FANDOM


Eras-canon-transp

Eras-legends2

}}

"Eu nem posso ver o inimigo!"
"Por isso que eles são chamados de Povo da Sombra
"
―Soldados clone durante a Batalha de Umbara[fonte]

Os Umbaranos, também conhecidos como Povo da Sombra, eram uma espécie de Quase-Humanos nativa do planeta Umbara. Eles eram caracterizados por sua pele clara e olhos sem cor. Durante os últimos anos da República Galáctica, eles eram representados no Senado Galáctico por Mee Deechi. Entretanto, acabaram se juntando à Confederação de Sistemas Independentes durante às Guerras Clônicas, levando sua extremamente avançada tecnologia aos aliados de Dookan. Os Umbaranos eram delgados quase humanos com uma pálida e azulada pele, seus rostos eram magros e emaciados com marcas cinzentas ao redor das órbitas de seus olhos incolores. Eles tinham um único coração, e o esfaqueamento foi um ferimento fatal. [7] Embora os Umbaranos tivessem cabelos, [8] alguns deles eram carecas ou raspavam suas cabeças. [9] Por causa da habilidade da espécie em manipular os outros, havia rumores de que os Umbaranos tinham a habilidade de controlar mentes. [2] Com seus olhos sem cor, eles eram capazes de ver no espectro ultravioleta. [10]

Sociedade e culturaEditar

Em seu planeta natal sombrio de Umbara, o chamado "Povo da Sombra" formava uma sociedade organizada dividida em castas, e eles constantemente planejavam melhorar sua posição social. [2] Sua tecnologia era mais avançada do que a encontrada na maior parte da galáxia. [11] Embora os Umbaranos fossem capazes de falar o Básico Galáctico [8], em seu mundo de origem eles se comunicavam principalmente em sua língua nativa, que tinha um alfabeto que consistia de vinte e seis letras. [3] Uma roupa tradicional de Umbara era o volumoso Manto das Sombras.[12]

HistóriaEditar

Umbaranos evoluíram em Umbara, um planeta nebuloso e perigoso [1] localizado no sistema solar homônimo na Nebulosa Fantasma. [13] Durante as últimas décadas da República Galáctica, eles eram membros desse governo democrático. Como tal, eles foram representados no Senado Galáctico pelo senador Mee Deechi. Dez anos após a invasão de Naboo, uma mulher Umbarana chamada Sly Moore serviu como ajudante do Chanceler Supremo Sheev Palpatine, líder do Senado Galáctico da República. Naquela época, o Lorde Dooku criou a Confederação de Sistemas Independentes, uma aliança de sistemas solares que não mais se sintonizavam com a República. Durante as Guerras Clônicas que se seguiram, os Umbaranos permaneceriam leais à República. No entanto, após o assassinato de Mee Deechi, eles escolheram se separar da República e se uniram à Aliança Separatista. O avançado armamento de sua milícia deu à Confederação uma vantagem no campo de batalha enquanto tropas clones do Grande Exército da República recebiam a tarefa de conquistar a Umbara. [1] Apesar da traição do general Jedi Pong Krell, a República conseguiu a vantagem quando seu colega Jedi, Obi-Wan Kenobi, conseguiu tomar a capital de Umbara. [14] No final da guerra, o Supremo Chanceler Palpatine proclamou-se Imperador Galáctico. [9] No auge do Primeiro Império Galáctico, a tecnologia Umbarana foi apropriada para uso nas Forças Armadas Imperiais. [15]

Aparições Editar

Fontes Editar

Notas e referências

Em outras línguas
As seções "Aparições" e "Fontes" foram importadas e traduzidas automaticamente do artigo em inglês pela Interface de Criação de Páginas. Consulte o histórico do artigo original para identificar os autores.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.