-lo a bordo do Invisible Hand. Durante um duelo na nave, Skywalker matou Dookan antes do trio conseguir escapar para Coruscant. Novamente sem aprendiz, Sidious seduziu Anakin ao lado sombrio ao lhe contar sobre os feitos de Darth Plagueis na forma de uma antiga lenda Sith após descobrir seu medo de perder Padmé Amidala, sua esposa em segredo, quando ela desse à luz. Inicialmente, Anakin contou a identidade Sith de Palpatine para o mestre Jedi Mace Windu, que então tentou prender o Chanceler. Skywalker, porém, teve que trair o Jedi para salvar Palpatine da morte.[15]

Não sendo mais um Jedi, Anakin se tornou o novo aprendiz de Darth Sidious, sendo nomeado Darth Vader. Sidious, então, deu uma ordem a todos os clones para assassinarem seus generais Jedi e enviou Vader para o templo Jedi para assassinar os membros da Ordem que se encontravam lá. Depois, Vader viajou a Mustafar, onde matou o Conselho Separatista. Enquanto isso, Sidious se autoproclamava imperador e transformava a República Galáctica no Primeiro Império Galáctico. Após esses eventos, Yoda e Obi-Wan, dois mestres Jedi sobreviventes da Ordem 66, descobriram as identidades dos dois Sith e se comprometeram a, cada um, lutar contra um dos lordes sombrios: o Grão-Mestre Jedi contra Sidious e Kenobi contra Vader. Após Yoda fracassar e Obi-Wan tomar Vader como morto, os dois Jedi se exilaram. Sidious encontrou seu aprendiz à beira da morte em Mustafar e o transportou de volta a Coruscant, onde ele ganhou uma armadura para sobreviver. Vader foi informado de que sua raiva matou Padmé por seu mestre.[15] Com seu grande amor morto, Vader inicialmente relutou em aceitar sua nova realidade, mas acabou aceitando servir completamente ao lado sombrio, levando Sidious a desistir de procurar um novo aprendiz.[29]

Adeptos do lado sombrio e ciborguesEditar

"Eles são abominações. Isso é heresia."
"Você esquece quem é o mestre e quem é o aprendiz. É seu dever aprender o que eu sei. E é meu dever aprender o que há para ser ensinado."
―Darth Vader e Darth Sidious[fonte]
Durante a Era do Império, Vader ensinou os inquisidores, um grupo de ex-Jedi que caíram para o lado sombrio responsáveis por continuarem caçando os Jedi sobreviventes. Apesar disso, eles serviam os Sith, não sendo considerados aprendizes, apenas adeptos do lado sombrio.[30] Quando a Ordem Jedi já era tida amplamente como extinta pelo Império, por volta de 0 DBY,[31] os inquisidores também foram extintos.[32]

Até então aparentemente invencível, a Nova Ordem foi abalada pela vitória da Aliança pela Restauração da República ao destruir a estação de batalha Estrela da Morte.[31] Duvidando das capacidades de seu aprendiz, Sidious aceitou as sugestões de doutor Cylo em deixar Vader como aprendiz apenas em ocasiões formais e substituí-lo por um dos ciborgues do doutor. Quando Vader encontrou as criações de Cylo, Comandante Karbin, Tulon Voidgazer, os gêmeos Morit e Aiolin Astarte e um Trandoshano, ele ficou confuso e perplexo.[33] Contudo, ele logo provou seu valor a seu mestre e matou Cylo junto com todas suas criações.[34]

Conspiração de Darth VaderEditar

"Luke, você pode destruir o Imperador. Ele já previu isso, esse é o seu destino. Junte-se a mim, juntos poderemos governar a galáxia como pai e filho."
―Darth Vader para Luke[fonte]
Sidious não sabia, porém, que seu aprendiz já nutria intenções de traí-lo e tomar o poder junto com seu filho em segredo Luke Skywalker, o piloto rebelde que destruiu a Estrela da Morte.[35] Enquanto tentava recuperar o respeito do Imperador, Vader descobriu seu parentesco com Luke após o caçador de recompensas Boba Fett descobriu o nome de Luke e informou o lorde sombrio sobre isso.[36] Focando em tentar fazer seu filho se juntar a ele, Vader matou Karbin e evitou que Luke fosse capturado em Vrogas Vas.[37] Em 3 DBY, logo após a batalha de Hoth, o Imperador se comunicou com seu aprendiz a bordo do Executor. Nessa conversa, Sidious revela a Vader sentir a ameaça representada pelo jovem Skywalker aos Sith. Prometendo a seu mestre que Luke se juntaria a eles ou morreria, Vader conseguiu capturar a tripulação da Millennium Falcon na Cidade das Nuvens em Bespin e manipulou Luke, que estava em outro planeta, para resgatar seus amigos.[35]

Ao chegar na Cidade das Nuvens, Luke não conseguiu ouvir o aviso de Leia Organa sobre a armadilha de Vader. O jovem encontrou o lorde Sith e os dois duelaram. Vader conseguiu derrotar Skywalker e cortar uma de suas mãos antes de contar-lhe sobre seu parentesco. Vader ofereceu a Luke a chance de se juntar a ele, derrubar o Imperador e governar a galáxia a seu lado. Skywalker recusou e se jogou no abismo abaixo dele, sendo resgatado momentos depois pela Falcon.[35]

Fim dos SithEditar

" Estou ansioso para completar seu treinamento. Com o tempo, você me chamará de mestre."
"Está enganado. Não me converterá ao lado sombrio como fez com meu pai"
―Darth Sidious e Luke antes da derrota final dos Sith[fonte]

Um ano depois, o Império e a Aliança Rebelde estavam se preparando para um confronto definitivo sobre a lua florestal de Endor com o superlaser da segunda Estrela da Morte totalmente funcional.[38] Ainda determinado a encontrar seu filho,[39] Vader foi enviado por seu mestre a Endor para esperar Luke ir atrás dele. Após se entregar ao Lorde Sombrio, Luke tentou trazer de volta ao lado luminoso da Força. Vader recusou o pedido de seu filho e os dois foram para a Estrela da Morte, onde Sidious os aguardava.[38]

Uma vez na Sala do trono do Imperador, Sidious deu as boas-vindas ao jovem Skywalker e prometeu completar seu treinamento. Eventualmente, Vader e Luke iniciaram um duelo, que terminou com Luke cortando uma das mãos do pai. O Imperador incitou Luke a matar Vader e tomar seu lugar como seu aprendiz. Skywalker recusou, afirmando ser um Jedi, como seu pai um dia fora.[38]

Sidious, enfurecido, começou a eletrocutar Luke com relâmpagos da Força. Vader, percebendo que deveria escolher entre a vida ou a morte de seu filho, decidiu jogar seu mestre no reator da estação, matando o Imperador mas se sacrificando no processo. Vader se redimiu e se tornou Anakin Skywalker novamente, declarando antes de morrer que Luke estava certo ao crer que ainda havia bondade nele. As ações de Anakin trouxeram equilíbrio a Força ao destruir os Sith[38], como tinha sido profetizado que ele faria,[18] e ao encerrar a Regra de Dois.[38]

LegadoEditar

Um único Lorde SithEditar

"Meu garoto, eu criei Snoke. Eu fui todas as vozes que você ouviu em sua mente. A Primeira Ordem foi apenas o começo. Eu lhe darei muito mais."
―Darth Sidious para Kylo Ren[fonte]

Enquanto os Sith foram extintos e a Regra de Dois encerrada,[38] Sidious eventualmente retornou dos mortos e foi para o mundo Sith de Exegol, onde ele formou uma grande frota com a ajuda da Eternidade Sith. Tal frota seria decisiva em seus planos de retornar ao poder por meio da Ordem Final.[40]

Novamente sem aprendiz, Sidious criou um humanoide chamado Snoke e o fez seduzir Ben Solo, neto de Anakin Skywalker, ao lado sombrio após o templo Jedi de Luke Skywalker ter sido destruído, abalando os esforços de Luke em reconstruir a antiga Ordem. Para influenciar o jovem Solo, Sidious simulou a voz de Vader se conectando com Ben por meio do elmo de seu antigo aprendiz.[40]

Snoke e Kylo RenEditar

"Sua demonstração de poder é impressionante, mas aquela caverna existia por milhares de anos ."
"O passado é passado."
"Eu esperava trazer outros aprendizes aqui."
"Você não precisará de outros aprendizes."
―Líder Supremo Snoke e Kylo Ren, durante uma das sessões de treinamento de Kylo[fonte]

Snoke eventualmente se tornou o Líder Supremo da Primeira Ordem, uma organização militar que sucedeu o Império Galáctico após sua derrota. Além de Ben Solo, que adotou o nome de Kylo Ren e se tornou mestre dos Cavaleiros de Ren,[41] Snoke também treinou outros aprendizes.[42] Snoke acreditava que, por ser neto de Darth Vader e, portanto, parte da linhagem Skywalker, Ren tinha o equilíbrio perfeito entre os lados luminoso e sombrio da Força.[43]

Trinta anos após a derrota dos Sith,[44] Snoke foi deposto por Ren a bordo da nave capitânia Supremacia.[45] Ele conseguiu essa façanha ao usar a presença de Rey, uma jovem sensível à Força sendo treinada por Luke Skywalker, para enganar e matar seu mestre em um ato digno da Regra de Dois,[5] sem saber que estava completando o último teste que a Eternidade Sith havia preparado para ele.[44] Então Ren clamou para si o título de Líder Supremo e o comando da Primeira Ordem. Kylo liderou as forças da Primeira Ordem na Batalha de Crait, em que Luke Skywalker lutou como projeção a fim de ajudar a Resistência a escapar, para pouco depois se tornar um com a Força.[45]

Eternidade SithEditar

"O ritual se inicia. Ela me matará e se submeterá aos Sith. Ela acionará sua arma. Ela virá até mim. Ela se vingará e, com um golpe de sabre, os Sith renascerão. Os Jedi estão mortos!"
―Darth Sidious para Rey[fonte]

Um ano depois de Crait,[46] Sidious transmitiu uma mensagem para toda a galáxia informando seu retorno. Considerando o Imperador de volta dos mortos como uma ameaça a seu governo, Kylo adquiriu um localizador Sith que pertencia a Vader e localizou Sidious em Exegol. Ao ser descoberto, o Lorde Negro dos Sith revelou ser a grande mente por trás de Snoke e a suposta voz de Vader e ofereceu a Ren o Trono dos Sith e o título de novo imperador da Ordem Final se, em troca, ele matasse sua neta Rey.[40]

Quando Rey soube de seu parentesco com Sidious por Ren, ela foi ao seu encontro até Exegol e ameaçou matá-lo por ordenar as mortes de seus pais. Sidious, então, insistiu que ela o matasse para que assim ele pudesse transferir seu espírito para seu corpo, ambos se tornassem um só e governassem como Imperatriz Palpatine. Rey recusou o pedido e, enquanto a Resistência enfrentava as forças da Ordem Final, agora reforçadas pelas tropas da Primeira Ordem, Ben Solo, redimido, ia ao encontro de Rey para ajudá-la a matar Sidious. Percebendo a poderosa conexão entre os dois, Sidious resolveu se desfazer da dupla e reinar sozinho, drenando suas forças vitais. Porém, Rey usou sua conexão com os Jedi do passado para destruir o antigo Imperador,morrendo no processo. Lodo depois, ela volta à vida por Ben, que morreu em seu lugar, evitando o retorno de Sidious e assegurando o futuro da Ordem Jedi.[40]

Eras-canon Este artigo é um esboço canônico. Você pode ajudar a Star Wars Wiki expandindo-o.

ApariçõesEditar

Aparições não-canônicasEditar

FontesEditar

Notas e referênciasEditar

  1. Rebels-mini-logo Star Wars Rebels – "Twilight of the Apprentice"
  2. 2,0 2,1 Star Wars: The Visual Encyclopedia
  3. Ultimate Star Wars
  4. Databank title Darth Bane no Databank (Em inglês) (Conteúdo agora obsoleta; links de backup 1 2 em Archive.org)
  5. 5,0 5,1 5,2 Star Wars: The Dark Side
  6. Star Wars: The Expert Guide
  7. Rise of the Separatists
  8. Darth Vader: Sith Lord
  9. 9,0 9,1 Encyclopedia-Logo Darth Bane na Encyclopedia
  10. StarWars-DatabankII Yoda Biography Gallery (em inglês) no Databank (Imagem 3 de 18)
  11. Encyclopedia-Logo Sith na Encyclopedia
  12. Tarkin
  13. Darth Maul: Son of Dathomir 3
  14. 15,0 15,1 15,2 Star Wars Episódio III: A Vingança dos Sith
  15. Darth Maul 5
  16. Darth Maul 1
  17. 18,0 18,1 Star Wars Episódio I: A Ameaça Fantasma
  18. 19,0 19,1 Star Wars Episódio II: O Ataque dos Clones
  19. Age of Republic: Count Dooku 1
  20. TCW mini logo Star Wars: The Clone Wars – "The Lost One"
  21. TCW mini logo Star Wars: The Clone Wars – "Nightsisters"
  22. TCW mini logo Star Wars: The Clone Wars – "Monster"
  23. TCW mini logo Star Wars: The Clone Wars – "Witches of the Mist"
  24. TCW mini logo Star Wars: The Clone Wars – "Carnage of Krell"
  25. TCW mini logo Star Wars: The Clone Wars – "Revival"
  26. TCW mini logo Star Wars: The Clone Wars – "The Lawless"
  27. Discípulo Sombrio
  28. Darth Vader: Dark Lord of the Sith 25
  29. Darth Vader: Dark Lord of the Sith 6
  30. 31,0 31,1 Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança
  31. Star Wars: The Secrets of the Jedi
  32. Darth Vader 5:
  33. Darth Vader 25: End of Games, Parte IV
  34. 35,0 35,1 35,2 Star Wars Episódio V: O Império Contra-Ataca
  35. Darth Vader 6: Vader, Parte VI
  36. Darth Vader 15: Vader Down, Parte VI
  37. 38,0 38,1 38,2 38,3 38,4 38,5 Star Wars Episódio VI: O Retorno do Jedi
  38. Return of the Jedi: Beware the Power of the Dark Side!
  39. 40,0 40,1 40,2 40,3 Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker
  40. Star Wars: Episódio VII O Despertar da Força
  41. Star Wars: The Force Awakens: The Visual Dictionary
  42. Star Wars: O Despertar da Força (livro)
  43. 44,0 44,1 Star Wars: The Rise of Skywalker: The Visual Dictionary
  44. 45,0 45,1 Star Wars Episódio VIII: Os Últimos Jedi
  45. Star Wars: The Rise of Skywalker: The Visual Dictionary coloca os acontecimentos de Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker como ocorrendo um ano padrão após os eventos de Star Wars: Episódio VII O Despertar da Força. Como, segundo o Star Wars: Galactic Atlas, O Depertar da Força se passa em 34 DBY, os eventos de A Ascensão Skywalker deve ocorrer 35 DBY.
Em outras línguas
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.