FANDOM


Eras-canon-transp

Star Wars The Rise of Skywalker
Ninguém realmente se vai.
Aviso! Essa página contém SPOILERS de Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker. Se você não quer ver spoilers, deixe esta página agora!
YodaCG Mestre Qui-Gon, mais a dizer você tem?

Este artigo ou seção precisa ser expandido.
Por favor, atualize este artigo adicionando as informações faltantes. Você também pode checar a página de discussão desta página. Remova esta mensagem quando terminar.

"O que você está buscando não está atrás de você. Está à frente."
―Maz Kanata, para Rey[fonte]

Rey Skywalker, nascida Rey Palpatine, era uma Humana catadora de sucata nativa de Jakku que descobriu ser sensível à Força durante sua busca ao lendário Mestre Jedi Luke Skywalker a fim de trazer uma nova esperança à galáxia à beira da guerra. Rey cresceu sozinha no mundo desértico de Jakku, esperando sua família retornar, até encontrar BB-8, droide que carregava informações sobre o paradeiro de Skywalker. Juntamente com Finn, um desertor da Primeira Ordem, Han Solo e Chewbacca, ela embarcou em uma jornada para entregar o mapa a Skywalker para General Leia Organa e para a Resistência. No caminho, ela descobriu o sabre de luz de Skywalker e sua sensibilidade à Força despertou. Logo depois, ela acabou sendo capturada por Kylo Ren, nascido Ben Solo, filho de Leia e Han, contra quem Rey duelou na Base Starkiller logo antes da Resistência destruir a superarma. Depois de chegar à base da Resistência em D'Qar, Leia deu a Rey a missão de encontrar Luke com base no mapa e apresentar a ele o seu antigo sabre de luz como um símbolo da única esperança da galáxia: a volta dos Jedi.

As tentativas inicias de Rey de trazer o Mestre Jedi de volta ao palco galáctico foram infrutíferas, e, embora ele acabou relutantemente aceitando treiná-la, Rey foi logo envolvida em uma ligação da Força com Kylo Ren. Essa ligação permitia com que a dupla se comunicasse, o que levou a jovem a questionar o que Luke havia feito quando Ren fora tentado pelo lado sombrio. Depois de descobrir toda a verdade dos eventos daquela noite, Rey deixou Ahch-To e partiu para a Supremacia a fim de trazer Kylo de volta à luz. Depois de chegar à nave capitânia de Snoke, Líder Supremo da Primeira Ordem, ela foi levada à sala do trono, onde Snoke declarou que foi ele quem criara a ligação da Força entre seu aprendiz, Kylo, e a jovem de Jakku. Confiante de que havia com sucesso envolvido Rey em sua armadilha, Snoke ordenou que seu aprendiz matasse-na. Kylo, no entanto, se voltou contra seu mestre e o matou com o sabre de luz de Skywalker. Na sequência, Kylo ofereceu a Rey a oportunidade de reinar ao seu lado, mas ela recusou, e os dois disputaram com a Força o sabre de Skywalker, o que resultou por partir o sabre ao meio. Rey fugiu e chegou em Crait, onde ela e Chewbacca ajudaram a Resistência ao derrubar os caças TIE da Primeira Ordem a bordo da Millennium Falcon. Enquanto Luke distraia a Primeira Ordem ao se projetar em Crait, Rey ajudou os restantes da Resistência a escapar, se conectando com Kylo Ren uma última vez antes de partir. Rey se tornou a última Jedi da galáxia depois que Luke se juntou à Força.

Com o retorno do Imperador Sheev Palpatine, que era na verdade o Lorde Sombrio dos Sith Darth Sidious, a verdade sobre os pais de Rey foi revelada por Ren, ela era neta de Sheev. Seguido pela morte de Leia Organa e um breve exílio em Ahch-To, Rey retornou para o conflito ao ir atrás de Palpatine em Exegol confrontar seu antepassado sombrio, que conspirou durante a jornada dela para fazê-la cair no lado sombrio da Força. No entanto, Ben Solo retornou e impediu Rey de seguir este caminho, ajudando ela a enfrentar Palpatine e derrotá-lo de uma vez por todas. Após a morte de Sidious, Rey acabou falecendo e Ben a salvou dando própria energia vital para que ela pudesse voltar. Posteriormente, Rey adotou o sobrenome da família Skywalker para homenagear aqueles que realmente considerou como família, repudiando sua linhagem Palpatine.

Biografia

Pré-nascimento

"Nós vamos nos ver novamente. Eu acredito nisso."
―A voz de Rey escutada por Ezra Bridger[fonte]

Em 0 ABY, durante a rebelião inicial contra o Império Galáctico e mais de uma década antes do nascimento de Rey, sua voz foi ouvida pelo Padawan Ezra Bridger durante sua breve visita ao Mundo entre mundos—um lugar que existia além do tempo e do espaço.[7]

Juntos, Rey e Ben Solo seriam o ápice de uma díade profetizada[8] na Força, bem como na Regra de Dois. Sob a Regra de Dois o conhecimento dos Sith passou de um Mestre para um aprendiz mais poderoso, embora seu objetivo final fosse criar uma díade entre dois Lordes Sith. Darth Plagueis tentou criar uma díade com seu aprendiz, Darth Sidious, que, por sua vez, tentou criar uma com o avô de Solo, Anakin Skywalker. Apesar de anos de pesquisa, os Sith nunca encontraram uma maneira de formar uma díade por conta própria. A Regra dos Dois era uma imitação pálida do poder que os Sith cobiçavam. Sidious o considerava um sucessor indigno, mas necessário, da doutrina mais antiga e pura da díade que seria finalmente cumprida por Solo e Rey.[9]

Vida prévia

"Eles não eram ninguém."
"Eles eram catadores de lixo sujos que venderam você para comprar bebida. Eles estão mortos, em um túmulo pobre no deserto de Jakku. Você não tem lugar nessa história. Você veio do nada. Não é nada."
―Rey e Kylo Ren sobre os pais da mesma[fonte]
Young Rey with Unkar Plutt

Rey criança quando seus pais a venderam no mundo desértico de Jakku.

Rey nasceu em 15 DBY,[2] filha de dois sucateiros e com a idade de 5 anos, foi deixada pelos seus pais em Jakku,[10] um planeta ferro-velho no extremo do Âmbito Oeste[11] para comprar bebidas, mas com as razões sendo desconhecidas para a garota. Rey acreditava que eles haviam cometido um engano e que um dia eles retornariam e a levariam de volta para casa.[1] Ela se lembrava de uma voz chamando-a de “minha querida” e prometendo voltar para ela. Rey acreditava que a voz pertencia a seus pais, embora ela nunca tenha conseguido descobrir se a voz pertencia a sua mãe ou pai, ou a ambos.[12] Ela admitiu para si mesma que seus pais a venderam em Jakku para comprar bebida,[6] mas depois soube que ela era neta do Imperador Galáctico, Darth Sidious, através de seu filho, e que seus pais a haviam deixado em Jakku para protegê-la de seu avô. Mais tarde, seus pais foram mortos por um dos assassinos de seu avô, Ochi, depois de se recusarem a dar a localização da filha.[13]

Durante sua vida em Jakku, ela se sentia bastante deslocada no Posto Avançado Niima, o posto de comércio mais importante do planeta, sentindo que ali não era seu lugar, ela também presenciou um grande de números de nave que chegavam ali por acidente, e, achava que era isso que tinha acontecido com seus pais e eles acabaram esquecendo-a lá.[14] Ela vivia em um antigo AT-AT caído e aprendeu a sobreviver por conta própria e a escavar sobras para se sustentar[1]. As habilidades de Rey como sucateira fizeram com que ela ganhasse respeito entre os comerciantes de sucata, Unkar Plutt em particular. Plutt ordenou que seus ladrões não roubassem de Rey, pois ela era uma fonte boa de sucata. Rey aprendeu autodefesa por necessidade para se ajustar as condições de Jakku. Em uma de suas incursões em busca de sucata, Rey encontrou um velho simulador de voo e o levou para seu lar, ela aprendeu a pilotar utilizando esse simulador.[15], Rey também possuía um capacete de piloto rebelde que ela achou na sua primeira incursão ao cemitério de naves de Jakku. Esse capacete pertencia a Capitã Dosmit Ræh. Rey inventou algumas histórias sobre Ræh, suas origens, família e etc...[14]

O perigo happabore

"Eu não posso mover a nave com você aqui. E Unkar sabia disso, não sabia?"
―Rey para um Happabore[fonte]
TheHappaboreHazardCover

Rey descobre um Happabore teimoso.

Rey viajou para o Posto Avançado de Niima, onde aceitou o trabalho de transportar uma pilha de sucata para Plutt, que lhe ofereceu dez porções. Relutantemente, Plutt deu a ela as coordenadas, mas colocou uma garantia no acelerador de Rey, se ela falhasse na tarefa. Rey respondeu colocando uma aposta de vinte porções, já que ela estava arriscando seu speeder.[16]

Rey viajou em seu speeder para o local, que acabou sendo um quadjumper destroçado. Ela encontrou um happabore ao lado da nave. Percebendo que Plutt havia trapaceado, Rey tentou fazer a criatura se mover. Depois de tentar empurrá-lo, Rey percebeu que o happabore estava tendo problemas para respirar porque algo estava bloqueando seu nariz. Preparando-se, Rey cavou o nariz da criatura e pegou uma maquinaria que estava obstruindo sua passagem nasal.[16]

Depois de se livrar da gosma do happabore, Rey tentou rebocar a nave de volta ao Posto Niima com seu acelerador, mas a máquina era muito pesada. Felizmente para Rey, o happabore agradecido ajudou-a a levar a nave de volta ao Posto Avançado de Niima, onde Unkar Plutt, com raiva, deu a Rey as 20 porções.[16]

Consertando o Ghtroc 690

ReysDiscovery

Uma mecânica habilidosa, Rey possuia um talento natural para reparar máquinas.

Em algum momento, Rey estava resgatando um cruzador de batalha quando uma tempestade de areia a forçou a recuar para a Hellhound Two, onde decidiu esperar a tempestade dissipar testando suas habilidades em seu simulador de voo. No dia seguinte, depois de negociar com Plutt por porções, ela levou o speeder para o Cemitério de Naves, onde decidiu escalar o Spike, a quilha de uma nave Imperial que havia colidido com o que se tornaria o Crackle. Do seu poleiro, ela viu uma nave que, após uma inspeção mais detalhada, percebeu ser um cargueiro leve 690 Ghtroc razoavelmente intacto.[17]

Decidindo procurar dentro da nave para pegar peças, ela achou comida e, mais importante, que o núcleo do reator ainda estava funcionando. Percebendo que todo a nave reparada valia mais a Plutt do que suas partes recuperáveis, ela decidiu reparar ele para poder vendê-lo, descobrindo painéis internos que ela poderia usar para esconder sua nave de outros catadores. Como ficou escuro lá fora, Rey optou por passar a noite na nave.[17]

Reparar a nave mostrou-se difícil, pois significava usar peças que ela poderia ter trocado por comida para reparar a nave, fazendo-a passar fome com mais frequência do que o habitual. Sua decisão de não dar algumas partes a Plutt acabou atraindo a atenção dos catadores Devi e Strunk, que perguntaram a ela sobre isso. Ela se recusou a contar qualquer coisa, e eles disseram a ela que talvez não fossem os únicos a perceber o comportamento incomum de Rey.[17]

ReysFirstFlight

Rey era uma piloto habilidosa, que desenvolveu suas habilidades com um programa de simulação de voo.

Dez dias depois, a dupla seguiu Rey e descobriu no que ela estava trabalhando, e se ofereceu para ajudá-la a consertá-la em troca da passagem de Jakku com ela quando ela terminasse. Depois que Rey explicou que iria vender o cargueiro para Plutt assim que terminasse, Devi e Strunk negociaram um acordo com ela: eles a ajudariam a consertar a nave e dividiriam o que Plutt lhes desse.[17]

Enquanto Rey desconfiava deles no começo, ela passou a pensar neles como amigos, pois eles provavam sua confiabilidade, vigiando a nave à noite e ajudando a protegê-lo de um grupo de Teedos. Juntos, os três catadores restabeleceram a nave em bom estado de funcionamento e Rey foi capaz de pilotar a nave no deserto com as habilidades que ela havia aprendido em seu programa de simulador de voo. Uma vez que a nave estava consertada, Rey o levou para o Posto Avançado de Niima com os outros. No entanto, assim que ela saiu para negociar com Plutt, Devi e Strunk roubaram a nave e fugiram do planeta, deixando Rey sem nada para mostrar por seu trabalho. Mais tarde naquela noite, Rey socou as lentes de um capacete de stormtrooper abatido antes de voltar a testar suas habilidades em seu simulador de vôo.[17]

Um despertar na Força

Fugindo de Jakku

Rey with BB-8

Rey e BB-8 logo após se encontrarem pela primeira vez.

Certo dia, ela encontrou um droide do modelo BB-8. No começo, a sucateira pretendia vendê-lo, mas se apegou emocionalmente ao droide e decidiu permanecer com ele. No entanto, no dia seguinte, enquanto alguns contrabandistas tentavam roubá-lo dela, Rey acabou sendo encontrada por Finn. No começo, pensou que Finn era um ladrão, mas ele conseguiu convencê-la de que fazia parte da Resistência, embora isso não fosse verdade.

Enquanto ainda se apresentavam um ao outro, começaram a ser perseguidos por Caças TIE, que haviam sido enviados pela Primeira Ordem a fim de capturar o droide BB-8. Para despistá-los e fugir do planeta Jakku, utilizaram a antiga Millenium Falcon, que, no momento, estava enferrujada e pertencia a um dos catadores do local. Após terem conseguido fugir, perceberam que a nave estava sendo capturada por contrabandistas espaciais. Enquanto se escondiam dentro da nave e ainda tentavam instalar uma armadilha contra os ladrões, os contrabandistas se revelaram serem Han Solo e Chewbacca. Logo depois de se encontrarem com Han e Chewbacca, foram emboscados por piratas dos quais Solo havia acumulado algumas dívidas. Após uma tentativa mal sucedida de negociar com os ladrões, eles tiveram de batalhar contra eles e fugir na Millenium Falcon.

Jornada para Takodana

"Rey... esses são seus primeiros passos."
―A voz de Obi-Wan Kenobi durante a visão de Rey.[fonte]
Maz Kanatas Castle Takodana

Rey, Finn e Han Solo adentrando no templo de Maz Kanata.

Já tendo escapado dos contrabandistas, os quatro descobriram que BB-8 trazia coordenadas do local onde Luke Skywalker estaria escondido. No entanto, as coordenadas estavam incompletas. Assim, porém, a Millenium Falcon estava precisando de abastecimento, eis que então Han Solo decide ir para o planeta Takodana a fim de se encontrar com uma antiga pirata chamada Maz Kanata. No planeta, Finn conta para Rey que, na verdade, não pertencia à Resistência, mas que era um Stormtrooper da Primeira Ordem que, em sua primeira missão, já havia decidido não iria matar e lutar por eles, ele então decide que seria melhor que ele fosse embora.

Decepcionada e triste pela atitude de Finn, Rey caminhava pelo palácio até que escutou uma voz de uma pessoa gritando. A fim de saber de onde vinha essa voz, ela acabou encontrando uma sala onde havia um baú no qual se encontrava o antigo sabre de luz que havia pertencido a Anakin Skywalker e, depois, ao seu filho, Luke Skywalker. Porém, no momento em que tocou no sabre, ela teve um visão na qual viu Luke com R2-D2, Kylo Ren e a si mesma no momento em que foi abandonada pelos pais, o que fez com que se afastasse do sabre.

Um pouco depois, Maz Katana aparece e a explica que a Força se encontra em tudo ao redor e que Rey deveria deixá-la despertar em si. Porém, ela não queria tocar no sabre novamente e, assustada, fugiu do local até as florestas do planeta junto a BB-8.

Sequestro e Fuga

"Você tem medo... de que nunca será tão poderoso quanto Darth Vader!"
―Rey para Kylo Ren[fonte]
ReyRen-TFAintltrailer

Rey é capturada por Kylo Ren.

Ainda nas florestas do planeta, ela percebeu a chegada de tropas e naves da Primeira Ordem. No momento em que tentava retornar ao templo onde estavam Han e Chewbacca, foi avistada por alguns stormtroopers acompanhados por Kylo Ren. Rey tentou atirar em Kylo Ren com a sua arma, mas o mesmo conseguiu desviar os disparos e capturá-la.

Assim, ela foi levada por Ren para as instalações da Base Starkiller. Na base, Ren tentou interroga-la utilizando a força para vasculhar sua mente onde estava o mapa para Luke Skywalker, porém, Rey conseguiu reverter a manipulação mental de Ren e atormentá-lo dizendo que ele sente medo de que nunca conseguirá superar seu avô, Darth Vader. Após se descobrir sensível a força, ela conseguiu usar um truque mental no stormtrooper que a guardava, fazendo-o abrir a cela. Rey então começou a tentar escapar da base sem que ninguém percebesse. No caminho, ela se reencontrou com Finn, Han Solo e Chewbacca, que haviam vindo para a Base com objetivo de desativar os escudos da Base Starkiller e resgatá-la.

Após plantar os explosivos nas colunas do oscilador térmico (que após sua detonação daria acesso as X-Wings que estavam atacando a base ao ponto fraco da instalação), Rey testemunhou uma tentativa de Solo de dialogar com Kylo, onde ela descobrira que Ren era o filho de Han Solo, Ben. Ele preferiu assassinar seu pai a abandonar o lado sombrio, na verdade, ele achava que seus pais eram mais uma fraqueza que impedia ele de fortalecer. Rey e Finn fugiram juntos, mas Ren os perseguiu até a floresta de Starkiller.

Rey vs. Kylo Ren

Quando ambos se encontraram, Kylo conseguiu deixar Rey temporariamente desacordada utilizando um empurrão da Força, Finn ligou o sabre de luz de Luke e começou a lutar contra Kylo Ren. Após Kylo desarmar e ferir Finn, ele então tentou chamar o sabre de seu avô para si, mas foi surpreendido quando, ao invés disso, o sabre fora para as mãos de Rey. Rey começou a lutar com Kylo, mesmo sem possuir qualquer experiência usando um sabre. Ren a encurralou na beira de um precipício, a lembrou de sua falta de treinamento e se ofereceu para ensiná-la. Mas Rey recusou, e aproveitou do momento de hesitação de Ren para reunir seu poder na Força. Rey conseguiu ferir e derrotar seu oponente, porém, antes que ela conseguisse matá-lo, uma fissura se abriu no chão devido a iminente destruição da Base Starkiller, separando-os. Chewbacca apareceu pouco tempo depois com a Millenium Falcon, ela carregou um Finn ferido para dentro da nave e retornou para D'Qar.

Encontrando o último Jedi

Descobrimento de Luke Skywalker

"Rey, que a força esteja com você"
―Leia para Rey[fonte]

Após retornar a base da Resistência, R2-D2 saiu de seu estado de gestão de energia e revelou o resto do mapa com a localização de Luke Skywalker. Após se despedir de Finn (que estava inconsciente), Rey, Chewbacca e R2-D2 foram para a localização indicada na Millennium Falcon. Deixando o wookie e o droide para trás, Rey andou por uma ilha do planeta sem nome que ela havia visto em suas visões no Palácio de Maz Kanata. Lá, ela encontrou Skywalker e o apresentou seu antigo sabre de luz.[1]

Depois de oferecer o sabre de luz, Rey ficou chocada ao ver Luke simplesmente descartar a arma depois de brevemente examiná-la. Durante sua descida da montanha, a jovem desesperadamente tentou convencer Skywalker a ajudar os membros restantes da Resistência, mas ele se recusava. Depois de recuperar o sabre de luz, Rey continuou a seguí-lo pela ilha, apesar dele ter mandado a jovem ir embora. Eventualmente, ela acabou por encontrar uma velha árvore que continha alguns dos textos Jedi mais antigos desde a criação da Ordem Jedi, dizendo que conhecia aquele lugar. Luke, intrigado, pediu que ela explicasse, mas ela continuou a pressioná-lo a sair de seu exílio e ajudar a luta contra a Primeira Ordem. Luke mais uma vez recusou, revelando que ele não viera a Ahch-To para se esconder, mas, sim, para morrer. Depois, ele perguntou a Rey seu verdadeiro motivo de vir até a ilha, e ela explicou que possuía um poder dentro dela que ela não compreendia e que isso a assustava. Naquela noite, Luke disse a Rey que ele lhe daria três aulas sobre a Ordem Jedi e porque ela deveria acabar.[6]

Treinamento e revelações

"O que você sabe sobre a Força?"
"É um poder que os Jedi têm que faz com que eles controlem pessoas… e façam coisas flutuar."
"Impressionante. Cada palavra de sua frase está errada."
―Luke Skywalker e Rey[fonte]
Rey and Luke First Lesson TLJ

Skywalker relutantemente aceita treinar Rey, mas o poder bruto da catadora o faz lembrar de outro prodígio—seu sobrinho, Kylo Ren.

No primeiro dia de seu treinamento com Skywalker, Rey acordou e encontrou Kylo Ren sentado à sua frente.[6] Ela instintivamente apontou seu blaster para ele e atirou, apenas para abrir um buraco em sua cabana de pedra. Ela não poderia machucá-lo, mas Ren também não podia usar seus poderes para alcançar sua mente devido à distância real entre eles. Rey estava ao mesmo tempo aterrorizada e furiosa ao ver o senhor da guerra sombrio, mas decidiu manter esse novo acontecimento entre eles para si mesma e esconder de Skywalker, temendo que ela perderia a confiança do Mestre Jedi se ele confundisse ela e a nova conexão de Ren como uma traição.[18] Ela o seguiu até o primeiro templo Jedi, onde ele descreveu a Força como uma energia que unia tudo, incluindo a luz e as trevas. Após alguma falta de comunicação, Rey alcançou a Força com seus sentidos e sentiu-se atraída para uma caverna imersa em energia do lado sombrio.[6] Tendo sido atraído pela escuridão sem esforço, apesar dos avisos de Skywalker, Skywalker recuou com medo quando o poder bruto de Rey na Força o lembrou de outro prodígio talentoso—seu sobrinho e aprendiz caído, Ben Solo.[18] Ao mesmo tempo, Rey não sentiu nada do Jedi exilado e percebeu que Skywalker havia se distanciado da Força.[6]

Em sua próxima lição, Rey foi obrigada a ouvir a interpretação de Skywalker da história da Ordem Jedi, que ele viu como um exemplo de arrogância e fracasso. Ele também creditou seu ex-mentor, Obi-Wan Kenobi, como o Mestre Jedi responsável pelo treinamento de Darth Vader e também culpou os Jedi por não conseguirem parar Darth Sidious de subir ao poder. Apesar de seus argumentos, Rey estava convencida de que o retorno da Ordem Jedi era a última esperança da galáxia contra o poder crescente da Primeira Ordem. Ela também rebateu as opiniões de Skywalker, exclamando como foi o próprio Skywalker quem viu a luz em Vader e lutou para resgatá-lo. No entanto, apesar de suas afirmações contrárias, Skywalker se sentiu responsável pela queda do sobrinho no lado sombrio, lamentando como ele esperava passar suas lições para Solo e uma nova geração de Jedi. Foi então que Rey aprendeu sobre a noite da traição de Solo, como explicado do ponto de vista de Skywalker.[6]

Como seu treinamento com Skywalker continuou,[6] sua conexão com Ren se tornou mais forter[19] e resultou em interações mais frequentes entre eles.[6] No começo, Rey ficou incomodada com o fato de estar ligada a um homem que considerava um assassino e monstro.[18] Para sua surpresa, no entanto, Ren não tentou mais esconder seus sentimentos de dor[19] e miséria[18] de Rey.[19] A certa altura, ela perguntou—distraída com a visão de Ren despojado até a cintura—sobre como ele poderia matar seu próprio pai, ao qual Ren respondeu comparando a experiência de Rey com o abandono à sua. Seu conhecimento dos pais de Rey a confundiu, assim como a lembrou que o primeiro contato entre suas mentes lhes permitiu acessar as memórias um do outro. Ren aproveitou a oportunidade para compartilhar sua lembrança da noite em que destruiu a têmpora de seu tio, revelando a Rey que Skywalker havia tentado acabar com sua vida enquanto dormia. Ela queria acreditar que Ren estava mentindo, mas seus sentimentos lhe disseram que ele estava dizendo a verdade.[18]

Determinada a ver seus pais mais uma vez depois de tantos anos, Rey seguiu a atração pelo lado sombrio que a levou a uma caverna cheia de inúmeras versões espelhadas de si mesma. Olhando para um espelho nublado de pedra polida, ela implorou à Força que revelasse seus pais, mas só foi recebida por seu próprio reflexo. Tendo falhado em encontrar as respostas que ela procurava, com seus pais ou com Skywalker, Rey começou a se desesperar quando anos de isolamento começaram a pesar sobre ela. Como resultado, ela se voltou para a única pessoa que sentia que poderia se relacionar com seu senso de solidão e perda: Kylo Ren. O guerreiro sombrio ouviu atentamente enquanto Rey recordava sua experiência na caverna, e ele insistiu que ela não estava sozinha, apesar da sensação de solidão. Rey retornou seu gesto da mesma forma, e começou a acreditar que não fosse tarde demais para ele voltar à luz.[18]

Luke interrupting Rey and Kylo Ren

Desiludida pela rejeição de Skywalker do legado Jedi, Rey procurou Kylo Ren, se comunicando com ele através das estrelas.

Até então, seu vínculo havia atingido um nível sem precedentes de vigor e poder bruto[20] na medida em que Rey o comparou a tocar um fio elétrico. Ela ergueu timidamente a mão para tocá-lo, embora esperasse que as mãos deles simplesmente passassem uma pela outra. Quando seus dedos realmente se tocaram, Rey segurou a mão de Ren. Naquele momento, no entanto, Skywalker—agora reconectado à Força—testemunhou o vínculo com seus próprios olhos e interrompeu a conexão deles. Confrontando o Mestre Jedi, Rey exigiu saber se ele tentou assassinar Ren. Os dois lutaram até Skywalker admitir que ele havia pensado em matar seu sobrinho depois de sentir a escuridão dentro dele. Ao contrário de Skywalker, Rey não acreditava que Ren estivesse totalmente comprometido com o lado sombrio, pois ainda havia muito conflito dentro dele. Ela, portanto, decidiu confrontá-lo, apesar dos avisos de Skywalker, sob a crença de que Ben Solo se redimindo era a chave para salvar a galáxia.[18] Sem avisar Skywalker, Rey levou os textos sagrados Jedi com ela a bordo da Falcon antes de deixar Ahch-To. Ao retornar à frota sitiada de Resistência, Rey ordenou que Chewbacca a lançasse de uma cápsula de fuga em direção à nave capitânia de Snoke, a Supremacia, onde Ren aguardava sua chegada.[6]

Conflito na Supremacia

"Rey. Eu quero que você se una a mim. Nós podemos governar juntos e trazer uma nova ordem para a galáxia."
"Não faça isso, Ben. Por favor, não siga esse caminho."
―Kylo Ren e Rey[fonte]
TLJ And kills his true enemy

Sentindo o conflito dentro de Ren, Rey implorou ao aprendiz sombrio para ouvir o lado luminoso.

Quando eles se aproximaram da sala do trono de Snoke, Rey lembrou a Ren que ele ainda tinha uma chance de se redimir. Snoke deu as boas-vindas a Rey e tirou as algemas. Ele então puxou o sabre de luz para ele e o colocou no braço de seu trono. Snoke comentou alegremente sobre a ex-catadora e usou a Força para puxá-la em sua direção, alegando que ele havia criado o elo de Força entre Rey e Ren, a fim de encontrar Luke Skywalker. Quando Snoke a procurou diretamente pela localização de Skywalker, Rey corajosamente recusou e tentou pegar seu sabre de luz usando telecinesia; Em vez disso, Snoke apenas redirecionou a arma, atingindo-a na parte de trás da cabeça.[6]

Divertido com a coragem dela, Snoke a levou diante de um projetor holo mostrando os membros restantes da Resistência sendo destruídos e prometeu que iria se juntar a eles. Em vez de perder a esperança, no entanto, a visão levou Rey a convocar o sabre de luz de Ren e desafiá-lo a desafiar Snoke mais uma vez, conquistando prontamente o respeito do Líder Supremo enquanto ele a elogia por sua coragem, enquanto finalmente a reconhece como uma ameaça genuína ao seu reinado. Restringindo Rey mais uma vez, Snoke devolveu o sabre de luz de Ren para ele e ordenou que ele a executasse, confiante que seu aprendiz o faria. Em vez disso, Ren sutilmente usou a Força para transformar o sabre de luz de Rey e ativou-o, cortando Snoke em dois. Livre do controle do Líder Supremo e com seu sabre de volta em suas mãos, Rey de repente se viu em uma trégua temporária com Ren quando eles se aliaram e mataram todos os guardas na sala do trono.[6]

Rey and Ren kicking butt

Ren de fato traiu seu mestre, matando Snoke e se juntando a Rey contra a fúria dos Guardas Pretorianos.

Com os guardas pessoais de Snoke mortos, Ren ofereceu a Rey a chance de se juntar a ele e "deixar o passado morrer" e trazer uma nova ordem para a galáxia, mas quando ela implorou para que ele se juntasse à Resistência, Ren revelou o que pensava ser a verdade sobre os pais dela: os dois eram catadores de lixo que a trocaram por dinheiro e morreram em Jakku, enterrados em uma cova sem identificação. Ren estendeu a mão e mais uma vez ofereceu a ela um lugar ao lado dele para remodelar a galáxia à sua imagem. Rey hesitou mas, como em Base Starkiller, recusou sua proposta novamente e tentou puxar seu sabre de luz de volta para ela. A pressão da Força de ambos os usuários provou ser demais e dividiu a arma em duas, deixando-os inconscientes. Chegando ao primeiro lugar, Rey recuperou as duas metades do sabre de luz.[6] Antes de deixar a ponte, ela olhou para a forma inconsciente de Ren e brevemente considerou matá-lo com seu próprio sabre de luz. Por fim, Rey decidiu que não cabia a ela tirar a vida de Ren e que a Força acabaria decidindo seu destino. Ela então voou para longe na lançadeira de Snoke, passando despercebido pelo espaço e usando as contramedidas da nave para evitar a detecção.[18]

Quase imediatamente após de ativar o piloto automático da lançadeira, Rey desmaiou. Algum tempo depois, uma voz de seu passado fez sentir sua presença em um sonho, reiterando um pedido de que ela ficasse e sua promessa de que um dia eles voltariam para ver ela. Ao ouvir essas palavras, Rey acordou, encontrando sua lançadeira flutuando entre as ruínas da frota da Primeira Ordem. Em poucos minutos, ela entrou em contato com a Millenium Falcon, que logo atracou com a naveo, permitindo que Rey escapasse e se reunisse com Chewbacca e R2-D2 a bordo da Millennium Falcon, deixando a lançadeira de Snoke à deriva.[21]

Resgate em Crait

"Como vamos construir uma rebelião com isso?"
"Temos tudo o que precisamos."
―Rey e Leia Organa[fonte]
Rey in Falcon Turret TLJ

Durante a batalha de Crait, Rey resgatou a Resistência das tropas do Líder Supremo Kylo Ren.

A partir daí, ela se reagrupou com os combatentes da Resistência no planeta Crait, que estavam em uma antiga base da Aliança Rebelde. Eles chegaram exatamente quando a Resistência estava sofrendo perdas pesadas com o ataque da Primeira Ordem; com Rey cuidando das torretas da Falcon, Chewbacca conseguiu atrair os caças TIE que estavam atacando de longe da batalha, pelas cavernas cristalizadas do planeta.[6]

Apesar do desvio bem-sucedido de Rey do suporte aéreo da Primeira Ordem, a Resistência ainda foi finalmente recuada pelo poder de fogo da Ordem. Enquanto Skywalker adiava o ataque final da Primeira Ordem por meio de uma projeção da Força, a Resistência procurava escapar através de uma rede de túneis atrás de sua base.[6]

Leia Rey SWD

Vendo Rey triste pelas perdas sofridas em Crait, Leia Organa garantiu a ela que eles iriam conseguir começar a rebelião novamente.

Seguindo o farol de mão dupla de Organa, Rey e Chewbacca aterrissaram perto de uma entrada dos fundos da antiga base rebelde coberta de pedras. Confiando na Força, ela aceitou seu destino como um Jedi e começou a afastar as pedras da saída, permitindo que os membros sobreviventes da Resistência escapassem; aqui ela se reuniu com Finn e o abraçou. Quando ela estava prestes a fechar as portas da Falcon quando a Resistência estava a bordo, ela compartilhou mais um vínculo através da Força com Ren,[6] mas ela fechou a conexão[18] e partiu na Falcon. Em segurança no hiperespaço, Rey se reuniu com o BB-8 e tomou conhecimento da nova antena do dróide. Ao se reunir com a maioria dos membros da Resistência, Rey conheceu Dameron e foi calorosamente reunido com Organa. Ambos foram capazes de sentir que Luke se tornara um com a Força, mas que finalmente encontrara a paz, e Organa garantiu a ela que a Resistência e a esperança sobreviveriam.[6]

A bordo da Falcon

"Sabe, Rey… Se as coisas tivessem sido um pouco diferentes, nós teriamos nos conhecido há um tempo atrás. Provavelmente sentados aqui, há algum tempo, os quatro de nós, indo em direção a Leia entregar aquele mapa Jedi."
"Se há algo que eu estou começando a aprender, Poe, é que você não pode se concentrar em mudar o passado. Foque no presente. Trabalhe com o que você já tem."
"Oh, eu sei. Só que… Eu poderia ter evitado varias dores de cabeça, sabe. Considerando tudo o que passamos, é difícil não pensar nas diferentes escolhas."
―Poe Dameron e Rey[fonte]
Poe finn and rey post crait

Junto ao Finn, Rey começou a considerar Poe Dameron um de seus amigos.

Depois de escapar da Primeira Ordem a bordo da Falcon, Rey, acompanhada por Finn, BB-8 e Poe, comentou sobre suas experiências passadas, levando Rey a contar que ela havia aprendido que eles não podiam pensar em mudar o passado, em vez disso, se concentrar no presente. Depois que Finn trouxe à tona a questionável sobrevivência de Poe durante sua fuga do TIE, Rey e Finn ouviram a história e explicação sobre o que levou à sua sobrevivência.[22] Posteriormente, Rey usou o C-3PO para traduzir parte da escrita nos textos sagrados Jedi.[23]

Sabendo que Kylo Ren era filho de Leia Organa, Rey pressionou a general da Resistência por informações sobre o passado de Ren, na esperança de aprender as razões por trás de sua queda. Embora ela se lembrasse do relato de Ren sobre sua briga com Skywalker, Rey não entendeu por que ele escolheu o lado sombrio, apesar de seu começo na luz. Ela contou a súplica de Ren, de que eles poderiam governar a galáxia juntos, a Organa, que viu a dor gravada no rosto de Rey enquanto pensava em Ben Solo. Organa percebeu que Rey se importava com Solo, e sua decisão de tomar o poder absoluto em vez da redenção havia decepcionado Rey. Ambos concordaram que ninguém era capaz de salvar Solo, exceto ele mesmo, mas Rey ainda estava decepcionada devido à esperança que ela tinha por ele.[24]

Aventura em Mon Cala

"Sério? Vamos ver como você se sai contra o poder da Força."
―Rey para uma besta do poço Anoatiano[fonte]
ReyTelekineticStaff-Allegiance3

Rey usou a Força para girar seu bastão, atingindo vários agressores Quarren.

Algum tempo depois, Rey foi procurar peças sobressalentes de gerador enquanto ela permanecia no campo da Resistência em Anoat. Ela começou uma briga com uma enorme fera anoatiana. Ao combatê-lo, ela tentou se concentrar e usar a Força para domar a fera, mas sem sucesso. Eventualmente, ela foi salva pela Millennium Falcon com Leia, Chewbacca e Tico a bordo, onde eles passaram a ir para Mon Cala.[25]

Enquanto estava em Mon Cala, ela lutou com alguns dos homens de Nossor Ri com sua equipe antes da Aftab Ackbar intervir.[26]

Como resultado das brigas, os agentes da Resistência foram levados ao rei Ech-Char para julgamento. Chadkol Gee sugeriu o antigo Rito do Desafio para resolvê-lo, e Rey concordou, a fim de salvar seus amigos. Ela então lutou contra Arkay-Nine. Depois que Tico interveio, eles foram exilados do planeta de acordo com as leis. No entanto, um Quarren tinha sabotado nave.[27]

Rey correu atrás do Quarren e, com a ajuda de Tico, o capturou. Eles então o trouxeram perante o rei novamente, eles foram capazes de convencê-lo a dar o apoio do Mon Calamari. Ao mesmo tempo, uma frota de Destróieres Estelares liderada pelo general Hux tinha chegado.[28]

Missão a Minfar

Resistance on Minfar

Ajudada por Dameron e Rose Tico, Rey liberou os Zixon de Minfar da Primeira Ordem.

Algum tempo depois, após a missão em Mon Cala, a nova tripulação da Millennium Falcon foi enviada a Fermic para buscar suprimentos. Dameron ofereceu Rey para pilotar, mas ela queria pilotar a nave. Quando estavam terminando o carregamento, eles receberam um pedido de socorro de Minfar, levando-os a ir para ajudar. Ao chegar, foram emboscados pelas forças de um cruzador leve de Primeira Ordem.[29]

Após o pouso, a equipe explorou a selva, logo caindo em uma série de túneis onde os Zixon moravam. Eles foram recebidos por Lim, que os levou para sua aldeia. Precisando de peças, os habitantes locais os levaram às Terras Proibidas, que eram antigos laboratórios imperiais. Os Zixon ficaram encantados com a corneta de eco levado pelo comandante da Primeira Ordem Branwayne Spiftz. As forças da Primeira Ordem escaparam, deixando a Resistência inventar uma nova maneira de libertar os Zixon, auxiliados pela espiã Glenna Kip. Eles voltaram a Falcon para estreitar o acampamento com Rey pilotando, enquanto Dameron se infiltrou em seu cruzador, a Ladara Vex, e destruiu a corneta de eco. Uma chamada da Resistência permitiu que chegassem reforços.[29]

Em Batuu

"A Resistência não é um local. Está viva e está em todo lugar. Nós vamos nos rebelar contra você!"
"Não! Contra mim, você falhará."
―Rey confronta Kylo Ren em Batuu[fonte]
RenVsRey-SWGE

Rey batalha com Kylo Ren em Batuu.

Algum tempo depois de deixar Crait, Rey foi para o mundo da Orla Exterior de Batuu. Lá, ela liderou uma tentativa de recrutamento localizado em um acampamento da Resistência perto das ruínas antigas, ao lado de Chewbacca e outros membros da Resistência.[30] Em um ponto durante o tempo de Rey no Black Spire [tradução necessária], Ren enfrentou o espião da resistência Vi Moradi no setor 3. Ela se recusou a dizer a Ren onde estava sua nova base, mas, antes que o Líder Supremo pudesse machucá-la, Rey apareceu e disse a Ren que a Resistência era mais do que um um local, e que estava viva e presente em todos os lugares, e que ela se rebelaria contra ele. Ren alegou que aqueles que lutaram contra ele perderam, e os dois começaram a duelar, onde Ren alegou que a Resistência era uma causa sem esperança. Rey respondeu que eles lutavam com esperança, e que ela acreditava que isso permitiria a rebelião vencer. Depois que Chewbacca se juntou à batalha contra as forças da Primeira Ordem, Ren ganhou a vantagem e perguntou por que, apesar da Resistência não ser nada em seu ponto de vista, eles arriscavam tudo, fazendo com que Rey dissesse a ele que arriscaria tudo pela vitória. Rey então bateu o sabre de luz no Líder Supremo e fugiu dele, e Ren foi forçado a sair, como um stormtrooper o informou de um "incidente" em um destróier. Agora a salvo, Rey e seus aliados partiram para ver a general Organa, que estava os esperando.[31]

Antes que uma Nave de Transporte Intersistema decolasse do acampamento em uma missão, Rey se comunicava com os que estavam a bordo através de uma mensagem holográfica entregue pelo BB-8. Depois de aparecer, ela informou ao BB-8 que ele deveria estar preparando o voo, que logo partiu. Ela então se virou para falar com os novos recrutas da Resistência em Batuu, agradecendo a eles por se unirem à causa. Ela então os informou que uma equipe secreta da Resistência havia se infiltrado no Finalzer, que agora estava indo para Batuu. Sabendo que Batuu não era mais seguro para abrigar uma base de resistência, ela informou que eles estavam preparando transportes para levá-los para sua nova base em Pacara. Ela então os informou que eles precisavam desesperadamente de sua ajuda na luta contra a Primeira Ordem antes de informar que eles deveriam manter em segredo a localização de sua nova base. Confiando neles, ela informou que o tenente Bek seria o capitão do transporte que os levaria a Pacara. Após uma breve mensagem de Bek, ela os recebeu na Resistência e esperava que a Força estivesse com eles antes de terminar sua transmissão.[32][33]

O caminho dos Jedi

"Rey, nunca tenha medo de quem você é."
―Leia Organa para Rey[fonte]
Rey meditates

Enquanto treinava para ser uma Jedi, Rey tentou se comunicar com os grandes Jedi do passado.

Após sua quase destruição na Batalha de Crait, a Resistência se reagrupou sob a liderança da General Organa. A presença de Rey entre suas fileiras ajudou nos esforços de recrutamento, com a notícia de que a última Jedi estava lutando pela causa da Resistência.[8] Rey adotou o caminho dos Jedi, embora ela também honrasse suas raízes usando roupas inspiradas em seu passado em Jakku.[34] Como resultado da morte de Luke Skywalker, coube a sua irmã Organa supervisionar o treinamento de Rey. Foi algo que Organa havia seguido trinta anos antes,[8] aprendendo brevemente as artes Jedi sob a orientação de seu irmão,[4] antes de decidir que seu futuro estava em uma direção diferente. Organa, portanto, serviu como mentora de Rey, cuja natureza compassiva e admiração pela força interior a fizeram reverenciar a general.[8]

AjanKloss-Rey

Enquanto procurava pelo seu verdadeiro eu, Rey encontrou o caminho dos Jedi.

O treinamento de Rey continuou nas florestas de Ajan Kloss, um local seguro para a Resistência e o mesmo planeta em que Organa deu seus primeiros passos na Força. As florestas tropicais primitivas formaram uma pista de obstáculos naturais para desafiar as habilidades físicas e mentais de Rey. Ela também utilizou as ferramentas antigas de Skywalker que Organa usou uma vez enquanto aprimorava suas próprias habilidades da Força.[8]

Um regime de treinamento típico inventado por Organa envolvia Rey capturando fitas coloridas amarradas a árvores que foram defendidas por um trio de controles remotos codificados por cores. Esses controles remotos de treinamento testaram as habilidades de evasão e deflexão de Rey, voando sobre ela em campos repulsivos, disparando raios para distraí-la. O controle remoto vermelho era o mais persistente e, portanto, o mais desafiador para o temperamento de Rey.[8] Nesse ponto, Rey reparou com sucesso o sabre de luz Skywalker, embora ela também sentisse que ainda não tinha o direito de manejá-lo como sua própria arma.[4] O sabre reparado apresentava marcas de solda, bem como a pulseira de Rey, que havia sido reaproveitada para prender o eixo quebrado. O cristal kyber dentro havia sido regenerado usando técnicas que Rey aprendeu das escrituras Jedi.[8]

Jornada para encontrar Exegol

"Ache o localizador, vá para Exegol… E acabe com esse conflito de uma vez por todas."
―Rey, lendo as escrituras de Luke Skywalker[fonte]

Um ano após a Batalha de Crait,[3] uma mensagem misteriosa foi transmitida por toda a galáxia, anunciando o retorno do falecido Sith Lord Darth Sidious.[4] Quando a notícia da jornada de Kylo Ren a Exegol chegou a Resistência, cortesia de um espião da Primeira Ordem, ficou instantaneamente claro para Rey como o Líder Supremo empreendeu a viagem para encontrar o antigo reduto dos Sith. Ela havia lido sobre os localizadores Sith nas páginas dos textos Jedi, especificamente o Rammahgon de capa vermelha, que havia sido anotado por Luke Skywalker. O Mestre Jedi havia narrado seus esforços para encontrar o localizador do Imperador, enquanto rastreia menções fugazes de Exegol durante suas explorações da galáxia. Estudando as anotações de Skywalker, Rey aprendeu que um localizador teria que ser usado pelo menos uma vez para encontrar um caminho traçado pelas Regiões Desconhecidas até Exegol; a rota pode ser salva em um computador de navegação padrão para uso futuro.[8]

Determinada a terminar o que Skywalker começou, Rey partiu em uma busca para encontrar um localizador e achar Exegol, onde o ex-Imperador estava preparando uma armada de Destróieres Estelares de classe Xyston, armada com armas capazes de destruir planetas, para implantação. Embora ela pretendesse viajar sozinha, acreditando que a missão era perigosa demais para seus amigos, eles decidiram acompanhar Rey em sua missão.[4]

Missão a Pasaana

"Você ainda conta os dias desde que seus pais te abandonaram? Tanta dor em você. Tanta raiva. Eu não quero te matar. Eu irei achar você e irei trazê-la para o Lado Sombrio. Quando eu oferecer minha mão novamente... você irá aceitá-la."
"Vamos ver."
―Kylo Ren e Rey, via vínculo de Força[fonte]
Rey on Pasaana Festival

Rey, acompanhada de amigos, seguiu os rastros de Luke Skywalker para encontrar Exegol, no qual terminou no planeta de Pasaana.

Acompanhada por seus amigos Finn, Dameron e Chewbacca, além dos droides BB-8 e C-3PO, Rey seguiu o caminho de Skywalker para encontrar Exegol, que terminava no planeta Pasaana.[4] Ela agradeceu a sensação de calma que Pasaana lhe deu, ainda se sentindo mais confortável nos mundos desérticos. Em contraste com seu mundo natal desolado de Jakku, Rey encontrou Pasaana repleta de cultura.[8] Sua chegada coincidiu com o Festival dos Antepassados; Enquanto Rey vagava pelo festival, seu vínculo com Kylo Ren reconectou os dois usuários da Força, permitindo que eles se vissem e se ouvissem através das estrelas.[4]

Rey Force Bond on Pasaana

Rey comunicou-se com Kylo Ren pelo vínculo de Força.

Ren disse a Rey que o Imperador a queria morta; quando ela o acusou de servir na licitação de outro mestre, Ren negou,[4] tendo sacrificado demais para ser subserviente.[8] Ele não queria matá-la, embora também quisesse saber por que Rey havia recusado sua oferta, quando soube que ela queria aceitar. Em vez de responder à pergunta de Ren, Rey perguntou por que ele salvou a vida dela, em vez de matá-la quando teve a chance. Conhecendo a história completa por trás da linhagem de Rey, Ren tinha certeza de que se ele fizesse a mesma oferta novamente, Rey aceitaria se soubesse a verdade. Antes que a conexão terminasse, Ren tomou posse do colar de casca, fazendo com que ele se teletransportasse para sua localização através do vínculo.[4] O colar foi presenteado a Rey pela foliã Aki-Aki, Nambi Ghima[8] e, como tal, a Primeira Ordem descobriu que Rey estava em Pasaana.[4]

Enquanto tentava evitar as tropas da Primeira Ordem, Rey e seus companheiros foram encontrados por Landonis Balthazar Calrissian, a quem Organa procurou por ajuda. Depois de acompanhar Skywalker em sua jornada de busca por Exegol, Calrissian apontou o grupo na direção do Legado Bestoon, uma nave abandonada que pertencia ao assassino Sith Ochi.[4]

Rey uses force healing

Rey usou a cura da Força em um Vexis ferido.

Enquanto viajavam para a nave, eles foram emboscados por vários soldados da Primeira Ordem, mas depois conseguiram derrotá-los. Ao se aproximarem da nave, eles foram pegos pelos Trocadores e começaram a afundar; Rey ouviu Finn gritando por ela, mas todos afundaram no subsolo dentro da lama, entrando em um sistema subterrâneo de cavernas. Depois de se reagruparem, Rey perguntou a Finn o que ele tentou dizer a ela, mas Finn decidiu contar a ela "outra hora". Eles descobriram os ossos de Ochi ao lado de uma adaga antiga que tinha várias runas Sith inscritas na lâmina e, embora o C-3PO fosse capaz de traduzi-lo, ele não pôde devido à uma restrição em sua programação de idiomas. Um grande réptil conhecido como Vexis apareceu repentinamente. Embora parecesse hostil, Rey, vendo o animal ferido, usou a Força para curar suas feridas, domesticando e acalmando a criatura e fazendo com que ela revelasse uma saída nos túneis que a fera havia criado sob a areia.[4]

Rey uses force lightning

Rey, sem intenção, destruiu o transporte com relâmpagos da Força.

Rey concordou que eles deveriam extrair os dados do C-3PO e, antecipando que a Primeira Ordem havia levado a Millennium Falcon, preparou-se para partir a bordo da nave de Ochi; no entanto, ela sentiu a chegada de Kylo Ren e deixou o grupo para poder confrontá-lo. Rey esperou Ren atacar em seu sussurrador TIE, e subsequentemente o destruiu cortando sua asa com seu sabre de luz enquanto pulava para evitar ser atingida. Depois de desativar o caça de Kylo, ​​Rey descobriu que Chewbacca e a adaga haviam sido pegos pelos Cavaleiros de Ren e levados por soldados a bordo de um transportador de tropas AAL-1971/9.1. Correndo para ajudar, Rey usou a Força para tentar parar o transporte que carregava Chewbacca e a adaga Sith roubada. Kylo Ren puxou de volta, e a luta subsequente resultou em Rey destruindo a nave com uma explosão repentina de um relâmpago da Força, chocando bastante os dois. Horrorizada com o que ela havia feito e pensando que havia matado Chewbacca, Rey mal conseguiu escapar a tempo.[4]

Linhangem sombria

"Você não tem apenas poder. Você tem o poder dele. Você é a neta dele. Você é uma Palpatine. Minha mãe era a filha de Vader. Seu pai era o filho do Imperador. O que Palpatine não sabe é que nós somos uma díade na Força, Rey. Dois que são um."
―Kylo Ren para Rey[fonte]
Rey subdues Zorii Bliss

Rey subjugou Zorii Bliss e a equipe dela.

Rey seguiu Finn e Poe até Kijimi para fazer com que o C-3PO lesse a mensagem inscrita na adaga. No entanto, o grupo foi parado por Zorii Bliss, uma corredora de especiarias local que anteriormente trabalhou com Poe e logo o reconheceu. Quando Zorii ameaçou capturar a equipe, Rey atacou a mulher com seu bastão e segurou o sabre de luz contra a garganta de Zorii. Zorii disse a Rey que, embora Rey provavelmente não se importasse, ela pensava que estava bem, com o qual Rey disse a ela que se importava. Zorii levou o grupo a Babu Frik, onde em sua oficina ele concluiu com êxito o procedimento no C-3PO, limpando a memória do droide no processo. Quando a Primeira Ordem chegou a Kijimi, Rey sentiu onde Kylo Ren estava e descobriu que Chewbacca estava vivo.[4]

Force-bond battle

Rey atacou Ren através do vínculo quando ele tentou contar a ela a verdade sobre suas origens.

Chegando ao Destróier Estelar para resgatar Chewbacca, Rey confundiu dois stormtroopers com um truque mental Jedi e juntou-se a Finn e Poe paa encontrar Chewbacca, que estava em cativeiro, mas ela é atraída pela presença da adaga, dizendo aos outros que ela sabia que eles precisavam dela de alguma forma. Enquanto Rey se dirigia aos aposentos de Kylo Ren, ela encontrou a máscara que pertenceu ao Lorde Sith Darth Vader. Vendo a adaga junto com a balestra de Chewbacca e uma bandoleira, ela foi buscá-los. Quando Rey agarrou a adaga, ela recebeu outra visão; desta vez do que aconteceu com seus pais. Ochi, que deveria encontrar e recuperar Rey, matou seus pais quando eles estavam no seu caminho. Um duelo breve contra Kylo se seguiu quando ele e Rey se conectaram através da díade da Força. O vínculo deles permitiu que eles vissem e lutassem fisicamente, de longe, revelando a presença dela nos aposentos dele quando a briga fez com que sua mesa de cinzas segurando o capacete de Darth Vader caísse na frente dele. Quando Kylo percebeu onde Rey estava, Rey pegou a adaga e as coisas de Chewbacca antes de correr em direção ao hangar.[4]

DyadofKyloRenandRey-TROS

Rey descobriu a verdade sobre sua linhagem e a natureza de seu vínculo com Kylo Ren.

Quando chegou ao hangar, ela descobriu que Finn, Poe e Chewbacca não haviam retornado. Ela viu Kylo pousar e disse ao BB-8, C-3PO e D-O para localizá-los. Enquanto os stormtroopers os cercavam, Rey confrontou Ren na baía do hangar. Ela perguntou por que Palpatine queria matá-la. Ren respondeu dizendo que ela tinha o poder dele, revelando a ela que seu pai era filho do Imperador, assim como a mãe de Ren era filha de Vader. Ren também revelou que ele e Rey eram uma díade na força, dois seres sensíveis à Força que foram emparelhados para se tornar um na Força, e juntos eles poderiam derrotar Palpatine e tomar o Trono dos Sith para si mesmos. Como Ren a levou a tomar uma decisão, Rey disse que ela já tomou uma quando a Falcon chegou. Rey saltou para fora do hangar em direção a Finn sob a rampa da Falcon, e a Resistência então fugiu.[4]

Kef Bir

"O que é aquilo?"
"Aquilo é a Estrela da Morte. É um lugar mal, de uma guerra antiga."
D-O e Rey[fonte]
ReySearchesonKefBir-TROS

Rey usou a adaga de Ochi para buscar a localização do localizador do Imperador nas ruínas da segunda Estrela da Morte.

Rey seguiu o grupo até Kef Bir, encontrando um grupo de ex-stormtroopers liderados por alguém que se chamava Jannah. Usando a adaga de Ochi de Bestoon contra a silhueta dos destroços da Estrela da Morte II, Rey localizou a área onde o ponto de passagem Sith deveria estar localizado. Ela queria partir imediatamente, mas Jannah avisou que os mares eram perigosos demais e que partiriam pela manhã. Sem o conhecimento de seus companheiros, Rey pilotou impacientemente um esquife marítimo para as ruínas. Ela caminhou e subiu pelos corredores e abismos dilapidados da outrora temida segunda Estrela da Morte. Ela finalmente entrou na Sala do Trono do Imperador, o lugar onde Luke derrotou seu pai e onde Anakin Skywalker cumpriu a profecia. Ela se aproximou do trono de seu avô. Nesse momento, uma porta ao lado do trono se abriu. Rey entrou pela porta quando se fechou atrás dela. Explorando o cofre, ela achou o localizador. Uma vez que ela pegou, ela viu a versão do lado sombrio de si mesma. A visão sombria disse a ela para não ter medo de quem ela era, ecoando as palavras de seu mestre. Seu lado sombrio ativou o sabre de seu bastão, e eles se envolveram em um duelo. Ela não era párea para seu lado sombrio interior, e saiu do cofre e largou o localizador. Ren estava lá e pegou o objeto.[4]

Ascensão de Skywalker

"Eu queria ter aceitado sua mão. A mão de Ben."
―Rey para Ben Solo[fonte]
A Dyad in the Force

Rey foi pega de surpresa por Ren na ruínas da segunda Estrela da Morte, onde seus respectivos avós morreram.

Ren tinha chegado para Rey sem sua máscara. A catadora tinha a sensação de que ele nunca mais a usaria em sua presença. Ren sentiu que a voz dela traiu sentimentos de desprezo quando notou o desespero de Rey para provar a si mesma como uma Jedi para sua mãe. Mas, ao aceitar suas emoções mais sombrias, Ren acreditava que Rey havia se tornado tão isolada quanto ele, e que ela não era mais capaz de retornar a Organa assim como ele. No entanto, Rey continuou a desafiá-lo, confundindo o Líder Supremo. Ele ficou surpreso que ela ainda pudesse resistir, mas continuou a provocá-la, afirmando que o lado sombrio era da natureza deles. Ele pediu que ela se rendesse ao sentimento. Rey ordenou que Ren devolvesse o localizador, mesmo empurrando com a Força, mas sua tentativa de truque mental não teve efeito sobre Ren. Ela entrou em pânico ao sentir o próximo passo dele. Ren declarou que ela nunca encontraria Exegol a menos que ela se juntasse a ele, e com isso ele quebrou o localizador Sith com suas próprias mãos.[9]

KyloReyKefBirDuel-TROS

O último duelo entre Rey e Ren situou-se nas ruínas da Segunda Estrela da Morte.

Enfurecida, Rey ativou seu sabre de luz e atacou Ren. Em vez de ativar seu próprio sabre de luz, Ren saltou para fora do trajeto do golpe de Rey, mergulhou para longe do próximo ataque e foi para longe dela. O fato de ele não estar revidandon enfureceu Rey mais ainda, que quase se perdeu no sentimento de fúria. Trazendo seu próprio sabre de luz, ele começou a bloquear o sabre de Rey, enquanto ela continuava a golpear e bater sua arma nele. Ele acabou cedendo, caindo em um poço com Rey pulando atrás dele sem pensar duas vezes. Saindo da sala do trono, os dois que fazem parte da díade duelaram ferozmente pelas trincheiras aquáticas das ruínas da Estrela da Morte. Durante o duelo, Rey sentiu Finn por perto, tentando trazê-la de volta. Alarmada com a presença dele, Rey foi dominada por um instinto de proteger seu amigo de possívels ataques de Ren. Sem refletir muito, ela empurrou Finn com a Força, enviando-o na direção oposta de Ren e em direção a Jannah. Durante o duelo de sabres de luz, os dois brigaram telepaticamente, com Ren lembrando a Rey que ele a conhecia de maneiras que ninguém mais poderia. Quanto mais eles brigavam, mais claro ficava que Ren era fisicamente mais forte que Rey. Ren dominou a maior parte da luta deles, e Rey acabou sendo derrubado por seus ataques.[9]

Rey heals Kylo Ren

Rey curou Kylo Ren com a Força e confessou que ela queria ter aceitado a mão dele.

Ren pairava sobre Rey, que o encarou enquanto ele levantava o sabre de luz. Naquele momento, Rey estava convencida de que ela morreria nos destroços de uma estação espacial, aceitando que ela talvez não fosse rápida o suficiente para evitar seu próximo ataque. Mas enquanto ela se preparava para a morte, Ren congelou onde ele estava, com seu sabre de luz erguido. Seu olhar de repente se tornou distante; do outro lado da galáxia, sua mãe chamou seu nome de nascimento com o último suspiro de vida que tinha. Ren largou o sabre de luz, sentindo a morte de sua mãe através da Força, enquanto Rey, exultante com a perspectiva de vitória, pegou a arma do Líder Supremo e perfurou seu abdômen, perfurando-o com o sabre roubado. Tendo sentido a morte de Leia, Rey começou a chorar e percebeu que ela tentou matar Ren em um ato de raiva. Lamentando suas ações, Rey estendeu a mão, colocando a mão no peito de Ren. Ren abriu os olhos e encarou Rey, confusão e anseio por ela visíveis no seu olhar. Aproveitando toda a sua energia, bem como a força da vida ao seu redor, ela doou grande parte a Ren. Como resultado, sua ferida foi curada, desaparecendo completamente junto com sua cicatriz facial. Rey sentiu o espanto de Ren com perguntas não respondidas e explicou que ele estava certo. Ela queria se juntar a ele, mas apenas o lado de Ben Solo, não Kylo Ren. Desiludido por sua provação, Rey pilotou o caça TIE sussurrador e saiu de Kef Bir, permitindo que seu instinto ditasse seu próximo passo, por desespero, para escapar do conflito galáctico.[4]

Retorno para Ahch-To

"Rey, algumas coisas são mais poderosas do que vínculos de sangue. Confrontar o medo é o destino de um Jedi. É o seu destino."
―O espírito de Luke Skywalker para Rey[fonte]
ReyandForceGhostLuke-TROS

O espírito de Luke Skywalker comunicou-se com Rey, convencendo a ela a enfrentar seu avô, Darth Sidious.

Abalada por sua linhagem Sith e pelas várias instâncias de raiva influencidas pelo lado sombrio, Rey retornou a Ahch-To na nave de Kylo, ​​com a intenção de ir para o exílio como fez seu primeiro mestre, Luke Skywalker. Ela queimou a nave que a trouxe até lá, mas justamente quando jogou o sabre de luz Skywalker nos destroços em chamas, o espírito da Força de Luke Skywalker apareceu e o pegou. Após uma longa discussão, Skywalker a convenceu a enfrentar seu avô, Darth Sidious, como fez com seu pai, Darth Vader, dizendo que enfrentar o medo era o destino de um Jedi. Ele deu a ela o sabre de luz de Leia Organa e seu antigo X-wing, que Rey levou para Exegol, navegando com o localizador que ele encontrou nos destroços da nave de Kylo.[4]

Batalha contra o Sith

"Por muito tempo esperei que minha neta viesse para casa. Eu nunca quis que morresse. Eu queria você aqui, Imperatriz Palpatine. Você assumirá o trono. É o seu direito de nascença governar aqui. Está no seu sangue. Seu e meu."
―Darth Sidious para Rey[fonte]
ReyMeetsPalpatine-TROS

Rey confrontou seu avô, Darth Sidious, durante a batalha de Exegol.

Rey viajou por uma rota segura para Exegol na X-Wing de Luke Skywalker, Vermelho Cinco, usando o localizador de Kylo Ren e transmitiu seu curso traçado à Resistência, permitindo que eles viajassem ao longo de sua passagem. Rey chegou a Exegol e passou a enfrentar Darth Sidious dentro da Cidadela Sith. Antes do Trono dos Sith, o frágil e imóvel Lorde Sombrio dos Sith deixou cair o teto da câmara, descobrindo a batalha acima, mostrando uma Resistência muito menor em número e sem armas que falhou contra o poder da frota da Eternidade Sith em batalha. Explorando o iminente extermínio de toda a Resistência, Sidious ordenou que ela o derrubasse com ódio, para que sua "nova família" não fosse aniquilada, com a intenção de transferir seu próprio espírito para o corpo jovem e forte de Rey. Rey esteve parada por um tempo depois de sentir que Kylo Ren - agora redimido e usando seu nome de nascimento, Ben Solo, estava no Exegol. Ela quase sucumbiu às tentações do poder absoluto e ao lado sombrio da Força, mas a presença de Solo estava brilhando com a luz em sua mente. Sabendo que ele tinha vindo para ajudá-la, ela fingiu admitir derrota e aceitação enquanto protegia suas verdadeiras intenções do Imperador, uma habilidade que ela aperfeiçoou através da prática com Ren.[9]

BenAndReyStandTogether-TROS

Juntos como uma verdadeira díade, Rey e Ben Solo confrontaram Darth Sidious.

Solo, percebendo que ele não poderia derrotar todos os seis Cavaleiros de Ren com apenas um blaster, recebeu uma mensagem telepática de Rey através de seu vínculo, e ele sabia o que ela pretendia fazer. Rey abaixou a arma nas costas, como se estivesse se preparando para derrubar seu avô, que se inclinou para frente com uma expectativa alegre, mas quando ela levantou a mão, não havia nada lá. Ela projetou sua arma e o Imperador, horrorizado, percebeu seu erro ao permitir que Rey e Solo se unissem. O vínculo deles havia sido refinado no fogo da busca mútua, na dor compartilhada, na raiva e no ódio, mas também na compaixão e na empatia, e era a única coisa que Sidious não havia previsto. Rey ativou seu sabre de luz sobressalente, o sabre de luz que pertenceu a Leia, quando um grupo de soldados de Protetores Soberanos a cercou. Assim como antes em Pasaana e Kijimi, eles estavam separados, mas também juntos, com Rey lutando contra os guardas de túnica vermelha e Solo enfrentando seus antigos companheiros. Desta vez, no entanto, eles estavam se apoiando uns aos outros em busca de força, tornando-se ainda mais poderosos como um em vez de dois. Ren correu em direção à sala do trono, onde Rey havia derrotado todos os guardas, exceto um, que Solo jogou de lado usando a Força. Eles ficaram de frente um para o outro, finalmente juntos. Rey observou como Solo era diferente de Ren e se perguntou como ela nunca notou a semelhança entre ele e seus pais até então. Eles ergueram seus sabres de luz como um, entrando em uma posição de luta diante de Sidious.[9]

Force drained by Sidious

Sidious usou seus poderes "sobrenaturais" da Força para extrair a energia vital de Rey e Ben.

Sidious rosnou para seus futuros herdeiros, exclamando que eles morreriam juntos quando ele levantou a mão podre e os empalou com a Força. Seus sabres de luz caíram no chão, e o Imperador os puxou para si. Eles estavam impotentes contra o poder do Lorde Sombrio. Como efeito colateral, no entanto, suas energias vitais combinadas começou a rejuvenescer o clone. Sidious ofegou, observando quando suas mãos começaram a se unir novamente, ossos re-crescendo e a pele pálida se fechando sobre eles. Ele ficou surpreso ao descobrir que sua neta e neto de Vader eram uma díade na Força, e o vínculo deles era o equivalente ao poder da vida. Percebendo que seus poderes combinados lhe permitiriam retornar completamente à vida, Sidious usou a Força para drenar a energia vital de Rey e Solo para se restaurar à forma que tinha antes de sua primeira morte nas mãos de Anakin Skywalker durante a Batalha de Endor. Com seus poderes esgotados e drenados, Rey e Solo caíram no chão. Sem mais uso para Solo, Sidious, exclamando vingança por sua primeira morte, lançou-o em um abismo próximo para uma morte aparente.[9]

Sidious, tendo sido totalmente restaurado ao seu antigo eu, disse aos seus legalistas Sith para não temerem o ataque da Resistência, pois ninguém impediria o retorno dos Sith. Ele então começou a demonstrar uma poderosa exibição de raios da Força no ar, o que desativou todas as naves da Resistência até o tamanho das fragatas do Nebulon B, incluindo as de Finn, Poe e a frota da galáxia, e as despencou em direção ao solo, incluindo o lendário Tantive IV. Enfraquecido e aparentemente derrotado, Rey ouviu as vozes dos Jedi do passado, incluindo seu ex-mestre Luke Skywalker, o pai dele, Anakin Skywalker, a de Obi-Wan Kenobi, Yoda, Qui-Gon Jinn, Ahsoka Tano, Mace Windu, Luminara Unduli, Aayla Secura, Kanan Jarrus e Adi Gallia, encorajando-a e emprestando-lhe poder para continuar lutando contra o Lorde Sith.[4]

PalpatineIsDefeated-TROS

Com a assistência dos espíritos de todos os Jedi falecidos, Rey usou o poder de seu avô caído de volta para ele, destruindo-o.

Rey então se levantou, com o vigor recebido dos Jedi diante dela. Sidious, percebendo isso, interrompeu seu ataque de raios da Força na frota de Resistência. Dizendo a Rey que sua morte marcará o fim da Rebelião, Sidious lançou uma enxurrada de raios da Força em Rey. Rey então tentou bloqueá-los com o sabre de luz de Leia, mas Sidious disse a Rey que ele não pode ser parado e que ele é "Todos os Sith". No entanto, Rey respondeu que ela é "Todos os Jedi", chamando de volta o sabre de luz Skywalker e acendendo-o, usando os dois sabres de luz para desviar os raios de Sidious de volta para ele. Incapaz de suportar a tensão da imensa energia refletida, Sidious gritou de agonia e horror ao se desintegrar sob sua própria energia. Em uma explosão que dizimou toda o local, ele e toda a Eternidade Sith, Darth Sidious - o ex-senador de Naboo, o último Chanceler Supremo da antiga República Galáctica, Lorde Sombrio dos Sith, a ameaça fantasma e Imperador da galáxia - foi destruído, trazendo a Ordem Sith, bem como o antigo conflito entre os Sith e os Jedi, a um fim.[4]

BenandReyKiss-TROS

Após a derrota de Darth Sidious, Rey e Ben reconheceram sua conexão e seus sentimentos de um pelo outro com um beijo.

Rey morreu da enorme quantidade de poder necessária para destruir Sidious, um evento sentido por Finn, e seu corpo desabou no chão. No entanto, Solo havia sobrevivido ao ataque anterior de Sidious e subiu o penhasco do Abismo, correndo de volta para Rey quando ele percebeu que ela se sacrificou para matar o Imperador. Encontrando Rey morta, Solo lamentou e a envolveu em seus braços. Incapaz de aceitar sua morte, ele tomou a decisão de se sacrificar para que Rey pudesse viver novamente. Ele colocou a mão nela e derramou sua própria força vital para o corpo dela, ressuscitando-a. Ao acordar, Rey cobriu a mão dele na barriga dela com a sua e o encarou, percebendo o que aconteceu. Ele esperava a rejeição dela novamente, mas depois de um momento de confusão, os olhos de Rey se iluminaram e ela sussurrou o nome dele, realmente feliz em vê-lo. Surpreendendo Solo ainda mais, em vez de deixá-lo ir, Rey encheu seu coração quando ela alcançou seu rosto e se inclinou para frente beijando-o. Ela compartilhou com ele um beijo de gratidão, reconhecendo a conexão deles pela primeira vez, enquanto dois eram preenchidos de alegria, comemorando que realmente haviam se encontrado. Mas Rey logo ficou preocupada quando o sentiu ficando mais frio, e quando ela se afastou para olhá-lo, Solo sorriu para ela. Ainda com ele em seus braços, Rey apertou sua mão e assistiu Solo desmoronar no chão sem arrependimentos depois de trazê-la de volta à galáxia, a Força o alcançou em boas-vindas. Rey ficou no lugar em que ela acabou de ver Solo desaparecer e chorou, encarando sua túnica vazia.[9]

Por mais que ela não quisesse lamentar por Kylo Ren, Rey ficou cheia de tristeza pensando na oportunidade perdida de conhecer Ben Solo, que acabou de sacrificar tudo por ela. Ela sentiu como se a sua outra metade tivesse sido arrancada dela. Depois de todos os anos de solidão em Jakku, ela acabara de descobrir que fazia parte de uma conexão, uma díade, mas como isso foi tirado dela, ela ficou arrasada. Mas, ao ouvir a voz de Solo através da Força, tentando confortá-la, tranquilizando-a de que ele sempre estaria com ela, Rey sorriu ao perceber que ele não tinha partido de verdade.[9]

O próximo passo

"Eu sou Rey."
"Rey o que?"
"Rey Skywalker."
―Rey e uma mulher local de Tatooine[fonte]
ReySkywalker

Honrando a jornada heróica dos Skywalker, Rey assumiu o nome da família e se deslumbrou com as estrelas binárias de Tatooine.

Rey voltou a Ajan Kloss para comemorar a vitória com a Resistência, onde ela se reuniu com Dameron e Finn novamente. Ansiosa para vê-los, ela compartilhou um abraço com seus amigos. Depois, ela foi para a fazenda de umidade de Lars em Tatooine, onde ela fundiu o sabre de luz de Leia e o sabre de luz Skywalker, criando seu próprio sabre de luz no qual conseguiu garantir que funcionasse. Quando uma mulher local pediu seu nome, ela renunciou à sua linhagem Palpatine, renomeando-se "Rey Skywalker" com a bênção dos espíritos da Força de Luke Skywalker e Leia Organa.[4] Ela manteve suas origens como Palpatine em segredo, incerta sobre o que seus aliados pensariam se soubessem a verdade ou se se importassem com sua genealogia.[9]

Personalidade e traços

Rey2-Fathead

Rey era uma mulher relativamente magra, de cabelo castanho e habilidosa com um bastão

Rey era um ser humano do sexo feminino, que media 1,7 metros[5] e pesava 54 kg.[35] Ela tinha cabelos e olhos castanhos e pele clara[5] que se adaptaram à extrema radiação ultravioleta emanada pelo sol que brilhava no mundo desértico de Jakku. As duras realidades de um mundo assim poderiam facilmente tornar uma pessoa cínica ou fechada para a simpatia e fraquezas, mas não Rey. Rey possuía um coração cheio de generosidade e vontade de ajudar outras pessoas necessitadas.[36] Foi essa disposição que a levou a não apenas ajudar o BB-8 a se livrar da interferência de Teedo e das tentativas de Plutt de adquirir o droide, mas também a levou a ajudar o BB-8 em sua missão. Embora ela nunca quis deixar Jakku por medo de que ela não estivesse presente quando sua família voltasse para ela,[1] ela acreditava na importância da Resistência e em sua luta contra a Primeira Ordem, suficientemente para que ela ajudasse BB-8 em sua missão para encontrar Luke Skywalker e derrotar a Primeira Ordem.[36]

Ela tinha um lado teimoso, privado e autoconfiante, desconfiada dos companheiros catadores Devi e Strunk quando eles ofereceram sua ajuda na reparação do cargueiro Ghtroc 690 que ela encontrara.[17] Foi difícil mudar de idéia depois de tomar uma decisão, roubando impacientemente um speeder para alcançar os restos da Estrela da Morte em Kef Bir, em vez de esperar que a maré diminuísse, contrariando o conselho de Jannah.[4]

Seu duelo com Kylo Ren na Base Starkiller e os outros eventos da época expuseram Rey ao medo, agressão e raiva. Essas emoções poderiam facilmente levar alguém ao lado sombrio da Força. Rey precisava de orientação, e Skywalker era o único Mestre Jedi na galáxia.[37] No entanto, no final de seu tempo juntos, Rey ficou furiosa com Skywalker devido à sua rejeição da filosofia Jedi e sua recusa em explicar seu papel na queda de Ben Solo para o lado sombrio. Ela acreditava que a galáxia precisava da Ordem Jedi e ficou consternada com a rejeição de Skywalker de seu mandato como o último Jedi. Por mais difícil que Rey tenha reconciliado o lendário Mestre Jedi com o velho eremita derrotado que queria que a ordem Jedi terminasse, ela permaneceu firme em sua convicção de que Skywalker era o herói que a galáxia precisava.[18] Embora sua jornada para Ahch-To tenha terminado em desapontamento para Rey,[5] ela se recusou a perder a esperança—uma característica que levou Snoke a considerá-la uma verdadeira Jedi em espírito, e precisamente por que ele precisava que ela morresse.[18]

Durante anos, a imaginação de Rey levou sua mente a outros mundos, incluindo aqueles com florestas[36] e beleza com que ela nunca poderia sonhar. Seu encontro com Maz Kanata impactou profundamente como ela se via e do que era capaz, e Rey começou a ver que ela fazia parte de uma luta galáctica maior—e que o poder da Força estava com ela. Seu reconhecimento dessas habilidades e seu destino coincidiram com a turbulência na Força Cósmica, que durante anos permaneceu inativa,[36] e finalmente a levou a encontrar Skywalker.[1] Os anos que ela passou em Jakku também se mostraram úteis quando confrontados com a obstinação de Skywalker; tendo aprendido o valor da paciência, Rey permaneceu em Ahch-To, apesar da recusa do antigo mestre Jedi em sua súplica, determinado a desgastá-lo.[19] O tempo deles se tornou uma batalha de inteligência, pois Skywalker e Rey eram igualmente teimosos. Quando ela encontrou Skywalker com poucas respostas, Rey improvisou por conta própria.[37]

Rey and BB-8

Apesar das duras condições de sua educação, Rey era compassiva e disposta a ajudar os necessitados.

Por anos, Rey permaneceu otimista e esperançosa de que seus pais voltassem para ela, usando o mesmo penteado e estilo de roupa que ela tinha quando a deixaram na esperança de que a reconhecessem quando voltassem. A pergunta sobre quem eles são de verdade a assombraram enquanto estava em Ahch-To, e ficou com sentimentos de decepção e solidão ainda maior quando ela não encontrou respostas. Ela ficou perturbada quando Kylo Ren a levou a acreditar que seus pais eram meros catadores de lixo que venderam sua filha para poderem ter dinheiro para bebidas.[6] A verdade de que ela era neta de Palpatine, no entanto, teve um efeito ainda maior nela. Ela começou a acreditar que, como Palpatine, era naturalmente má e tentou se isolar em Ahch-To como Skywalker, para o bem da galáxia. Foi apenas com o incentivo de Skywalker, que admitiu que ele estava errado, que Rey superou esse medo e se juntou à batalha final contra a Primeira Ordem em Exegol. Mais tarde, depois que a batalha foi vencida, Rey renunciou à sua herança biológica, já ela se renomeou Rey Skywalker.[4]

O amigo mais importante na vida de Rey era Finn. Ele foi o primeiro a se importar genuinamente com ela, perguntando imediatamente se ela estava bem quando foram derrubados enquanto fugiam de stormtroopers no Posto Avançado de Niima. Suas habilidades se complementaram enquanto voavam na Millennium Falcon e, quando escaparam de Jakku, começaram a formar um vínculo profundo e inquebrável, começando a se importar imensamente um com o outro. Rey implorou para que Finn não partisse em Takodana e estava disposta a morrer com o Finn inconsciente na Base Starkiller, salvo apenas pela chegada oportuna de Chewbacca na Falcon.[1] Ela continuou a se preocupar com ele enquanto estava no Ahch-To, solicitando que Chewbacca desse a Finn uma mensagem se ela não conseguisse voltar. Ela o abraçou com força quando se reuniram em Crait, aliviada por estar mais uma vez com seu melhor amigo.[6]

Espiritualidade

"Isso não vai acabar do jeito que pensa."
"Vai. Agora mesmo, quando tocamos nossas mãos, eu vi o futuro dele. Eu olhei—e era tão real quanto você. Seu for até ele, Ben Solo irá se juntar a mim."
―Luke Skywalker e Rey[fonte]
TLJ Rey inside Uneti Tree

Rey possuía uma fé profundamente enraizada na Força, uma energia espiritual que ela considerou como um mito.

A maior vantagem de Rey era sua fé profundamente enraizada no poder da Força e sua conexão com ela. No entanto, sua fé foi prejudicada por um sentimento de insegurança, que cresceu ao lado de suas habilidades Jedi, à medida que vozes e imagens sombrias surgiram espontaneamente em sua mente. Enquanto morava em Jakku, Rey se via como alguém extraordinário. Como tal, ela originalmente atribuiu suas habilidades à sorte e à intuição, sem saber que elas foram reforçadas por sua conexão inata com a Força. Embora tivesse ouvido histórias da Força e dos Jedi durante seus anos de formação em Jakku, Rey achou mais fácil acreditar que eles eram mitos fantasiosos em vez de algo real.[8]

Depois de aprender com Han Solo que as lendas da Força eram verdadeiras,[19] Rey tornou-se profundamente espiritual ao longo de sua jornada para descobrir o caminho dos Jedi. Ela acreditava na existência da Força, mas seu conhecimento estava ausente devido à sua exposição limitada a seus poderes. À medida que seu treinamento progredia, Rey começou a ver a Força como algo mais do que as habilidades que concedia a indivíduos sensíveis à Força. Ela concordou com Skywalker que a Força era o equilíbrio entre conceitos opostos—como vida e morte, criação e destruição, ou luz e escuridão—embora continuasse discordando da intenção de seu mestre de acabar com a Ordem Jedi. Foi sua fé na Força que levou Rey a confrontar Kylo Ren pessoalmente. Sua fé na Força era tão completa que ela não teve dúvidas sobre o que viu quando tocou em Ren. Em sua mente, a Força havia mostrado a ela o que tinha que ser feito, a Força havia mostrado a ela o que tinha que ser feito e, sem hesitação, Rey aceitou o seu papel no destino de Ren.[18]

ReyHingedLightsaber

Debaixo de toda a devoção de Rey ao lado luminoso, ainda havia dúvidas e medos sobre suas inclinações mais sombrias.

Ela inicialmente se sentiu justificada pela traição de Ren por Snoke, exultando pela maneira como ele a salvou ao derrubar seu próprio mestre, mas ficou chocada com sua decisão de continuar no caminho sombrio, tendo certeza de que a redenção de Ren era a vontade da Força. No entanto, ela se absteve de matá-lo enquanto ele estava inconsciente. Para Rey, era a vontade da Força que Ren continuasse vivendo, embora para que finalidade ela não soubesse. Como tal, Rey adotou uma abordagem de "esperar para ver" em relação aos planos da Força para Ren.[18]

A fé de Rey na Força ficou mais forte quando ela se aprofundou nos textos sagrados Jedi roubados de Skywalker, absorvendo seus conhecimentos e desenvolvendo uma nova apreciação por seu lugar na história. Ela não acreditava que a verdade suprema da Força pudesse ser encontrada em suas páginas, mas, no entanto, Rey passaria horas se perdendo em seus estudos, ficando fascinada e impressionada pelas técnicas esotéricas da Força e práticas meditativas.[8]

Relacionamento com Kylo Ren

"Olhe para mim. Ben. Quando nos tocamos eu vi seu futuro, apenas a forma dele, mas sólido e clara. Você não vai se curvar diante de Snoke. Você vai mudar—eu vou ajudá-lo. Eu vi. É o seu destino."
―Rey para Ben Solo[fonte]
A Mysterious Connection

Rey considerou Kylo Ren seu inimigo mortal, mas através de seu vínculo, ela obteve informações que a levaram compreender a sua mágoa e dor.

Rey viu Kylo Ren pela primeira vez antes que ela realmente o conhecesse, quando o sabre de luz de seu avô desencadeou uma visão da Força cheia de imagens de dor e destruição. Durante seu primeiro encontro, Rey ficou aterrorizada quando Ren usou a Força para paralisá-la. Embora ela não pudesse impedir Ren de olhar em sua mente e descobrir seus sentimentos, pensamentos e solidão, Rey era desafiadora em relação a ele, declarando que ela não daria nada a ele, muito menos o mapa completo para Luke Skywalker. [38] Ela ficou tão surpresa quanto ele ao descobrir que a mente de Ren também estava aberta para ela. Com a morte de Han Solo, Rey viu Ren como um monstro por tirar a vida de seu próprio pai, o mesmo homem que Rey passou a considerar uma figura paterna. [39]

Rey estava com medo de Ren, apesar de sua vitória sobre ele. Quando o guerreiro das trevas apareceu na cabana de Rey em Ahch-To, seu primeiro instinto foi pegar seu blaster e matá-lo. Ela ficou furiosa quando Ren não apenas agiu como um estudante tentando entender sua conexão, mas também esperava que ela o ajudasse a resolvê-la como sua parceira. [18] A presença de Ren provocou a raiva em Rey, [40] enquanto ela jurava fazê-lo pagar por suas ações. Ela também considerava Ren uma perigosa ameaça à Resistência e, na época, acreditava que não havia mais nada da luz dentro dele. Como Ren ficou mais forte no lado escuro, Rey estava convencida de que a Resistência cairia a menos que Skywalker voltasse para restaurar a Ordem Jedi. [18]

ReyKylo-Bond

No começo, Rey ficou furiosa com a presença de Ren e desejou puni-lo por matar Han Solo.

A princípio, o crescente vínculo entre eles fez pouco para amenizar o medo que dominou Rey quando sentiu Ren através da Força. Sua presença fez Rey estremecer, embora a catadora se recusasse a ceder. Ela se sentia segura sabendo que, apesar da conexão entre o espaço e o tempo, Ren não estava na Ahch-To e, portanto, era incapaz de tocá-la. Para grande frustração de Rey, Ren se divertiu com a determinação dela de cessar seu ar de curiosidade desapegada. Quando perguntou se Skywalker havia contado a ela sobre a noite em que o templo foi queimado, Rey ficou surpresa com a pergunta de Ren. À medida que o vínculo ficou mais forte, começou a despertar o interesse de Rey. Seu medo e raiva deram lugar à curiosidade ao pensar na possibilidade de estar na mente um do outro novamente, apesar de considerar a presença de Ren algo a ser suportado em vez de bem-vindo. No entanto, ela também começou a se perguntar se eles seriam capazes de realmente se tocar através da galáxia. [18]

Kylo connecting with Rey

Com o passar do tempo, a conexão de Rey com Ren e seu longo isolamento a fizeram simpatizar com o senhor da guerra da Primeira Ordem.

Enquanto ela ainda considerava Ren seu inimigo mortal, Rey havia se acostumado à presença dele durante seu treinamento em Ahch-To. Exasperada com seu tempo com Skywalker, o vínculo apenas agravou seu dilema e ela se cansou de suas interações forçadas com Ren. Desesperada para entender como um filho poderia matar seu próprio pai, Rey pressionou Ren a responder por suas ações patricidas. No entanto, ela se viu distraída com a visão de Ren, que estava despido até a cintura. As sobrancelhas dela se ergueram quando ela o averiguou rapidamente, notando a cicatriz que ela lhe dera no duelo marcando-o desde seu rosto, pescoço e decendo até a clavícula. Rey se forçou a se concentrar nos olhos de Ren, apenas para ficar paralisada pelas emoções que via neles. Quando sua aparência física se tornou muito perturbadora para ela, Rey pediu a Ren para se cobrir. Embora ela finalmente recuperasse o foco, a atitude de desprezo de Ren fez Rey querer gritar. Ela se recusou a vê-lo como seu professor, especialmente depois que Skywalker assumiu esse papel. [18]

Rey considerou Ren um indivíduo irritante e ficou especialmente incomodada com sua genuína curiosidade por ela. [18] Mas, à medida que o vínculo entre eles se aprofundava, Rey ficou surpresa com o quão explícito Ren estava com suas emoções e ficou interessada em aprender a verdade sobre sua queda para o Lado Sombrio. Embora inicialmente irritada com os esforços de Ren agindo como seu mentor, Rey achou irônico como Skywalker a rejeitou depois que ela rejeitou Ren. Sentindo-se abandonada por Skywalker e tendo falhado em mudar a opinião dele sobre o destino da Ordem Jedi, Rey tornou-se mais aberta à companhia de Ren, especialmente depois de sua busca pessoal para descobrir a identidade de seus pais que acabou em fracasso. Em vez de procurar Skywalker, Rey encontrou consolo em Ren, a quem reconheceu como alguém que entendia seus sentimentos de solidão e rejeição. Esse novo entendimento entre eles agora fez Rey sentir uma onda de alívio quando a Força os conectou através das estrelas. Mesmo antes de ele aparecer, era Ren que Rey queria ver e confiar, após sua experiência na caverna do espelho em Ahch-To. Ela também ficou mais intrigada com os efeitos do vínculo deles, e considerou estender a mão para tocar a mão de Ren, seu rosto ou seu cabelo. [18]

Rey and Ben Solo

Rey se importava com Ben Solo, e a conexão deles a convenceu de que ele ainda existia por dentro da casca de Kylo Ren.

No período que ela passou a conhecer Ren por meio da conexão deles, suas opiniões sobre ele mudaram gradualmente, levando-a a considerar a possibilidade de que não era Ren quem falhou com Skywalker, mas sim Skywalker que falhou com seu aprendiz. Depois de aprender a história completa com a confissão de Skywalker, Rey sentiu que seu mestre havia falhado como um Jedi ao perder a fé em seu aprendiz anterior. Sabendo que ainda havia muito conflito em Ren, Rey estava convencida de que ela poderia ajudá-lo a sair do lado sombrio, e como Skywalker ainda se recusava a se juntar à luta, ela acreditava que Ben Solo era a última esperança da galáxia. [18]

Rey não apenas desenvolveu um certo grau de familiaridade com Ren, mas também aprendeu a moderar seus impulsos em relação a ele. Embora ela estivesse tentada a provocá-lo quando ele exigiu que ela entregasse o sabre de luz de sua família, Rey suprimiu esse impulso assim como a vontade de lembrar a Ren sobre como ela poupou sua vida na Base Starkiller. Ela tinha vindo com esperanças de argumentar com ele, mas Rey, no entanto, queria que Ren se lembrasse de que foi ela quem acionou essa cadeia de eventos, ao procurá-lo. Ela ficou exaltada quando Ren matou o Líder Supremo Snoke e a ajudou a derrotar os Guardas Pretorianos, mas sua alegria se transformou em decepção quando ele resolveu continuar seu caminho na escuridão como o novo governante da galáxia. Rey começou a se importar com Ben Solo, e ela queria tomar seu lugar ao lado de Ben, não ao lado de Ren. Mas como Kylo Ren ele ameaçou destruir seus amigos e aliados. Rey optou por recuar do relacionamento crescente entre eles por causa das ações e maquinações de Ren, enquanto que até então ela se viu simpatizando com ele devido ao seu vínculo na força e seu desejo por companhia. Com o passar do tempo, Rey passou a considerar a maneira como Ren usava seu passado como uma jogada cruel. [8]

Poderes e habilidades

Rey demonstrou domínio de Persuasão da Força ao fazer um stormtrooper fazer o que ela queria usando apenas a voz. Além disso, usou a Telecinese quando moveu o sabre de luz de Luke Skywalker usando a Força.

Nos bastidores

Criação e desenvolvimento

"Eu costumo ser atraido em direção a histórias de mulheres, principalmente de mulheres jovens em situações diferentes – assim como fiz em Felicity e Alias - Codinome Perigo. E estávamos falando sobre 'quem poderia ser essa?', e então eu vi essa jovem mulher."
―J.J. Abrams[fonte]
Rey Kira bike concept art

Arte conceitual inicial de "Kira" por Yanick Dusseault e Iain McCaig

Quando a Lucasfilm decidiu criar a trilogia de sequências de Star Wars, que seria lançada sob produção da The Walt Disney Company após a aquisição da Lucasfilm, ficou claro para eles que Star Wars não podia apenas focar nos heróis da trilogia original e que precisariam criar uma nova geração de personagens para assumir o manto. Um desses personagens era Rey, que, no processo de desenvolvimento de Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força, era conhecida como Kira.[41] Ela foi concebida como protagonista desde o início do projeto, com o roteirista original, Michael Arndt, concordando em escrever o filme quando lhe disseram que seria a história de origem de uma mulher Jedi.[42] Ele descreveu Kira como uma "mulher de cabeça-quente e solitária, e durona".[41] JJ Abrams, que foi escolhido como diretor do filme, rapidamente se interessou pela idéia de uma protagonista feminina e pela noção de que a personagem, vivendo trinta anos após Star Wars Episódio VI: O Retorno de Jedi, não saberia quem Luke Skywalker era ou até considerava-o um mito. Abrams também foi atraído pela idéia de uma Jedi feminina estar no centro da história de Star Wars.[43]

O próprio Luke Skywalker apresentou um desafio ao personagem que se tornou Rey enquanto Arndt estava trabalhando nas primeiras iterações do filme. Nos primeiros rascunhos da história, Arndt escreveu que a casa de Rey foi destruída e ela sai de uma jornada onde conhece Luke e depois derrota o vilão. Arndt sentiu como a presença de Luke ofuscou Rey, pensando que toda vez que Luke entrava em uma cena, ele ofuscava a personagem dela porque o público queria saber mais sobre ele. Por fim, os roteiristas escolheram fazer de Luke o MacGuffin do filme, com a jornada de Rey culminando na descoberta de Luke no exílio.[44]

Escalação e interpretação

Rey foi interpretada por Daisy Ridley em Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força e nos futuros filmes da nova trilogia após meses de teste.

Aparições

Aparições não canônicas

Fontes

Notas e referências

  1. 1,00 1,01 1,02 1,03 1,04 1,05 1,06 1,07 1,08 1,09 1,10 1,11 1,12 Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força
  2. 2,0 2,1 Star Wars: The Force Awakens: The Visual Dictionary relata que Rey tem dezenove anos anos durante dos eventos de Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força, que se passa em 34 DBY, de acordo com Star Wars: Galactic Atlas. Então ser deduzido que Rey nasceu em 15 DBY.
  3. 3,0 3,1 Star Wars: The Rise of Skywalker: The Visual Dictionary relata que os eventos de Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker se passam um ano após os eventos de Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força. Já que Star Wars: Galactic Atlas relata que os eventos de O Despertar da Força se passam em 34 DBY, os eventos de A Ascensão Skywalker, incluindo a morte de Rey em Exegol, devem ocorrer em 35 DBY.
  4. 4,00 4,01 4,02 4,03 4,04 4,05 4,06 4,07 4,08 4,09 4,10 4,11 4,12 4,13 4,14 4,15 4,16 4,17 4,18 4,19 4,20 4,21 4,22 4,23 4,24 4,25 Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker
  5. 5,0 5,1 5,2 5,3 StarWars-DatabankII Rey no Databank
  6. 6,00 6,01 6,02 6,03 6,04 6,05 6,06 6,07 6,08 6,09 6,10 6,11 6,12 6,13 6,14 6,15 6,16 6,17 6,18 6,19 Star Wars Episódio VIII: Os Últimos Jedi
  7. Rebels-mini-logo Star Wars Rebels – "A World Between Worlds"
  8. 8,00 8,01 8,02 8,03 8,04 8,05 8,06 8,07 8,08 8,09 8,10 8,11 8,12 8,13 Star Wars: The Rise of Skywalker: The Visual Dictionary
  9. 9,0 9,1 9,2 9,3 9,4 9,5 9,6 9,7 9,8 Star Wars: The Rise of Skywalker: Expanded Edition
  10. 'Star Wars: The Force Awakens': An Exclusive EW Gallery of New Photos (This Desert Life) (em inglês)  — Entertainment Weekly (2015-11-11). Acessado em 21 de Dezembro de 2015.
  11. StarWars-DatabankII Jakku no Databank
  12. Star Wars: The Rise of Skywalker: A Junior Novel
  13. Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker
  14. 14,0 14,1 Star Wars: Guia de Sobrevivência da Rey
  15. Antes do Despertar
  16. 16,0 16,1 16,2 Forcesofdestinylogo Star Wars: Forces of Destiny – "The Happabore Hazard"
  17. 17,0 17,1 17,2 17,3 17,4 17,5 Before the Awakening
  18. 18,00 18,01 18,02 18,03 18,04 18,05 18,06 18,07 18,08 18,09 18,10 18,11 18,12 18,13 18,14 18,15 18,16 18,17 18,18 18,19 Star Wars: The Last Jedi: Expanded Edition
  19. Star Wars: The Last Jedi: The Visual Dictionary
  20. Star Wars: The Last Jedi: A Junior Novel
  21. Poe Dameron 26
  22. Poe Dameron 28
  23. Resistance Reborn
  24. Allegiance 1
  25. Allegiance 2
  26. Allegiance 3
  27. Allegiance 4
  28. 29,0 29,1 Spark of the Resistance
  29. Star Wars: Galaxy's Edge
  30. YouTube Star Wars Lightsaber Battle and Stunt Show in Galaxy's Edge during media event | Attractions Magazine no Magazine Attractions Magazine canal do YouTube (link de backup)
  31. Predefinição:GEAttr
  32. YouTube FULL RIDE THROUGH of Rise Of The Resistance at Walt Disney World - DSNY Newscast | DSNY Newscast no Newscast DSNY Newscast - Worldwide Disney News Coverage canal do YouTube
  33. Star Wars Battlefront II
  34. Star Wars: The Force Awakens: Head-to-Head
  35. 36,0 36,1 36,2 36,3 Star Wars: The Force Awakens: The Visual Dictionary
  36. 37,0 37,1 Star Wars: The Complete Visual Dictionary, New Edition
  37. Erro de citação: Marca <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas TFA_novel
  38. Erro de citação: Marca <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas romance_TFA
  39. SWicon de histórias de star-wars-the-last-jedi Galeria de histórias de Star Wars: Os Últimos Jedi no StarWars.com (de histórias de star-wars-the-last-jedi backup link no Archive.org)
  40. 41,0 41,1 The Art of Star Wars: The Force Awakens
  41. EW Podcast: Star Wars: The Force Awakens (em inglês)  — Entertainment Weekly (16-01-2016). Arquivado do original em 17 janeiro, 2016. Acessado em 02-05-2016.
  42. YouTube Star Wars: The Force Awakens DGA Q&A with J.J. Abrams & Lawrence Kasdan no Directors Guild of America canal do YouTube
  43. Breznican, Anthony (2015-12-20). J.J. Abrams explains R2-D2's closing scene in Star Wars: The Force Awakens (em inglês)  — Los Angeles Time. Arquivado do original em 1 janeiro, 2016. Acessado em 2015-12-21.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.