Este artigo detalha um assunto considerado cânon.

O assunto deste artigo existe ou é relevante no mundo real.

"Uma rebelião é construída com base de esperança."
―Tagline[fonte]

Rogue One: Uma História Star Wars é um filme de 2016 dirigido por Gareth Edwards e produzido pela presidente da Lucasfilm Kathleen Kennedy, entre muitos outros. O roteiro, escrito por Chris Weitz e Tony Gilroy, é baseado em uma história de John Knoll e Gary Whitta. A trilha sonora do filme é composta por Michael Giacchino, marcando o primeiro filme em live-action no cânone de Star Wars a não ser marcado por John Williams. É o primeiro filme da série Star Wars Antologia.

Rogue One é estrelado por Felicity Jones, Diego Luna, Ben Mendelsohn, Riz Ahmed, Donnie Yen, Jiang Wen, Forest Whitaker, Mads Mikkelsen e Alan Tudyk. Genevieve O'Reilly repete seu papel como Mon Mothma, a líder da Aliança Rebelde; O'Reilly interpretou o personagem de Star Wars Episódio III: A Vingança dos Sith, em 2005, mas suas cenas foram cortadas. O filme também mostra dois atores dos filmes reprisando seus papéis icônicos: James Earl Jones como a voz de Darth Vader (o personagem é interpretado por Spencer Wilding e Daniel Naprous); e Anthony Daniels como C-3PO.

O filme, que começou a ser produzido em agosto de 2015, se passa entre Vingança dos Sith e Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança. É ambientado mais perto do último filme e foca na formação da Aliança Rebelde e seus esforços para roubar os planos da Estrela da Morte, um evento que foi referenciado no rastreamento de abertura de Uma Nova Esperança. Jyn Erso, interpretado por Jones, e um grupo de outros personagens se unem para roubar os planos do Império Galáctico. Edwards descreveu o filme como "um filme baseado na guerra, no qual pessoas normais têm que se unir para lutar contra o Império ao invés de depender dos Jedi ou da Força".

Descrição oficial[editar | editar código-fonte]

"'Uma Nova Esperança' é a história de um menino que cresce em um lar tranquilo e sonha em entrar na guerra. E se tivermos a história de uma menina que cresce no meio da guerra e sonha em voltar para a tranquilidade de casa?"
―Gareth Edwards[fonte]

Da Lucasfilm vem o primeiro dos filmes antologias de Star Wars, "Rogue One: Uma História Star Wars", uma aventura épica totalmente nova. Em uma época de conflito, um grupo de heróis improváveis ​​se reúne em uma missão para roubar os planos da Estrela da Morte, a arma de destruição definitiva do Império. Este evento-chave na linha do tempo de Star Wars reúne pessoas comuns que optam por fazer coisas extraordinárias e, ao fazê-lo, tornam-se parte de algo maior do que elas. Nos cinemas em dezembro de 2016.[8]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Captura de Galen Erso[editar | editar código-fonte]

"O trabalho está paralisado. Eu preciso que você volte."
―Diretor Orson Callan Krennic[fonte]

Krennic e suas tropas da morte chegam a Lah'mu para capturar Galen Erso.

Aproximadamente seis anos após a formação do Império Galáctico, o Diretor Imperial Orson Krennic e um esquadrão de suas trooper da morte pousam no planeta Lah'mu e recrutam à força o cientista Galen Erso para completar o trabalho da Estrela da Morte, uma estação espacial capaz de destruir planetas inteiros. A esposa de Galen, Lyra Erso, é morta quando ela atira e fere Krennic para impedi-lo de levar seu marido. Sua filha, Jyn Erso, se esconde até que Saw Gerrera, líder dos partidários, a resgata e a leva para dentro.

Prisão de Jyn[editar | editar código-fonte]

Treze anos depois, a adulta Jyn Erso, sob o pseudônimo de Liana Halik, foi presa no centro de detenção em Wobani compartilhando uma cela com Oolin Musters.

Missão ao Anel de Kafrene[editar | editar código-fonte]

"Um assassino de planetas! É assim que ele chamou."
―Tivik para Cassian Andor[fonte]

Cassian e Tivik discutem o "assassino de planetas".

No posto comercial do Anel de Kafrene, na seção nove, o oficial rebelde da Inteligência, Capitão Cassian Andor, encontra um contato, um homem chamado Tivik, que revela que um piloto de carga Imperial desertou do Império Galáctico no dia anterior e está dizendo às pessoas que eles estão fazendo uma arma com os cristais Kyber de Jedha. Após a persuasão de Andor, Tivik revela que a arma é um "assassino de planetas" e que Rook está dizendo às pessoas que Galen Erso, um velho amigo de Saw Gerrera, o enviou.

Uma mensagem urgente[editar | editar código-fonte]

"Eu preciso falar com Saw Gerrera ..."
―Bodhi Rook[fonte]

Tendo desertado, o piloto Imperial Bodhi Rook procura Saw, levando uma importante mensagem de Galen sobre a construção de uma arma definitiva pelo Império. Ele encontra o esconderijo de Gerrera em Jedha, mas os soldados partidários de Gerrera, incluindo Benthic, não confiam nas intenções de Rook e o capturam. Eles o trazem até Gerrera e, embora Bodhi defenda seu caso ao líder Partisan, Gerrera também não confia nele, temendo que ele esteja sendo atraído para uma armadilha. Para descobrir se Rook está sendo verdadeiro ou não, Gerrera o submete à torturante criatura Bor Gullet, uma experiência que leva a uma perda temporária da sanidade de Bodhi.

Libertando Jyn Erso[editar | editar código-fonte]

"Estamos contra o relógio aqui, garota, então se não há nada para conversar, vamos colocá-la de volta onde a encontramos."
―Davits Draven[fonte]

Jyn antes do Alto Comando da Aliança

Jyn é libertada do cativeiro Imperial pela Equipe de Extração Bravo e levado perante os líderes rebeldes, incluindo Mon Mothma, Jan Dodonna, Bail Organa, Davits Draven e Andor. Eles a convencem a ajudá-los a conseguir uma audiência com Saw, a quem Jyn não vê desde que a abandonou anos antes. Embora a missão seja apresentada a Jyn como uma extração, Draven secretamente ordena a Cassian que mate Galen para evitar que a arma seja completada. Jyn, junto com Cassian e seu dróide Imperial reprogramado K-2SO, partiu para a lua Jedha em um U-wing rebelde.

Quando se tornou agora[editar | editar código-fonte]

"Quando se tornou agora, Diretor Krennic."
―Governor Tarkin[fonte]

Tarkin avisa Krennic que o fracasso não será tolerado.

Na ponte do Executrix, o governador Wilhuff Tarkin monitora a construção da Estrela da Morte. Enquanto ele observa, o superlaser está sendo instalado. Krennic vem a bordo do Destróier Estelar e se aproxima de Tarkin na ponte. Tarkin expressa sua preocupação com o piloto de carga desertado, que está espalhando rumores em Jedha sobre a existência da Estrela da Morte. Ele diz a Krennic que seu tempo acabou no que diz respeito a completar a estação de batalha e que o Imperador não toleraria mais atrasos no projeto. Sugerindo que ambos os problemas deveriam ser resolvidos junto com um teste da arma, Tarkin deixa claro para Krennic que falha não será tolerada.

Batalha em Jedha[editar | editar código-fonte]

"Esta cidade está pronta para explodir."
―Cassian Jeron Andor[fonte]

Chirrut enfrenta Stormtroopers durante a Batalha de Jedha.

Cassian, Jyn e K-2SO chegam em Jedha, onde Cassian espera se encontrar com um contato Partisan.O dróide permanece na nave enquanto Jyn e Cassian procuram seu contato, mas a dupla é pega no meio de uma revolta armada contra o Império liderada pelos partidários de Gerrera. Jyn e Cassian encontram segurança somente depois que K-2SO desobedece às ordens para permanecer no U-Wing e vem em seu auxílio. Depois de lutar contra as tropas imperiais, o comboio retorna à Praça Tythoni, onde o levante ocorreu. Reforços imperiais chegam e K-2SO é confundido com um verdadeiro droide imperial transportando prisioneiros. O dróide tenta jogar junto, mas o disfarce é frustrado. Eles são salvos pela intervenção do guerreiro cego Chirrut Îmwe e do mercenário Baze Malbus, guardiões do Templo Kyber em Jedha, do qual o Império está se despojando de seus tesouros. Depois que os reforços imperiais são combatidos, o grupo pensa que está livre até que um grupo de guerrilheiros, incluindo Benthic, chega e assume a praça, sequestrando Andor, Erso, e os dois guardiões com K2 voltando para a nave. Benthic sente que Andor foi hostil aos guerrilheiros durante a revolta porque atirou em um deles que se preparava para lançar uma granada em um tanque próximo ao qual Jyn estava se escondendo. Jyn revela aos guerrilheiros que ela é filha de Galen Erso e os guerrilheiros os levam para seu quartel-general nas Catacumbas de Cadera e os aprisionam.

Mensagem de galen[editar | editar código-fonte]

"O módulo do reator, essa é a chave. Este é o lugar onde eu coloquei minha armadilha."
―Galen Walton Erso[fonte]

A mensagem de Galen revelando a falha da Estrela da Morte.

Enquanto Cassian, Chirrut e Baze estão trancados em celas, Jyn é apresentado a Saw. O calmo cativo Chirrut "ora" à Força com seu mantra "Eu sou um com a Força e a Força está comigo", enquanto Baze zomba dos modos místicos de seu parceiro. Cassian fica impaciente com Chirrut e começa a tentar arrombar ele mesmo a fechadura da cela. Gerrera fica surpresa ao ver Jyn, tendo se separado dela anos antes. Ele ainda teme que a mensagem do piloto e o retorno de Jyn sejam simplesmente uma armadilha, mas quando Jyn explica suas intenções de encontrar Galen, ele se torna mais confortável. Ele questiona o que Jyn quer tirar disso, e Jyn explica que ela não quer participar e que seu papel está terminado. Recusando-se a acreditar que Jyn não se preocupa mais com a causa rebelde, Gerrera se oferece para mostrar a ela algo que ele sente que mudará sua mente. Enquanto isso, na Estrela da Morte, Tarkin e Krennic se preparam para testar a arma na Cidade Jedha, tendo evacuado todas as forças imperiais da lua através do Protocolo 13. Krennic vai ordenar a destruição completa da lua, mas Tarkin o ignora e ordena que o teste de tiro seja conduzido com a potência mínima. Com o perigo iminente se aproximando, sem o conhecimento dos que estão na lua, Cassian, Chirrut e Baze permanecem em suas celas. Eles notam que na cela ao lado deles está um piloto Imperial, Bodhi Rook, e Cassian começa a questioná-lo, curioso para saber se ele é o piloto de carga que trouxe a mensagem. Os efeitos de Bor Gullet em Bodhi são claros e ele não parece entender do que Cassian está falando até que ele menciona o nome de Galen e a memória de Rook é ativada. Quando a super arma da Estrela da Morte começa a ignição primária acima da lua, Gerrera começa a mostrar a Jyn a mensagem que Bodhi trouxe. A mensagem é um holograma, no qual o pai de Jyn expressa seu amor por ela e revela sua ajuda forçada no projeto Estrela da Morte. Galen também revela que ele secretamente comprometeu o design da Estrela da Morte ao incluir uma vulnerabilidade sutil em seu reator que pode ser usada para destruí-lo. Ele diz a ela que os planos estruturais estão em um banco de dados de alta segurança imperial no planeta Scarif. No entanto, antes que o holograma possa terminar, a Estrela da Morte dispara na lua e o caos começa.

Destruição da cidade de Jedha[editar | editar código-fonte]

"Salve a rebelião! Salve o sonho!"
―Saw Gerrera[fonte]

O destino de Saw Gerrera selado.

Quando a destruição iminente da cidade de Jedha começa, os guerrilheiros nas catacumbas começam a fugir. Cassian rapidamente conecta a porta da cela e ele, Chirrut e Baze escapam do cativeiro. Cassian corre para os pertences do comboio que foram apreendidos quando os guerrilheiros os sequestraram e usa freneticamente seu comunicador para ligar para K-2SO, que descreve a destruição que se seguiu do lado de fora. Cassian o informa para localizar sua posição para que possam escapar. Antes que eles possam fugir, Cassian vai encontrar Jyn, dizendo a Chirrut e Baze para fugir do piloto, o que Baze faz explodindo a porta da cela com seu blaster de repetição MWC-35c "Staccato Lightning". Cassian localiza Jyn e informa a ela que Bodhi disse a ele onde seu pai está. Gerrera a insiste para ir com Cassian, mas quando Jyn sugere que ele vá com eles, ele se recusa, optando por permanecer lá e morrer com a cidade. O êxodo em massa das catacumbas começa, e aqueles que saem olham com horror ao verem a superfície de Jedha começando a descascar e destruir tudo em seu caminho. À medida que as catacumbas começam a desmoronar junto com tudo o mais, o K-2SO pilota o U-wing pela destruição para pegar o comboio. Cassian, Jyn, Chirrut, Baze e Bodhi rapidamente embarcam no U-wing e a nave começa sua fuga através da destruição. Gerrera observa das catacumbas em colapso enquanto o U-wing decola e a onda de choque toma conta da área. Pouco antes de sua morte iminente, Gerrera arranca sua máscara de respiração e aceita seu destino. Jyn observa da U-wing enquanto a onda consome as catacumbas e mata Gerrera. O comboio olha com horror para a destruição do lado de fora enquanto K-2SO e Cassian pilotam o U-wing, fugindo da destruição que ameaça alcançá-los. Mal escapando da onda de choque, Cassian rapidamente dá um soco nos cálculos e o U-wing explode no hiperespaço, escapando de Jedha por pouco.

Krennic e Tarkin observam enquanto a cidade de Jedha é destruída.

Enquanto a demonstração da Estrela da Morte é realizada, Krennic, Tarkin e muitos outros imperiais assistem. Krennic expressa a "beleza" da destruição. Com a demonstração concluída, Tarkin parabeniza Krennic, mas prontamente usa a deserção de Rook das instalações imperiais de Galen Erso em Eadu e o vazamento de segurança em Jedha sob o comando de Krennic como pretexto para assumir o controle do projeto. Enfurecido, Krennic desafia abertamente a decisão de Tarkin e decide lidar com o desertor e o potencial simpatizante Rebelde em Eadu pessoalmente. Após o incidente em Jedha, Cassian envia uma mensagem codificada de volta para a base da Aliança para informá-los que Jedha foi destruído e que ele soube que Galen está em Eadu. Recebendo a mensagem, o General Draven fica pasmo com a destruição da Cidade de Jedha, mas aconselha Andor a manter o plano de matar Galen. Já no hiperespaço, Cassian recebe as instruções de Draven e informa K-2SO para definir seu curso para Eadu.Todo o comboio está em choque com a destruição de Jedha, e um Chirrut perturbado implora a Baze para descrever a extensão da destruição. Baze concorda com relutância. Sabendo agora que seu pai está em Eadu, Jyn explica a Bodhi - que erroneamente acredita que sua mensagem chegou tarde demais - que Galen armou uma armadilha na Estrela da Morte. No entanto, com a mensagem tendo sido destruída no caos em Jedha, ela não tem como apoiar suas afirmações e o grupo está desconfiado para acreditar nela. Com Cassian se recusando a enviar notícias da reivindicação de Jyn para a Aliança, ela resolve levar seu pai para Eadu e trazê-lo de volta para a Aliança para que ele mesmo possa contar a eles.

Missão em Eadu[editar | editar código-fonte]

"A Força se move sombriamente perto de uma criatura que está prestes a matar."
―Chirrut Îmwe[fonte]

Com Tarkin tendo assumido o controle do projeto Estrela da Morte, Krennic deixa a Estrela da Morte em sua nave ST 149 a caminho de Eadu, onde ele planeja expor o simpatizante Rebelde na equipe de Galen Erso. Enquanto isso, o comboio rebelde, também procurando Galen Erso em Eadu, se aproxima do planeta em sua U-wing. As condições tempestuosas do planeta atrapalham sua aproximação, e enquanto Bodhi os guia em direção à instalação Imperial, eles caem ao tentar evitar a detecção Imperial.

Jyn rastreia seu pai até um centro de pesquisa Imperial no planeta Eadu, onde Cassian opta por não matar Galen. Quando Krennic chega e ameaça matar a equipe principal de Galen por causar o vazamento de segurança, Galen confessa que é o responsável. Krennic executa a equipe, no entanto, e Jyn torna sua presença conhecida assim que um bombardeio rebelde começa, deixando Galen mortalmente ferido. O pai de Jyn morre em seus braços antes que ela e seu grupo escapem em um transporte de carga imperial roubado.

Humilhação de Krennic em Mustafar[editar | editar código-fonte]

"Tenha cuidado para não engasgar com suas aspirações, Diretor."
―Darth Vader para Orson Krennic[fonte]

Vader confronta Krennic em Mustafar após a notícia da traição de Galen Erso

Com Galen Erso silenciado, Krennic viaja para Mustafar para falar com o misterioso Lorde das Trevas, Darth Vader em seu castelo. Após a chegada de Krennic, o servo do Lord das Trevas, Vaneé alerta Vader, que está meditando em uma câmara de rejuvenescimento, que o Diretor chegou. Vader sai de sua meditação para enfrentar Krennic em uma plataforma com vista para a paisagem vulcânica do planeta. O Lorde das Trevas expressa sua preocupação de que a Estrela da Morte se tornou mais um problema do que a solução que deveria ser, citando a incapacidade de Krennic de manter o projeto em segredo como o principal catalisador para a mudança de abordagem. Krennic defende a si mesmo e sua criação, alegando que entregou uma arma notável ao imperador. Por causa de seu auto-proclamado sucesso, ele pede a Vader que lhe conceda a oportunidade de se encontrar pessoalmente com o Imperador e informá-lo sobre o potencial sem precedentes da Estrela da Morte. Vader, no entanto, está muito mais preocupado com os rumores que atingiram os níveis mais altos do Império sobre a destruição da Cidade Jedha e o ataque à instalação de Eadu pela Rebelião e o que essas revelações significam no que diz respeito ao sigilo em torno da Estrela da Morte projeto. Krennic tenta jogar a culpa em Tarkin por ordenar a demonstração em Jedha, mas Vader não fica impressionado com esse esforço inútil e critica a humilhação de Krennic, lembrando ao Diretor que o sigilo por trás do projeto Estrela da Morte foi instituído a fim de evitar o desafio aberto do Senado. Vader sugere que o incidente Jedha seja disfarçado como um desastre de mineração, mas parece implicar que a traição de Galen Erso pode ter sido um golpe amargo para o sigilo do Império. Vader instrui Krennic a garantir que nenhum outro vazamento ocorra para que o Imperador fique satisfeito que o projeto não tenha sido comprometido. Conforme Vader sai rapidamente, Krennic faz um último apelo por seu controle contínuo sobre o projeto, na esperança de permanecer no comando da estação de batalha ao invés de Tarkin. No entanto, a paciência de Vader se esgotou, e quando Krennic pede que Vader fale com o Imperador em seu nome, o Lorde das Trevas sufoca o Diretor usando a Força. Quando Krennic cai de joelhos, Vader o avisa para moderar suas aspirações, para que não causem sua queda. Ele libera Krennic e a conversa termina.

Reunião do conselho rebelde[editar | editar código-fonte]

"As rebeliões são construídas com base na esperança."
―Jyn Erso[fonte]

Jyn implora ao Alto Comando da Aliança para tomar medidas contra Scarif.

Tendo retornado à base rebelde em Yavin 4, Jyn e Bodhi estão presentes em uma reunião do Conselho da Aliança, onde Jyn propõe que os rebeldes viajem para Scarif e roubem os esquemas da Estrela da Morte para que saibam onde mirar o módulo do reator defeituoso. A liderança rebelde - incluindo Mon Mothma, Jan Dodonna, Bail Organa, Tynnra Pamlo, Nower Jebel, Vasp Vaspar, Davits Draven, Almirante Raddus e Antoc Merrick - não pode chegar a um consenso; muitos dos senadores propõem espalhar sua frota porque não têm escolha a não ser se render. Mothma, Organa e Raddus tentam defender o plano de Jyn. Infelizmente para eles, com Galen Erso e Saw Gerrera mortos e seu holograma destruído, a liderança rebelde não tem como verificar as afirmações de Jyn. A oposição temerosa de Pamlo, Vaspar e Jebel supera o apoio, apesar de um apelo apaixonado de Jyn, pedindo esperança. Sem o apoio total do conselho, Mothma é forçado a bancar o advogado do diabo, declarando que as chances são grandes demais para comprometer tanto de suas forças.

Rogue Um parte para Scarif[editar | editar código-fonte]

"Rogue Um, se afastando."
―Bodhi Rook[fonte]

Frustrados com a inação deles, Jyn, Cassian, K-2SO e vários rebeldes se voluntariam para resolver o problema com suas próprias mãos. O grupo pega o ônibus espacial para invadir o banco de dados. Antes de decolarem, no entanto, são confrontados pelo comando Rebelde, que pede que se identifiquem. Rook improvisa um indicativo de "Rogue Um" antes de ir para Scarif sem a permissão da Aliança.

A Batalha de Scarif[editar | editar código-fonte]

"Eles não têm ideia de que estamos chegando. Eles não têm razão para nos esperar. Se conseguirmos chegar ao chão, vamos aproveitar a próxima chance, e a próxima, indefinidamente até vencermos ou até que as chances acabem."
―Jyn Erso para os membros da Rogue Um[fonte]

Uma vez que Rogue Um chega a Scarif, eles começam a transmitir um código de liberação, rezando para que não tenha sido listado como vencido. Felizmente, o código é válido. A equipe entra no Portão do Escudo e segue para o planeta abaixo. Resumidamente, antes de iniciar a missão, Jyn fala com o time em um esforço para inspirá-los, enfatizando que apesar de estar em clara desvantagem numérica, tudo é possível com o elemento surpresa ao seu lado. Cassian questiona os homens e ordena que ataquem as tropas como uma distração para que possam entrar na Cidadela e encontrar os planos. Enquanto Jyn, Cassian e K-2SO procuram no banco de dados os planos do projeto, o resto de sua equipe detonou explosivos e começou a atirar na área de pouso próxima em uma tentativa de distrair os Stormtroopers residentes.

Chegando em Scarif, Rogue Um pula a equipe de inspeção e rouba seus uniformes. Jyn e Cassian se disfarçam como a equipe de inspeção e ganham a entrada na Cidadela com K-2SO a reboque. Dentro da Cidadela, K-2SO invade outro droide Imperial do mesmo modelo para obter inteligência para localizar e acessar o cofre. Krennic ordena que a guarnição seja posicionada após o esquadrão disparar os explosivos de diversão. Tarkin é alertado de que a instalação do Scarif foi comprometida por rebeldes e está preocupado que os rebeldes possam estar atrás dos planos da Estrela da Morte. Tarkin informa Lord Vader sobre os desenvolvimentos antes de ordenar que a Estrela da Morte vá ao hiperespaço para investigar.

Enquanto isso, de volta ao quartel-general Rebelde em Yavin 4, a Rebelião fica sabendo da batalha por meio de transmissões imperiais interceptadas, mas antes que o conselho seja notificado, o Almirante Raddus já enviou sua frota em apoio aos esforços de Rogue Um.

Enquanto Rogue Um está lutando contra os stormtroopers, Bodhi contata o quartel-general do Scarif Imperial e os fornece informações falsas e cria confusão para dar ao esquadrão uma melhor vantagem tática. A guarnição posiciona caminhantes AT-ACT para combater o esquadrão.

Assim que a frota de Raddus chega, os Esquadrões Vermelho e Dourado são ordenados a protegê-la, enquanto o Esquadrão Azul é ordenado a chegar à superfície para reforçar e fornecer suporte aéreo para Rogue One lutando nas praias. Vários X-wings, incluindo o Líder Azul Antoc Merrick, e um único caça U-wing passam pela abertura antes que o controle do Portão do Escudo feche o portão, matando vários pilotos. Cassian contata Bodhi e pede a ele para entrar em contato com a frota para tentar abrir o portão para que eles possam transmitir os planos. Bohdi pede às tropas terrestres para encontrar um interruptor mestre para que ele possa se comunicar com a frota por meio da interface com a torre de comunicações.

Tropas rebeldes aterrissam do caça para reforçar o Rogue Um. A frota começa a atacar o Portão do Escudo, mas sem sucesso. Os rebeldes X-wings enfrentam vários caças TIE estacionados no Portão do Escudo, com ambos os lados sofrendo baixas substanciais. Jyn encontra os planos no mainframe Citadel - codinome Stardust, no qual Jyn reconhece imediatamente o nome como uma mensagem pessoal secreta de seu pai para ajudá-la a encontrar os planos da Estrela da Morte. K-2SO fecha a porta do cofre momentos antes da chegada dos Stormtroopers para investigar. K-2SO tenta desesperadamente atraí-los para longe, mas os Stormtroopers ficam desconfiados e ele é forçado a atacá-los. Antes de ser destruído pelo fogo inimigo, K-2SO tranca a porta do cofre para que os Stormtroopers não possam abri-la novamente, dando tempo para seus companheiros recuperarem os planos. Krennic é informado de que o cofre teve acesso não autorizado e vai investigar. Jyn e Cassian escalam o cofre de dados e removem fisicamente os planos de dados. Logo após a recuperação dos planos, no entanto, a dupla é emboscada por Krennic. Ele atira em Cassian com seu blaster, fazendo-o cair.

Chirrut é morto após ativar o interruptor mestre para permitir a comunicação com a frota rebelde da nave de Rook. Um esquadrão de Y-wings comandado por Jon Vander lança múltiplos torpedos iônicos em um Star Destroyer, desativando-o.

Rook consegue entrar em contato com a nave capitânia do Raddus, Profundidade, e informa que eles devem abrir o escudo defletor para permitir que os planos da Estrela da Morte sejam transmitidos a eles. Pouco depois, um implodidor térmico foi lançado em sua nave, matando-o e destruindo a nave. Tendo recebido a transmissão de Rook, Raddus rapidamente formula um plano para quebrar o escudo usando os recursos de que dispõe.

Raddus ordena que uma corveta Hammerhead classe Sphyrna, Iluminadora, bater fisicamente no lado de um Star Destroyer desativado, o que o empurra para um segundo Star Destroyer próximo e cria uma reação em cadeia que destrói efetivamente todas as três naves. Baze, tendo sido inspirado pelo sacrifício de Îmwe, repete a frase de assinatura de seu camarada - "Eu sou um com a Força, e a Força está comigo" - várias vezes, mas então é morto por uma granada. Um dos Destruidores Estelares então colide com o portão do escudo protegendo Scarif e desabilita o escudo planetário, permitindo que comunicações completas sejam restabelecidas. Krennic persegue e encurrala Jyn no topo da torre da Cidadela, mas antes que ele possa matá-la, Cassian, que sobreviveu ao ferimento do blaster, atira e fere gravemente Krennic. Jyn então transmite com sucesso o esquema para a nave de comando Rebelde, antes de ajudar o ferido Cassian a entrar em um elevador próximo.

Tarkin chega com a Estrela da Morte e dispara um único reator de ignição do superlaser para destruir a base comprometida em uma tentativa de evitar que os planos caiam nas mãos do inimigo. Enquanto a explosão ultrapassa a base - embora as franjas do feixe removam o transmissor, e Krennic junto com ele - e impacta vários quilômetros de distância, no entanto, provoca uma explosão poderosa o suficiente para garantir a morte de todos nas proximidades. Jyn e Cassian, sabendo que não têm como escapar, aguardam a explosão que se aproxima em uma praia perto da base. Em seus momentos finais, Cassian garante a Jyn que seu pai teria ficado orgulhoso e, segundos depois, a explosão os incinera, junto com a base. Depois de prestar homenagem a seus camaradas caídos, Raddus ordena que sua frota salte para o hiperespaço, mas antes que toda a frota possa escapar, a maioria é interceptada pelo Destruidor Estelar de Vader, Devastador e prossegue para destruir ou desativar as naves da Aliança bloqueadas. Vader embarca na nave de comando desativada do almirante Raddus e massacra sozinho muitas tropas rebeldes em busca dos planos da Estrela da Morte, apenas para assistir enquanto o CR90 Corvette Tantive IV é lançado da baía de hangar e por pouco escapa com eles.

Missão secreta para Tatooine[editar | editar código-fonte]

"Vossa Alteza. Transmissão que recebemos ... O que é que eles nos enviaram? "
"Esperança."
"
―Raymus Antilles e Leia Organa[fonte]

A bordo da Tantive IV, a Princesa Leia Organa recebe os planos roubados e declara que a Rebelião acaba de receber "esperança". A Tantive IV salta para o hiperespaço.

Descrição oficial[editar | editar código-fonte]

"Rogue One: Uma História Star Wars" é o primeiro filme antologia de Star Wars pela Lucasfilm, uma aventura épica completamente nova. Em tempos de conflito, um grupo de heróis improváveis se unem numa missão para roubar os planos da Estrela da Morte, a poderosa super arma construída pelo Império Galáctico. Esse evento chave na cronologia de Star Wars trás pessoas comuns escolhidas para fazer coisas incomuns, e sendo assim, se tornando parte de algo muito maior que eles mesmos. Dezembro de 2016 no cinemas.[9]

Produção[editar | editar código-fonte]

"Eu comecei pensando qual tipo de história eu gostaria de ver sendo contada? Eu fiz isso informalmente... Uma das pessoas com quem conversei foi Pablo, e ele também ficou bastante entusiasmado com a ideia... Eu fiz um apontamento com Kathy e Kiri, e discutimos uma versão de apenas 20 minutos, e tivemos uma resposta muito boa."
John Knoll[fonte]

Arte conceitual de Rogue One revelada na Celebration Anaheim.

A ideia de filmes não-episódicos de Star Wars veio de seu próprio criador, George Lucas, que, de acordo com Kathleen Kennedy, presidente da Lucasfilm, estava "realmente interessado em explorar todas as histórias que existiam dentro do universo." A Lucasfilm passou a se referir à essas aventuras não-episódicas da Série de Antologias Star Wars.[7] O conceito para o Rogue One, o primeiro filme da Antologia, foi esboçado por John Knoll, um supervisor de efeitos especiais e diretor criativo na Industrial Light & Magic.[2]

Knoll veio com a ideia para Rogue One quando ele começou a pensar sobre os tipos de histórias que gostaria de ver serem contadas na franquia Star Wars. Quando já havia desenvolvido a ideia em si, ele a enviou para indivíduos da Lucasfilm, incluindo o membro do Grupo de Roteiro da Lucasfilm, Pablo Hidalgo, que ficou bem entusiasmado com o conceito. Isso gerou uma reunião com Kennedy e Kiri Hart, também integrante do Grupo de Roteiro e vice-presidente de produção da Lucasfilm. Kennedy, que disse que ela foi a presidente "por pelo menos 20 minutos" quando ela se reuniu com Knoll, chegou a conclusão de que a proposta era realmente excelente e que "não teria como dizer não para a ideia." Como Kennedy, Hart ficou "imediatamente animada" em relação ao filme.[7]

Quando a Lucasfilm decidiu produzir o filme, eles se voltaram para a escolha o diretor. Gareth Edwards, que dirigiu Monstros, e que, na época em que foi escolhido, estava dirigindo Godzilla.[1] Edwards foi notificado o quanto antes para que pudesse trabalhar em Rogue One o mais cedo possível ainda no processo de criação.[7] Gary Whitta, um dos roteiristas de O Livro de Eli e Depois da Terra, foi contratado para trabalhar no roteiro do filme.[1] A equipe decidiu criar o filme com o intuito de deixá-lo o mais realista possível, para que ficasse plausível; estabelecendo uma atmosfera cinzenta jamais vista em Star Wars, como se opusesse a moralidade da trilogia original de Star Wars.[7] Durante o processo de escrita, Whitta cunhou o título do filme: Rogue One.[10]

Lado rebelde do elenco de Rogue One.

No dia 12 de Março de 2015, foi anunciado que Chris Weitz assumiria como roteirista no lugar de Whitta, e que o título do filme seria Rogue One. Em seguida anunciaram que Felicity Jones, que havia sido nomeada para um Academy Award por sua performance no filme A Teoria de Tudo, faria parte do elenco do filme.[2] Um mês depois, durante a Celebration Anaheim, Edwards e toda a equipe de criação anunciaram que o filme seria sobre um grupo de caças da resistência roubando os planos da Estrela da Morte. Um breve teaser foi exibido aos visitantes da celebração, mostrando a Estrela da Morte ao longe da superfície de um planeta com selvas, e a equipe mencionou as características realistas do filme.[7] A Lucasfilm não pôde promover o filme em nenhum lugar fora da Celebration Anaheim, pois, durante o verão de 2015, devido a similaridades entre os títulos de Rogue One e do filme lançamento Mission Impossible - Rogue Nation, o título de Rogue Nation foi registrado na Motion Picture Association of America antes de Rogue One, resultando num embargo nas campanhas publicitárias de Rogue One.[11]

Edwards usou as novas técnicas da ILM em realidade virtual para incrementar a pré-visualização do filme.[12] O filme começou sua fotografia principal em Londres, em Agosto de 2015. Isso foi anunciado na D23 Expo no mesmo mês. Inclusive, uma postagem no blog do StarWars.com revelou o elenco completo do filme, junto de Felicity Jones estrelarão: Diego Luna, Ben Mendelsohn, Donnie Yen, Jiang Wen, Forest Whitaker, Mads Mikkelsen, Alan Tudyk, e Riz Ahmed.[2]

Créditos[editar | editar código-fonte]

Por tipo 
Elenco Equipe

Elenco

Equipe

Aparições[editar | editar código-fonte]

Por tipo [Esconder]
Personagens Criaturas Modelos de droides Eventos Lugares
Organizações e títulos Espécies Veículos e naves Armas e tecnologia Miscelânea

Personagens

Modelos de droides

Eventos

Lugares

Organizações e títulos

Espécies

Veículos e naves

Armas e tecnologia

Miscelânea

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 1,5 1,6 StarWars.com Gareth Edwards and Gary Whitta Onboard for Star Wars Stand-Alone Film em StarWars.com (link de backup não verificado!)
  2. 2,00 2,01 2,02 2,03 2,04 2,05 2,06 2,07 2,08 2,09 2,10 2,11 2,12 2,13 2,14 2,15 2,16 2,17 2,18 2,19 2,20 2,21 2,22 2,23 2,24 2,25 2,26 2,27 StarWars.com Rogue One is the First Star Wars Stand-Alone Film, Rian Johnson to Write and Direct Star Wars: Episode VIII em StarWars.com (link de backup não verificado!)
  3. 3,0 3,1 SWInsider.png "The Saga Continues"—Star Wars Insider 157
  4. 4,0 4,1 SWInsider.png "Launch Pad"—Star Wars Insider 160
  5. 5,00 5,01 5,02 5,03 5,04 5,05 5,06 5,07 5,08 5,09 5,10 5,11 5,12 5,13 5,14 5,15 5,16 5,17 StarWars.com Rogue One—The Daring Mission Has Begun: Cast and Crew Announced em StarWars.com (link de backup não verificado!)
  6. 6,0 6,1 Michael Giacchino Replaces Alexandre Desplat For 'Rogue One' Score (em inglês)  — Heroic Hollywood (September 15, 2016). Acessado em September 15, 2016.
  7. 7,00 7,01 7,02 7,03 7,04 7,05 7,06 7,07 7,08 7,09 7,10 7,11 7,12 7,13 7,14 StarWars.com SWCA: Conversation with Gareth Edwards Panel Liveblog em StarWars.com (link de backup não verificado!)
  8. StarWars.com Rogue One em StarWars.com (link de backup não verificado!)
  9. StarWars.com Star Wars Movies em StarWars.com (link de backup não verificado!)
  10. TwitterLogo.svg Gary Whitta (@garywhitta) no Twitter: "Well I can now say that I named a @starwars movie! That's pretty cool. #RogueOne" (link de backup não verificado!)
  11. McClintock, Pamela (March 22, 2015). 'Mission: Impossible 5' Gets a 'Rogue' Name, Trumps 'Star Wars' (Video) (em inglês)  — The Hollywood Reporter. Acessado em March 30, 2015.
  12. FacebookIcon.png Inside Industrial Light & Magic's secret Star Wars VR lab. The Verge (August 23, 2015). Acessado em August 24, 2015, 3:10 pm BRT.
  13. 13,0 13,1 13,2 13,3 13,4 13,5 13,6 13,7 StarWars.com Rogue One Details Revealed at Star Wars Celebration Anaheim em StarWars.com (link de backup não verificado!)
  14. FacebookIcon.png From the Lucasfilm Pavilion at San Diego Comic-Con (2913), meet Rogue One's Edrio Two Tubes. Star Wars (July 20, 2016).
  15. Jack Shepherd (September 26, 2016). Rogue One: 4 new Star Wars characters revealed, including Moroff, Commando Pao, and Scarif Stormtroopers (em inglês)  — The Independent. Acessado em 2016-09-26.
  16. 16,0 16,1 16,2 16,3 Corey (October 1, 2016). New Character Images From Rogue One: A Star Wars Story! (em inglês)  — Making Star Wars. Acessado em 2016-10-01.
  17. StarWars-DatabankII.png K-2SO (Kay-Tuesso) no Databank
  18. Breznican, Anthony (August 08, 2016). Rogue One director reveals new details on Force-sacred world Jedha (em inglês)  — Entertainment Weekly. Arquivado do original em 9 agosto, 2016. Acessado em August 08, 2016.
  19. 19,0 19,1 19,2 Leaked Star Wars: Rogue One Teaser Trailer

Links externos[editar | editar código-fonte]

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.