Este artigo detalha um assunto considerado cânon.

"Acha que pode fazê-lo mudar de lado? Patética, ele não pode me trair. Eu não posso ser derrotado. Eu vejo a mente dele. Eu sinto cada uma das intenções! Sim, eu o vejo dando o golpe final com o sabre de luz. E agora, criança tola, ele o aciona e destrói seu verdadeiro inimigo!"
―As últimas palavras de Snoke para Rey e Kylo Ren[fonte]

Snoke foi um indivíduo humanoide sensível à Força que serviu como Líder Supremo da Primeira Ordem aproximadamente trinta anos depois da Batalha de Endor. Um mestre da Força e um procurador do conhecimento arcano, Snoke possuía a sabedoria e o poder que o tornaram o herdeiro indiscutível da Contingência criada pelo Lorde Sith Darth Sidious antes de sua morte. Apesar de não ser um Sith, Snoke ainda era um mestre do lado sombrio da Força, e influenciou Ben Solo a abandonar o caminho Jedi para se tornar seu aprendiz, Kylo Ren.

Secretamente uma criação artificial de Darth Sidious, Snoke foi projetado em Exegol, um lendário planeta afiliado aos Sith escondido nas Regiões Desconhecidas, onde os leais a Eternidade Sith aguardavam o retorno dos Sith. Nos anos seguintes ao colapso do Império Galáctico, Snoke ganhou o comando da máquina de guerra tecnológica que a Primeira Ordem projetou para destruir a Nova República e a Resistência da General Leia Organa. Snoke também procurou terminar a destruição da Ordem Jedi e, como tal, dirigiu seu aprendiz a localizar e matar o Mestre Jedi Luke Skywalker.

Depois que a Nova República caiu em 34 DBY, Snoke supervisionou a conquista da galáxia a partir de sua sede a bordo da Supremacia da Primeira Ordem. Tendo atraído a aprendiz Jedi Rey para ele através de seu vínculo com Ren, Snoke instou o guerreiro das trevas a concluir seu treinamento executando a Jedi. Ren pareceu obedecer Snoke, no entanto, usando o sabre de luz de Skywalker, ele ligou a arma apontando para seu mestre, acabando com a vida de Snoke. Por fim, toda a existência dele foi construída para esse momento: para servir como um teste final para Ren. Ele não apenas testou o valor de Ren como discípulo, mas também sua capacidade de herdar o legado dos Sith. Seu papel havia sido designado pelos cultistas da Eternidade Sith para agir como um teste final, para preparar e transformar Ren em um mestre de ataque e astúcia. Ren se tornou o novo Líder Supremo da Primeira Ordem, mas depois de encontrar um Sidious revivido no mundo natal de Snoke, Exegol, ele aspirou a governar a galáxia como Imperador da Ordem Final.

Biografia

Criação

"Meu garoto, eu criei Snoke"
―Darth Sidious para Kylo Ren[fonte]

Snoke era um humanoide macho alienígena artificial criado por Darth Sidious e a Eternidade Sith, um culto de pessoas leais a religião Sith e seguidores de Darth Sidious, em Exegol, o mundo legendário reduto e escondido dos Sith nas Regiões Desconhecidas da galáxia. Sidious e a Eternidade Sith também armazenaram várias cópias adicionais de Snoke no Exegol.[4]

Juventude

"Eu não nasci Snoke. Eu me tornei Snoke."
―Snoke para Ben Solo[fonte]

Embora poderoso com a Força, o misterioso Snoke servia um poder não visto.

Snoke era sensível à Força, e ele se tornou um mestre secreto, sábio e poderoso do lado sommbrio e um buscador de conhecimentos antigos e arcanos.[5] Snoke estabeleceu uma série de bases para conter seu conhecimento acumulado.[1] Em algum momento de sua vida, Snoke treinou pelo menos um indivíduo como aprendiz nos caminhos do lado sombrio.[8]

Snoke alegou ter testemunhado a ascensão e queda do Império Galáctico, que Sidious havia governado através de sua identidade pública cultivada como imperador Sheev Palpatine. Em algum momento, Snoke adquiriu uma pedra de obsidiana negra das catacumbas e minas sob o castelo do Lorde Sith Darth Vader no planeta Mustafar. Ele afixou a pedra em um anel de ouro que ele usava, gravado com glifos usados ​​pelos Quatro Sábios de Dwartii.[9] Ren, o líder dos Cavaleiros de Ren, conhecia Snoke, e a menção do nome de Snoke foi suficiente para Ren permitir que Ben Solo tentasse se juntar aos Cavaleiros.[10]

Ascensão do Líder Supremo

"A Primeira Ordem foi só o começo."
―Darth Sidious para Kylo Ren[fonte]

Após a queda do Império Galáctico, Snoke subiu ao poder como Líder Supremo da Primeira Ordem.

Através de uma contingência secreta projetada por Darth Sidious, muitos ex-oficiais imperiais, nobres e tecnólogos fugiram para as Regiões Desconhecidas do espaço. A maioria dos ex-oficiais imperiais provavelmente teriam morrido ao atravessar esse local desconhecido se não fosse pelas antigas trilhas do hiperespaço, abrigadas por um séquito de navegadores alienígenas mudos que serviram Snoke, os Atendentes, juntamente com algum conhecimento das Regiões Desconhecidas fornecidas pelo Grão-Almirante Chiss Thrawn,[11] que ajudou os ex-oficiais imperiais a se estabelecerem ali e se reorganizarem na Primeira Ordem.[12]

Snoke finalmente alcançou o status de Líder Supremo da Primeira Ordem. Os últimos da antiga liderança imperial, incluindo a Grão-Almirante Rae Sloane, o lunático político Ormes Apolin e até o General Brendol Hux não esperavam a ascensão de Snoke ao poder e ficaram surpresos quando isso ocorreu. O General Armitage Hux, filho de Brendol, foi poupado por Snoke para poder usá-lo como um instrumento em sua ascensão ao poder.[13] Ganhar o favor do Líder Supremo significava que Hux efetivamente exercia uma autoridade maior do que a sua classificação como um general indicaria; no entanto, Snoke se recusou a conceder a Hux seu cobiçado título de Grande Marechal. No entanto, após sua ascensão ao poder, Snoke nunca deu nenhuma indicação de suas origens.[1]

Em 28 DBY,[14] Snoke deu a Enric Pryde o comando de um Destróier Estelar classe Ressurgente, a qual a nomeou Steadfast em homenagem a sua antiga nave.[1]

Queda de Ben Solo

Interesse no aprendiz Skywalker

"Está tudo certo, meu amigo? Eu sinto inquietude em você."
"Eu estou bem, Snoke. Apenas em mais outra missão com o Mestre Skywalker para encontrar artefatos Jedi."
―Snoke e Ben Solo[fonte]

Snoke faz amizade com Ben Solo, o sobrinho e aprendiz jovem, mas poderoso, do Mestre Jedi Luke Skywalker.

Snoke ficou interessado na linhagem da família Skywalker, acreditando que a princesa Leia Organa e o filho de Han Solo, Ben Solo—neto de Anakin Skywalker e sobrinho do agora mestre Jedi Luke Skywalker—tinham o equilíbrio certo entre os lados luminoso e sombrio da Força nele devido à sua linhagem e de ser neto de Darth Vader.[2] Além disso, Snoke tinha sido indiretamente responsável por convencer Skywalker a reconstruir a Ordem Jedi na tentativa de quebrá-la quando a destruir junto com Skywalker. A corrupção de Ben Solo foi fundamental para seu plano.[13]

Tendo conhecido o interesse de Snoke no potencial de poder de seu filho, Organa tentou proteger Ben do misterioso usuário do lado sombrio. No entanto, ela não informou o marido sobre os projetos que Snoke possuia para seu filho, acreditando que, como ele era um ser não sensível à Força, Han não entenderia a responsabilidade de Organa de proteger Ben da influência do lado sombrio. Ela, portanto, confiou em seu irmão gêmeo, Luke Skywalker, para manter Ben na luz, treinando-o como um Jedi. Apesar do futuro promissor de seu sobrinho, Skywalker sentiu a escuridão subindo dentro de Solo e finalmente acreditou que Snoke já havia conseguido corromper seu aluno. Em um momento de puro instinto, Skywalker pegou seu sabre de luz e se preparou para atacar o jovem Solo, mas ele rapidamente recuperou a razão—embora não tenha sido rápido o suficiente, pois seu sobrinho acordou com seu tio em pé ap seu lado empunhando um sabre de luz. Solo revidou contra seu mestre, acreditando que seu próprio tio pretendia matá-lo.[3]

O caminho para a escuridão

"O que é verdade, meu amigo? Qual é o seu nome verdadeiro?. Os Cavaleiros irão querer que você o tome se eles deixaram você se unir a eles. Este é o caminho do lado sombrio. Quando nós o compreendemos em sua total extensão, nos tornamos nossos verdadeiros eus."
―Snoke para Ben Solo[fonte]

Fascinado com o poder bruto da linhagem Skywalker, Snoke converteu o jovem Solo para o lado sombrio da Força.

Depois disso, Solo viajou para uma estação espacial, onde Snoke estava esperando por ele para confortar o jovem Solo. De lá, ele começou a discutir os eventos que aconteceram entre Solo e seu tio, sabendo que Skywalker ainda estava vivo, pois seria preciso muito mais poder para matá-lo.[15]

Embora Skywalker tenha sobrevivido e fugido para Ahch-To, sua nascente Ordem Jedi foi aniquilada por Solo,[3] que jurou lealdade a Snoke. Ao se tornar aprendiz de Snoke, o ex-Ben Solo renomeou-se "Kylo Ren", o chamado mestre dos Cavaleiros de Ren e campeão da Primeira Ordem.[7] Organa acreditava que Snoke era o culpado pela queda de Solo para o lado sombrio, mas seu irmão se sentiu pessoalmente responsável como resultado do que aconteceu entre a relação mestre e aprendiz.[3]

Snoke, que viu em Kylo Ren o potencial de se tornar um novo Darth Vader, estava confiante de que seu aprendiz sombrio anunciaria a destruição da Ordem Jedi e, portanto, tudo o que ela representava para a galáxia, incluindo a esperança. Devido ao estado herdado de Ren como Skywalker, Snoke sentiu o potencial de poder ilimitado de seu discípulo, resultado do poder inerente à linhagem de Ren.[13]

Mestre de Kylon Ren

Ensinamentos do lado sombrio

"Eu preciso que você faça mais. Eu preciso que você encontre seu poder verdadeiro. Seu verdadeiro potencial."
―Snoke para Kylo Ren[fonte]

Snoke treinou Kylo Ren para tornar seu medo e raiva em poder.

Em algum momento antes do ataque a Tuanul, Snoke, juntamente com Ren, viajou para um mundo rochoso no sistema Rarlech. Enquanto eles estavam na beira de um penhasco, Snoke perguntou a Ren se ele estava com medo. Ren respondeu dizendo que não. Snoke então usou a Força para empurrar Ren do penhasco e segurá-lo no ar. Snoke disse que sabia que Ren estava com medo, como deveria estar, porque Ren não estava no controle. Não, ele estava confuso e inseguro de suas convicções. Ele se sentiu impotente. Snoke passou a dizer que se sentir assim era bom. Homens impotentes frequentemente usavam sua raiva para atacar cegamente. Mas seres poderosos podem aproveitar sua raiva e usá-la para atacar de forma direcionada. Para ambos, eles atacam ou perdem. Snoke então soltou Ren e o deixou cair, aconselhando-o a usar seu medo, transformá-lo em raiva e transformar sua raiva em poder. Ren seguiu esse conselho e foi capaz de se sustentar e sobreviver à queda. Ele então perguntou se Snoke o teria pego se fosse incapaz de se sustentar no ar. O Líder Supremo respondeu dizendo que Skywalker teria e, ao fazê-lo, estaria enfraquecendo Ren. Snoke precisava que Ren encontrasse seu verdadeiro poder e potencial se ele quisesse governar ao seu lado.[16]

Teste em Dagobah

"Ascenda sob o que está prendendo você. Ataque. Ataque o lado luminoso dentro de você."
―Snoke para Kylo Ren[fonte]

Snoke levou Ren até Dagobah, onde Luke Skywalker foi treinado por Yoda.

Após o treinamento no sistema Rarlech, Ren e Snoke viajaram para Dagobah. Quando eles desceram da lançadeira, Ren comentou que sentiu Luke Skywalker de seu tempo como aprendiz em Dagobah quando treinava com Yoda. Enquanto Snoke falava do treinamento de Skywalker, Ren perguntou por que ele falou de Skywalker com respeito. Snoke disse que se ele tivesse Skywalker ao seu lado, em vez de Ben, a galáxia teria sido dele há muito tempo. Snoke então fez Ren entrar na Caverna do mal, onde seu tio havia entrado tantos anos antes.[16]

Uma vez lá dentro, Ren teve uma visão de seu tio Luke, dizendo que ele não queria lutar com ele. Ren disse que não se importava e pegou seu sabre de luz. Snoke sentiu essa decisão e elogiou Ren por tomá-la. Após um breve duelo entre os dois, Ren foi capaz de matar a visão de Luke, deixando o ódio florescer dentro dele. Mas a visão tinha apenas começado.[16]

Ren então teve uma visão de seus pais, implorando para que ele parasse. Ele respondeu dizendo que Ben não era o nome dele, mas sim Kylo Ren. Leia insistia que Ben era o nome dele e que ainda ele era seu filho, a quem eles amavam. Embora lutando, Ben ativou seu sabre de luz e agiu como se estivesse atacando seus pais, mas apenas atingindo uma árvore com seu sabre de luz, mostrando que, embora odiasse seu tio Luke, ele ainda amava seus pais. Kylo então começou a destruir a caverna. Snoke disse que a Caverna do mal já existia há milhares de anos e desejava trazer outros aprendizes para ela. Ren respondeu dizendo que o passado era o passado e que Snoke não precisaria de mais aprendizes.[16]

Conquista Galáctica

Comandando Armitage Hux

"Homens como Hux são úteis. Homens consumidos pela ambição, abastecidos pelo rancor. Homens que podem colocar seu orgulho de lado, que possuem uma vergonha queimando dentro deles. Filhotes que foram abusados constantemente crescem para se tornarem criaturas perversas, mas que nunca se esquecem de onde vieram. E eles nunca perdoam."
―Snoke sobre Hux[fonte]

Snoke, muito para o desgosto de seu aprendiz, apoiava o General Armitage Hux através de patrocínio.

Depois de uma série de eventos que fizeram Hux e Ren serem temporariamente presos em um planeta após uma tentativa de assassinato, Hux e Ren relataram a Snoke na quase completa Base Starkiller após seu resgate pela Capitã Phasma. Hux declarou a Snoke que ele havia identificado o responsável pela tentativa de assassinato e depois rejeitou a oferta de Ren de lidar com o sabotador, solicitando a permissão de Snoke para lidar com o traidor. Snoke permitiu isso, o que agradou Hux, que foi encontrar o traidor. Ao sair, Ren disse a Snoke que não via o valor em Hux ficar por perto. Snoke apenas afirmou que não precisava. Ren insistiu que não se devia confiar em Hux, que ele queria matá-lo para tomar seu lugar. Snoke respondeu que Hux queria matar muitas pessoas e optou por não levar para o lado pessoal. Em vez disso, ele disse a Ren que homens como Hux eram úteis, abastecidos por rancor e que depois de serem abusados, nunca perdoariam.[17]

Quando Hux e Phasma foram executar o Almirante Brooks, o sabotador, Hux citou Snoke, ao lado de Ren e seu próprio pai, Brendol Hux, como pessoas que o subestimavam.[17]

O caminho para a guerra

"Até você, mestre dos Cavaleiros de Ren, nunca enfrentou um teste tão poderoso."
"Pela graça de seu treinamento, eu não serei persuadido."
―Snoke e Kylo Ren[fonte]

Snoke alertou Ren para se preparar para uma reunião com seu pai, Han Solo.

Na sequência do desaparecimento de Skywalker, Snoke atribuiu Ren para caçar o último Jedi. A Busca de Ren levou-o a Jakku, onde ele descobriu que a peça final do mapa que levava a Skywalker estava com o droide astromecânico BB-8. Snoke ordenou que capturassem ou destruíssem o droide. Apesar dos esforços da Primeira Ordem, BB-8, Finn e Rey conseguiram escapar de Jakku a bordo da Millennium Falcon.[7]

Ren e General Hux mais tarde voltaram para a Base Starkiller para se comunicar com Snoke via holograma. Hux propôs usar a superarma para destruir o governo da Nova República que apoiava a resistência. Ele então falou com Ren em particular, perguntando se ele tinha sentido um despertar na Força e ordenou a Ren que matasse seu pai para superar sua tentação pela luz.

Pouco depois da destruição do sistema Hosnian, resultando na erradicação do governo da Nova República e sua frota, Ren invadiu Takodana em busca de BB-8. Mais tarde, ele considerou o droide desnecessário, visto que ele capturou uma catadora de lixo chamada Rey, que tinha visto a peça final do mapa que dava a localização de Skywalker. Snoke foi mais tarde chateado ao saber que a menina resistiu ao interrogatório de Ren. Ren defendeu-se explicando que Rey era forte na Força, embora inexperiente. Como o local da Base da resistência tinha sido descoberto, Snoke ordenou que Hux destruísse a Resistência antes que eles pudessem encontrar Skywalker, e para Ren trazer Rey para ele. Quando a destruição da Base de Dados de Starkiller pelos pilotos da Resistência era inevitável, Snoke ordenou Hux para trazer Ren para ele a fim de completar o seu treinamento.[7]

Morte do Líder Supremo

"Você não irá se ajoelhar perante Snoke. Você vai mudar. Eu vou te ajudar."
―Rey para Kylo Ren[fonte]

Snoke repreendeu Ren por falhar em superar seu conflito, e o julgou como uma criança indigna do legado de Darth Vader.

Algum tempo após a destruição da Base Starkiller, Snoke começou a ordenar várias manobras projetadas para eliminar qualquer possibilidade do retorno da esperança à galáxia. Ele mandou o General Hux perseguir e destruir a frota da Resistência, que inicialmente falhou quando em um ataque à base deles, eles não apenas viram a Resistência fugir, mas como também perderam um couraçado da Primeira Ordem. Snoke imediatamente contatou Hux para demonstrar claramente sua raiva, usando a Força para humilhar dolorosamente o feneral, mas ficou encantado quando Hux revelou uma maneira de rastrear os movimentos da frota através do hiperespaço, permitindo assim que a Primeira Ordem identificasse imediatamente sua localização.[3]

Imediatamente após sua audiência com Hux, Snoke voltou sua atenção para seu aprendiz desonrado, comentando como ele havia começado a perder a fé em seu aprendiz após seu fracasso na Base Starkiller e seu conflito adicional por ter assassinado seu pai,[3] tendo sentido de longe o esforço de Ren quando ele matou seu pai.[18] As provocações de Snoke fizeram Ren tentar atacá-lo, fazendo com que os guardas do Líder Supremo reagissem agressivamente, mas Snoke sem esforço afastou o ataque com um raio da Força e voltou ao seu trono, lembrando a Ren que enquanto os Jedi persistirem na galáxia, a esperança viveria e poderia derrotá-los. Ele então repreendeu Ren para fora da sala do trono dizendo que ele era apenas uma criança com uma máscara ao invés do sucessor de Darth Vader,[3] e que Vader teria vergonha dele.[18]

Mas uma vez que Ren saiu da sala do trono, Snoke sorriu para si mesmo. Ele deve ter usado essa repreensão como uma maneira de motivar seu aprendiz. Se fosse esse o caso,[13] funcionou: Ren destruiu sua máscara no turbocompressor com toda a raiva reprimida que pôde reunir antes de se preparar para o que parecia ser a vitória final da Primeira Ordem.[3]

Sentindo a nova determinação de seu aprendiz, Snoke ordenou que Ren executasse a aprendiz Jedi Rey.

Procurando mudar a maré a seu favor, Snoke alegou ter usado seus próprios poderes para ligar as mentes de Rey e Ren através de um vínculo de força. Por fazer isso, Snoke manipulou a insegurança de Ren a seu favor, sabendo que seu aprendiz não poderia esconder seu conflito de Rey, que não poderia deixar passar a chance de resgatar o ex-Ben Solo. Através da Força, Rey e Ren podiam se ver e se comunicar de diferentes locais da galáxia. Acreditando que ela poderia restaurar Ben Solo ao lado luminoso, Rey procurou Ren e foi trazida para Snoke a bordo da Nave capitânia do Líder Supremo, conhecida como Supremacia, onde o Líder Supremo pegou sua arma, o lendário sabre de luz Skywalker, e a colocou ao lado dele no braço de seu trono. Usando seus próprios poderes formidáveis, Snoke conteve Rey e sondou tortuosamente sua mente para descobrir o paradeiro de Skywalker.[3]

Depois de obter a informação que procurava, ele largou a garota com desprezo, apenas para ela tentar pegar a arma de Anakin Skywalker em suas mãos, que ele redirecionou sem esforço para golpeá-la na cabeça por trás com um sorriso de escárnio. Em um instante, depois de deixar Rey cair no chão, Snoke riu e pensou que Skywalker tinha sido "tão sábio" a ponto de se esconder dele. Ele decidiu que uma vez que a Resistência fosse destruída, ele comandaria suas forças para Ahch-To e destruiria toda a ilha do Templo para que Skywalker e a Ordem Jedi pudessem receber a morte que ele desejava. Como um gesto final de desprezo, ele forçou Rey a assistir a destruição das naves remanescentes da Resistência por meio de sua visão ocular operado e projetado pelos Atendentes. Em vez de quebrar o espírito de Rey, no entanto, a visão a levou a pegar o sabre de Kylo para desafiá-lo mais uma vez, conquistando o respeito do Líder Supremo, quando ele sinceramente a elogiou por sua coragem.[3]

Superado por seu astuto aprendiz, Snoke foi cortado ao meio, no nível da cintura, pelo sabre de luz de Anakin Skywalker.

Reconhecendo Rey agora como uma ameaça genuína a si mesmo e a Primeira Ordem, Snoke ordenou que seu aprendiz a executasse, confiante de que Ren não entraria em conlito apesar da fé de Rey em sua antiga persona, a de Ben Solo, e se gabava de poder ler a mente de seu aprendiz e vê todos os seus pensamentos e intenções. Com a intenção de torturar a garota com todos os detalhes até o momento de sua morte, ele fechou os olhos e descreveu para Rey tudo o que via na mente de Ren, girando o sabre de luz para ter "uma mira certeira" e ativando-o para matar seu "verdadeiro inimigo".[3] No entanto, as visões de Snoke e os sentidos da Força o traíram.[5] Uma vez que ele reabriu os olhos e esperou o ataque que se aproximava, seu sorriso triunfante se transformou em uma surpresa dolorosa ao sentir a lâmina de um sabre de luz atravessando seu corpo murcho e torcido. Ao mesmo tempo, seu domínio telecinético sobre Rey entrou em colapso. O Líder Supremo olhou para baixo e encontrou o sabre de luz Skywalker sendo virado, mirado e ativado em sua direção. Havia apenas um nesta sala que tinha a habilidade e astúcia de realizar tal feito através da Força: Ren.[3]

Snoke tentou dizer algo, mas não conseguiu.[19] Ele permaneceu vivo o tempo suficiente para encarar seu ex-aprendiz por sua traição antes que Ren convocasse o sabre de luz ainda ativo ao alcance de Rey e a lâmina azul cortasse a cintura e os pulsos do Líder Supremo, desmembrando-o. Seu tronco superior desabou pesadamente no chão, na base do trono, deixando as mãos nos apoios de braços e o tronco inferior sentado no trono.[3]

Com Snoke morto, Ren provou ser um digno sucessor de Vader, pois alcançou o que seu avô deixou de fazer no passado e quando teve a oportunidade: derrubar seu mestre da maneira Sith, a antiga Regra de Dois. Ren matando Snoke para salvar Rey, foi um ato de ascensão digna da regra de Darth Bane. [20]

Legado

"Nosso Líder Supremo está morto! Nós não temos um governante!"
"O Líder Supremo está morto."
"Vida longa ao Líder Supremo."
―Armitage Hux e Kylo Ren[fonte]

Ao morrer pelas mãos de seu aprendiz, Snoke cumpriu seu papel no treinamento de Ren como herdeiro do legado Sith.

Imediatamente após sua morte, os guarda-costas de Snoke tentaram vingá-lo, mas apesar de seus esforços, todos os guardas pretorianos de elite foram mortos por Kylo e Rey. Depois que todos os guardas foram mortos, Ren olhou para o corpo de seu mestre, antes de oferecer a Rey um lugar ao seu lado. Rey implorou para que ele ajudasse a salvar a frota e tentou puxar o sabre de luz dele. As forças opostas combinadas de Rey e Ren destruíram a lâmina, deixando Ren inconsciente quando ele bateu no chão enquanto Rey era capaz de escapar da nave estelar condenada. Mais tarde, Hux entrou para encontrar Ren sozinho no chão e ao lado do corpo do Líder Supremo. A metade inferior do corpo de Snoke escorregou do trono e caiu no chão ao lado do tronco, diante dos olhos de Hux.[3]

A morte de Snoke criou um vácuo de poder imediato que Ren aproveitou ao assumir o papel de seu mestre caído como o novo Líder Supremo da Primeira Ordem, para grande desgosto de Hux. Embora Ren desejasse governar a galáxia com Rey como sua igual, a aspirante a Jedi rejeitou sua oferta, levando Ren a implicá-la falsamente no assassinato de Snoke.[3]

O Lorde Sith fantasma Darth Sidious criou Snoke para preparar Ren para seu futuro como o novo Imperador da galáxia.

Na época da batalha de Grail City, alguns oficiais da Primeira Ordem, como o Coronel Barrut e sua tripulação, não estavam cientes da morte de Snoke e da ascensão de Ren ao poder. Quando o comandante Poe Dameron os informou sobre o destino de Snoke antes de destruir o Fortitude, o cruzador pesado da classe Máxima-A que eles comandavam, dois tripulantes de Barrut acreditavam que Hux havia assumido o papel de Snoke como líder supremo, apenas para Barrut se recusar a acreditar nas alegações de Dameron, descartando-as como mentiras.[21]

Durante sua campanha como Líder Supremo, Kylo Ren começou a sofrer de visões da Força e encontrou fragmentos de um lore arcano descoberto nas antiga base de Snoke, o que o levou a perceber que Snoke não estava no topo da pirâmide do lado negro da Primeira Ordem.[1] Ao rastrear e encontrar o Darth Sidious revivido na Exegol, Kylo Ren descobriu que Sidious não era apenas responsável por personificar o espírito de Darth Vader, mas também pela criação de Snoke, observando várias cópias de Snoke sendo cultivadas em cubas, como Sidious explicou. como ele estava puxando as cordas o tempo todo.[4] O objetivo de toda a existência de Snoke era servir como teste final de Ren. Seu papel havia sido designado pela Eternidade Sith para preparar Ren como herdeiro do legado dos Sith e moldá-lo em um mestre do ataque e astúcia. Apesar de vários corpos dele serem armazenados em Exegol, Snoke cumpriu seu papel e propósito e, portanto, Sidious não encontrou mais utilidade para ele.[1]

Personalidade e traços

"E agora, você me dará Skywalker. E então eu irei te matar com o golpe mais cruel possível."
―Snoke para Rey[fonte]

Snoke era um alíenigena humanoide criado artificialmente que se originou das Regiões Desconhecidas da galáxia.

O Líder Supremo Snoke era uma figura secreta e enigmática que cobiçava conhecimentos arcanos. Em vez de estabelecer uma base permanente de operações, ele preferiu governar a Primeira Ordem em um posto de comando móvel, de onde poderia entrar em contato com seus subordinados,[5] embora sua localização exata fosse desconhecida.[22] Ele era conhecido por sua falta de vontade de se encontrar pessoalmente com seus subordinados e frequentemente se comunicava apenas através de seu projeto holográfico transmitido de seu trono a bordo da Supremacia, interagindo apenas pessoalmente com alvos específicos.[1] Ele era sábio[7] e astuto, tendo subido ao poder, minando altos funcionários de primeira ordem através de sua malícia.[13] Mestre na arte da manipulação, ele atraiu Kylo Ren para o lado sombrio da Força, usando a necessidade desesperada do jovem Jedi por um professor, para a sua vantagem.[5] Embora ele considerasse Armitage Hux como um "vira-lata raivoso", Snoke reconheceu a utilidade do general e acreditava que mesmo a fraqueza de uma pessoa poderia servir a um propósito se fosse adequadamente manipulada.[3] Apesar de ter uma opinião negativa do caráter de Hux,[13] o Líder Supremo compartilhava da crença de seu subalterno da necessidade de uma poderosa força militar.[5] Além de supervisionar um programa de militarização que violava tratados assinados com a Nova República,[23] Snoke frequentemente sancionava as estratégias militares de Hux,[7] e mostrou aprovação por suas inovações tecnológicas.[3]

Snoke ficou fascinado com Ren,[3] não apenas pelo potencial inerente de seu aprendiz para obter poder ilimitado,[24] mas também porque ele o considerava a personificação do lado sombrio e do luminoso, e incentivou Ren a usar os ensinamentos de ambos.[25] Apesar disso, Snoke aderiu ao lado sombrio e viu o luminoso como o lado fraco e patético da Força.[13] Foi a força bruta e indomável de Ren na Força que levou Snoke a acreditar que seu aluno poderia alcançar um nível de poder comparável ao do falecido avô de Ren, o Lorde Sith Darth Vader.[3] Desapontado com a derrota de Ren na Base Starkiller, o Líder Supremo o repreendeu como um aprendiz fracassado—uma criança com uma máscara—que não merecia o legado de Vader.[23] À luz do fracasso de Ren, Snoke começou a duvidar se seu discípulo algum dia superaria seu conflito entre os dois lados da Força. Como tal, ele também começou a considerar a possibilidade de deixar Ren de lado para sempre,[13] assim como Han Solo avisou seu filho momentos antes de sua morte.[7] No entanto, Snoke usou suas habilidades em manipulação para alimentar a alma conflituosa de Ren, sabendo que seu aprendiz deixaria de esconder suas emoções pela Rey depois que elas se vinculassem através de seu vínculo de Força.[3] Foi através de Ren que Snoke tentou manipular Rey, convencido de que ela cairia em sua armadilha acreditando que Ren poderia ser desviado de seu caminho sombrio.[13]

As feridas de Snoke o fez priorizar o comforto, como o uso de chinelos, para o fazer aguentar a dor de seu corpo danificado.

Como seu aprendiz, cuja máscara lhe proporcionava uma presença mais imponente,[26] Snoke confiava no poder da encenação ao interagir com seus subordinados por meio de transmissão holográfica. Embora o Líder Supremo tivesse, na realidade, cerca de dois metros de altura,[27] sua forma holográfica ampliou sua altura várias vezes, permitindo-lhe "olhar para baixo" para poder ver seus seguidores. Embora ele inicialmente tenha tolerado o desejo de seu aprendiz de imitar Vader usando uma máscara, Snoke achou absurdo e depois ridicularizou a afetação de Ren.[3]

O comportamento inteligente, sofisticado e às vezes calmo de Snoke mascarava suas qualidades mais sinistras, como crueldade, arrogância, egoísmo e narcisismo. Ele era um indivíduo aterrorizante e monstruoso, que possuía uma natureza sombria que rivalizava até com a do falecido Darth Sidious.[28] O comportamento de Snoke muda de calma[7] para raiva,[13] dependendo da situação. Ao saber da iminente destruição de Starkiller, ele simplesmente disse a Hux para evacuar a base com Ren,[7] apenas para depois repreender seu aprendiz por frustração.[13] Quando teve a chance de usar a super arma Starkiller contra a Nova República, Snoke concordou com o plano de Hux de atrair os inimigos da Primeira Ordem para se esconder, apesar de terminar bilhões de vidas no processo.[7]

Snoke ficava irritado com a inabilidade de Ren para superar o lado luminoso da Força.

Além disso, Snoke era um mestre cruel e também um predador, que identifica fraqueza e a explora, como demonstrado por como Snoke dominava não apenas a Primeira Ordem, mas especificamente Ren e Hux, tornando-o um tirano brutal. Ele gostava particularmente de usar seus poderes para penetrar na mente de suas vítimas e submetê-las a cenas agonizantes, destruindo sua coragem e determinação lentamente ao longo do tempo.[29]

Por mais poderoso, astuto e cruel que ele era, Snoke não era diferente de outros mestres do lado sombrio, pois ainda sentia medo, especificamente um medo de Luke Skywalker e o retorno dos Jedi.[23] Ele estava convencido de que se Skywalker, o último Jedi vivo da época, retornasse do exílio, anunciaria o surgimento de uma nova geração de Cavaleiros Jedi.[7] Apesar de seu ódio pelos Jedi, Snoke realmente respeitou Skywalker enquanto também o temia, sabendo que o lendário Mestre Jedi não era fraco, mas mal orientado, mesmo pensando que ele havia tomado Skywalker como seu segundo em comando em vez de Ren, a galáxia já seria dele na época da guerra fria.[16] Ele considerava a Ordem Jedi uma ameaça aos seus desígnios e, portanto, conspirava para destruí-la completamente matando o último Jedi. Ao encontrar o aprendiz final de Skywalker, a catadora de Jakku Rey, Snoke observou que ela possuía as qualidades de um verdadeiro Jedi e, como tal, resolveu vê-la morrer antes que ela também pudesse se tornar uma ameaça aos seus planos. Como observado por Rey, no entanto, Snoke estava propenso a subestimar as pessoas ao seu redor, como seu próprio aprendiz. Ele exultou ao sentir a nova decisão de Ren, completamente inconsciente de que ele pretendia salvar Rey, derrubando seu próprio mestre por meio de um subterfúgio. De fato, muito parecido com seu criador antes dele, Snoke não conseguiu entender que as visões da Força não são absolutas; ele viu a verdade, mas não a qual esperava.[3]

Snoke vestia túnicas khalat douradas durante seu reinado como Líder Supremo da Primeira Ordem.

A aparência de Snoke era frágil, com mãos grandes. Ele tinha uma estrutura óssea e facial distinta e idiossincrática.[30] Sua idade também era desconhecida, assim como sua espécie, que era possivelmente única.[1] Seu holograma usado na Base Starkiller o projetou várias vezes maior (cerca de 7 metros)[31] do que sua aparência natural, elevando-se sobre Kylo Ren e General Hux. Snoke tinha um rosto alongado com a pele pálido, fortemente marcada com cicatrizes e olhos azuis pálidos.[3] Mesmo pessoalmente, ele ainda era muito grande, com mais de um metro e oitenta de altura. Ele ostentava uma grande cicatriz do topo da cabeça, até a testa. Snoke também tinha o que parecia ser uma cicatriz ou queimadura na bochecha direita que fazia com que sua boca se contorcesse. O osso zigomático esquerdo de Snoke também estava malformado.[9] Sua estrutura retorcida e cicatrizes extensas realmente confundiram as tentativas de identificar sua espécie.[1] Ele usava túnicas khalat douradas ornamentadas com uma roupa cinza, amarrada na cintura por um elegante cinto dourado, e no dedo usava um anel de ouro e obsidiana gravado com runas do Quatro Sábios de Dwartii. Por causa de suas fragilidades físicas, que o deixaram além do seu auge em termos de força física, ele contava com confortos materiais, como chinelos para lidar com seu corpo doente, que estava em constante estado de dor devido à sua idade avançada e feridas, e por não poder se defender em uma luta física, ele contou com seus guardas pretorianos de elite para lidar com quaisquer ameaças contra sua vida.[9]

Poderes e habilidades

"Houve um despertar. Você sentiu?"
―Snoke para Kylo Ren[fonte]

Embora não fosse um Sith, Snoke, no entanto, dominava com maestria os caminhos do lado sombrio da Força.

Embora não fosse treinado como um Sith;[9] Snoke, no entanto, era um extraordinariamente poderoso e habilidoso ser sensível à Força, possuindo grande domínio—igualmente impressionante e aterrorizante[32]—sobre os poderes da Força e era particularmente forte com o lado sombrio.[5] Seus ensinamentos misturavam tradições dos lados sombrio de luminoso.[33] Seu domínio da Força foi tão grande que Snoke foi capaz de exercer seu poder com o mínimo de gestos, com efeitos devastadores, mesmo a grandes distâncias.[3] Suas habilidades incluíam telepatia, estrangulamento da Força e telecinesia, que ele foi capaz de usar em outros seres, mesmo a grandes distâncias. Como seu aprendiz, Snoke possuía o poder da sonda mental e suas habilidades eram muito maiores, empregando-a com sucesso em Rey e Ren antes de sua morte. Como um mestre nos caminhos do lado sombrio, Snoke podia conjurar um relâmpago da Força com as pontas dos dedos—um poder que ele aperfeiçoou a ponto de dispará-lo em uma superfície de metal e deixá-lo ricochetear diretamente no alvo pretendido.[34][3] Os efeitos de seus ataques baseados em raios foram imensamente dolorosos, como observado por Ren, que recuou em deferência ao conhecimento superior de Snoke sobre o lado sombrio.[13] Enquanto sua força física se atrofiava junto com seu corpo ferido, Snoke permaneceu tremendamente forte na Força até sua morte.[9]

Embora Rey e Ren possuíssem uma conexão poderosa com a Força,[3] as habilidades de Snoke eclipsaram seus poderes devido ao maior conhecimento e experiência à disposição do Líder Supremo.[13] Além de subjugar Ren com um único ataque, Snoke brincou com Rey jogando-a telecineticamente sob toda sua sala do trono. Ele poderia até dominá-la quando os dois estavam usando a Força ao mesmo tempo, como demonstrou, substituindo seu controle do sabre de luz Skywalker, fazendo com que ele evitasse o alcance de Rey antes de se virar e bater na parte de trás da cabeça dela.[3] Apesar de sua aparência frágil, Snoke era forte o suficiente para dar um tapa na cara de Ren com força suficiente para tirar sangue, com raiva por ignorar suas ordens para deixar sua máscara a bordo do navio.[16]

Apesar de não ser o criador do vínculo de Força único de Rey e Ren, como ele alegou falsamente, Snoke tinha a capacidade de manipular sua conexão. Os dois foram capazes de se ver e ouvir, apesar dos milhões de anos-luz que os separaram. À medida que o vínculo se aprofundava, eles podiam até fazer contato físico um com o outro. Snoke usou seus poderes para influenciar a conexão da Força, levando Rey a uma armadilha.[13] Ao longo de tudo, ambos permaneceram alheios à influência de terceiros de Snoke até que ele revelou de imediato sua manipulação da conexão deles.[3] No final, no entanto, as visões de Snoke e os sentidos da Força falharam com ele.[5] Enquanto exultava com a determinação que sentia em seu aprendiz muitas vezes conflituoso, ele não sentiu sua própria morte iminente pelo filho de Han Solo. Por ter sido criado por Darth Sidious, pode-se presumir que Sidious o rivalizou ou superou.[23]

Nos bastidores

Em uma entrevista com o ator Andy Serkis, lhe perguntaram se Snoke era mais poderoso que Darth Vader e Darth Sidious, e Andy respondeu: "Oh, sem dúvidas. Pode-se dizer que ele tem recursos ilimitados". Na mesma entrevista ele afirmou que Snoke não era um Lorde Sith, e que era mais sombrio que Palpatine em seu momento.[35]

Aparições

Aparições não-canônicas

Fontes

Notas e referências

  1. 1,0 1,1 1,2 1,3 1,4 1,5 1,6 1,7 1,8 1,9 Star Wars: The Rise of Skywalker: The Visual Dictionary
  2. 2,0 2,1 Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força (romance) deixa claro que Snoke testemunhou a ascensão do Império Galáctico, que o Star Wars: Galactic Atlas dada em 19 ABY. Ou seja, Snoke foi criado durante ou depois de 19 ABY.
  3. 3,00 3,01 3,02 3,03 3,04 3,05 3,06 3,07 3,08 3,09 3,10 3,11 3,12 3,13 3,14 3,15 3,16 3,17 3,18 3,19 3,20 3,21 3,22 3,23 3,24 3,25 3,26 3,27 3,28 Star Wars Episódio VIII: Os Últimos Jedi
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 Star Wars Episódio IX: A Ascensão Skywalker
  5. 5,0 5,1 5,2 5,3 5,4 5,5 5,6 5,7 5,8 StarWars-DatabankII.png Supreme Leader Snoke no Databank
  6. The Art of Star Wars: The Force Awakens
  7. 7,00 7,01 7,02 7,03 7,04 7,05 7,06 7,07 7,08 7,09 7,10 7,11 Star Wars Episódio VII: O Despertar da Força
  8. 8,0 8,1 Star Wars: The Force Awakens: The Visual Dictionary
  9. 9,0 9,1 9,2 9,3 9,4 Star Wars: The Last Jedi: The Visual Dictionary
  10. The Rise of Kylo Ren 2
  11. Marcas da Guerra: Fim do Império
  12. StarWars-DatabankII.png The First Order no Databank
  13. 13,00 13,01 13,02 13,03 13,04 13,05 13,06 13,07 13,08 13,09 13,10 13,11 13,12 13,13 Star Wars Episódio VIII: Os Últimos Jedi: Edição Expandida
  14. Star Wars: The Rise of Skywalker: The Visual Dictionary
  15. The Rise of Kylo Ren 1
  16. 16,0 16,1 16,2 16,3 16,4 16,5 Age of Resistance - Supreme Leader Snoke 1
  17. 17,0 17,1 Age of Resistance - General Hux 1
  18. 18,0 18,1 The Last Jedi Adaptation 1
  19. The Last Jedi Adaptation 5
  20. Star Wars: The Dark Side
  21. Poe Dameron 31
  22. Star Wars: The Force Awakens Graphic Novel Adaptation
  23. Star Wars: The Visual Encyclopedia
  24. Star Wars Battlefront II
  25. Tauber, Chris (6 de Dezembro de 2015). Quem Realmente é o Vilão de Star Wars: O Despertar da Força? (em inglês)  — People. Acessado em 6 de Dezembro de 2015.
  26. Empire Revela O Novo Visual De Snoke Em Os Últimos Jedi (em inglês)  — Jedi News (29 de Novembro de 2017). Acessado em 29 de Novembro 2017.
  27. Breznican, Anthony (22 de Novembro de 2017). Andy Serkis diz que dor e ganânica motiva o Líder Supremo Snoke em Os Últimos Jedi (em inglês)  — Entertainment Weekly. Acessado em 17 de Dezembro de 2017.
  28. Breznican, Anthony (12 de Novembro de 2015). Líder Supremo Snole: Andy Serkis sobre o vilão 'danificado' de Star Wars: O Despertar da Força (em inglês)  — Entertainment Weekly. Acessado em 6 de Janeiro de 2018.
  29. Thrower, Emma (17 de Novembro de 2015). Líder Supremo Snoke: Andy Serkis fala sobre o novo vilão de Star Wars (em inglês)  — Empire. Acessado em 17 de Novembro de 2015.
  30. Star Wars: The Secrets of the Jedi
  31. Ultimate Star Wars, New Edition
  32. Star Wars: Absolutely Everything You Need to Know, Updated and Expanded
  33. Andy Serkis alludes to Snoke's limitless resources (em inglês).
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.